OS MANGUES EM RAUL BOPP / The mangroves in Raul Bopp

  • Tânia Lima

Resumo

Do modernismo ao mundo contemporâneo, muita coisa se transfigurou e se dizimou no campo dalinguagem. Em uma travessia conduzida pelo idioma dos homens anfíbios de Raul Bopp, analisa--se como se constitui o imaginário do mito de Cobra Norato, dentro de rios feitos de mangues. Aose deparar com o solo movediço do rio como uma cobra d’água fazendo uma volta dentro da noite,Bopp recria o poema por intermédio do tecido ficcional da oralidade. O trato com a natureza partede um olhar exótico, mitificado pelo desenho surrealista do verbo. Cobra Norato é um livro feitode uma geografia, não apenas surreal, mas que também demarca um elo “eco crítico” entre a palavrae a cultura. Nesse percurso, ao se falar da natureza em poesia, vem à tona uma teia rizomática derelação eco-cultural. Apontam-se alguns diálogos suscitados nesta pesquisa que bebem nas liçõesretiradas das teorias de Félix Guattari. Palavras-chave: Raul Bopp, Cobra Norato, Poesia.

Biografia do Autor

Tânia Lima
Autora de livros de poesia, professora do Departamento de Letras da UFRN.
Como Citar
LIMA, T. OS MANGUES EM RAUL BOPP / The mangroves in Raul Bopp. Revista de Letras, v. 1, n. 34, 11.