EMPRÉSTIMOS LINGUÍSTICOS: O DEBATE CONTINUA

  • Emilia Maria Peixoto Farias

Resumo

As línguas encontram nos empréstimos lingüísticos uma rica fonte de atualização lexical. Essa atualização deve-se principalmente aos avanços tecnológicos e à busca de novas formas de expressão pelo homem. Nesta perspectiva, os empréstimos serão aqui tratados como fonte enriquecedora dos sistemas lingüísticos não podendo, portanto, ser tomados como ameaças ou mesmo elementos nocivos às línguas receptoras. Este trabalho tem, conseqüentemente, como objetivo principal mostrar que o uso de empréstimos não constitui ameaça a unidade nacional, não impede a intercomunicação entre indivíduos como também não corrompe a língua nacional. Para darmos conta da tese aqui defendida, baseamos nossos argumentos em Farias (2001), Faraco (2001) e Carvalho (1989). Palavras-chave: lexicologia; empréstimos lingüísticos.
Como Citar
PEIXOTO FARIAS, E. M. EMPRÉSTIMOS LINGUÍSTICOS: O DEBATE CONTINUA. Revista de Letras, v. 1, n. 30, 11.

Artigos do(s) mesmo(s) autor(es) mais lidos