FORMAÇÃO DE TRADUTORES E TRADUTORAS: REFLEXÕES SOBRE A APLICAÇÃO DE UMA ATIVIDADE DE TRADUÇÃO, A PARTIR DE UMA ABORDAGEM SOCIOCONSTRUTIVISTA, NO CONTEXTO DE UMA UNIVERSIDADE BRASILEIRA

Autores

  • Daniel Alves Cristiane Bezerra Priscilla Costa

Palavras-chave:

Estudos da Tradução. Formação de Tradutores e Tradutoras. Abordagem socioconstrutivista.

Resumo

Este artigo pretende contribuir para as discussões sobre abordagens de ensino na formação de
tradutores e tradutoras ao analisar a aplicação do modelo socioconstrutivista proposto por Kiraly
(2000) no contexto de uma universidade pública brasileira. São aqui narradas as experiências de
uma disciplina de prática de tradução para a língua inglesa, do curso de Bacharelado em Tradução
da Universidade Federal da Paraíba – na qual um grupo de seis estudantes realizou a tradução para
a língua inglesa do conto ‘A Cartomante’, de Machado de Assis –, e são apresentadas percepções
e avaliações de duas das discentes envolvidas na disciplina. Ao associar as percepções discentes
com o relato de experiência, este trabalho se alinha à ideia de Kiraly (2000) sobre a importância
de se cultivar um ambiente de diálogo entre formadores/as, administradores/as e estudantes e de,
assim, buscar a criação de uma cultura de inovação que tenha como principal foco a constante
busca pelo conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-09-25

Como Citar

PRISCILLA COSTA, Daniel Alves Cristiane Bezerra. FORMAÇÃO DE TRADUTORES E TRADUTORAS: REFLEXÕES SOBRE A APLICAÇÃO DE UMA ATIVIDADE DE TRADUÇÃO, A PARTIR DE UMA ABORDAGEM SOCIOCONSTRUTIVISTA, NO CONTEXTO DE UMA UNIVERSIDADE BRASILEIRA. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 37, 2018. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/33767. Acesso em: 27 maio. 2024.