COMPETÊNCIA TRADUTÓRIA: A CONVERSÃO DO TRADUTOR EM REVISOR

  • Patrícia Chitt oni Ramos Reuillard

Resumo

Todo profi ssional sabe que não existe apenas uma possibilidade de tradução para as várias unidades de tradução em um texto: até a entrega ao cliente, ele elencará soluções variadas e distintas para uma mesma unidade, hierarquizando-as e optando por uma delas segundo critérios preestabelecidos. Essa afi rmação também é válida para o trabalho pedagógico com aprendizes de tradução. O professor recebe diversas alternativas para um mesmo texto e deve avaliar a pertinência de cada escolha dos aprendizes, pois sabe que, embora derive de uma obra original, cada tradução apresentada tem uma identidade própria, pois resulta de níveis de interpretação e de escolhas diversas. É essa mesma identidade que deve ser resguardada quando se trata de revisão de tradução. Porém, em geral o mercado, sobretudo editorial, ainda vê o tradutor apenas como um mediador, cujo texto deve ser aperfeiçoado pelo revisor, a quem cabe a última palavra. Partindo da noção de autoria em tradução e de competência tradutória, este trabalho busca evidenciar a importância de se desenvolver no aprendiz de tradução, uma subcompetência específi ca para a tarefa de revisar traduções.

Palavras-chave: revisão de tradução; competência tradutória; autoria.

Biografia do Autor

Patrícia Chitt oni Ramos Reuillard
patrícia.ramos@ufrgs.br
Como Citar
REUILLARD, P. C. ONI R. COMPETÊNCIA TRADUTÓRIA: A CONVERSÃO DO TRADUTOR EM REVISOR. Revista de Letras, v. 2, n. 33, 11.