AS MULHERES DE TIJUCOPAPO: A ESCRITA DA DOR

  • Solange Kate Araújo Vieira

Resumo

Escrito na década de 80, o romance As mulheres de Tijucopapo, de Marilene Felinto, aponta para o questionamento do discurso hegemônico na literatura, colocando em cena as contradições que caracterizam a sociedade e a cultura multi-racial brasileira. O discurso da personagem-protagonista (Rísia) se move no caminho de retorno às suas origens, ao Tijucopapo, que remete historicamente a uma pequena vila onde, no século XVIII, um grupo de mulheres lutaram sozinhas contra os invasores holandeses e os expulsaram. Através de sua identidade nordestina, a protagonista conhece a dor das diferenças, vivendo na grande cidade paulista e resolve voltar ao tempo e ao espaço primeiro de sua identidade cultural para melhor compreender-se e libertar-se.

Palavras-chave: dor, identidade cultural, narrador.

Como Citar
ARAÚJO VIEIRA, S. K. AS MULHERES DE TIJUCOPAPO: A ESCRITA DA DOR. Revista de Letras, v. 1, n. 23, 11.