POR UMA ABORDAGEM HIERÁRQUICA DA GRAMATICALIZAÇÃO: UM EXERCÍCIO DE ANÁLISE

  • Michel Gustavo Fontes

Resumo

O objetivo deste artigo é caracterizar o que tem sido chamado de ‘abordagem hierárquica da
gramaticalização’ (cf. HENGEVELD, 2017; FONTES, 2016; 2018). A intenção é, portanto,
mostrar de que modo é possível compatibilizar os pressupostos teórico-metodológicos que
arquitetam o modelo da Gramática Discursivo-Funcional, de Hengeveld e Mackenzie (2008),
com os princípios que definem e identificam o processo de gramaticalização, em sua concepção
mais clássica (HOPPER; TRAUGOTT, 2003; BRINTON; TRAUGOTT, 2005). Para tanto, tomase, como objeto de estudo e de descrição linguística, a multifuncionalidade do item ‘ainda’ no
português contemporâneo, caracterizada, por Fontes (2016), a partir de quatro diferentes usos:
‘ainda’ fasal, ‘ainda’ polar, ‘ainda’ enfático e ‘ainda’ expansivo. O artigo demonstra que esses
quatro usos de ‘ainda’ evidenciam uma trajetória de gramaticalização que, com base na
Gramática Discursivo-Funcional, pode ser descrita a partir de dois tipos de mudança, conforme
propõe Hengeveld (2017): uma mudança de conteúdo, caracterizada pela expansão (ou pelo
aumento) nas relações de escopo contraídas por ‘ainda’, e uma mudança formal, marcada pela
decategorização de ‘ainda’.
Palavras-chave: funcionalismo; gramaticalização; Gramática Discursivo-Funcional.

Publicado
2019-10-08
Como Citar
GUSTAVO FONTES, M. POR UMA ABORDAGEM HIERÁRQUICA DA GRAMATICALIZAÇÃO: UM EXERCÍCIO DE ANÁLISE. Revista de Letras, v. 2, n. 38, 8 out. 2019.