ANÁLISE FUNCIONAL DE CONECTIVOS EM PORTUGUÊS: DA ABORDAGEM CLÁSSICA À CONSTRUCIONAL

  • Mariangela Rios Oliveira

Resumo

Neste artigo, tratamos da análise dos conectivos da língua portuguesa à luz dos
pressupostos do Funcionalismo. Na primeira seção, voltamo-nos para o tratamento
dos conectivos como classe gramatical do português, com foco em suas propriedades
funcionais. Na segunda seção, partimos de uma abordagem clássica dessa classe,
baseada nos pressupostos funcionalistas das décadas finais do século XX, a partir dos
fundamentos da gramaticalização e da investigação de itens específicos, como se
encontra em Givón (1979) e Heine et al (1991), entre outros. Na sequência, chegamos
ao tratamento dos conectivos na vertente da Linguística Funcional Centrada no Uso,
tendência recente de nossa pesquisa, que integra o tratamento construcional da
gramática ao Funcionalismo, nos termos de Traugott e Trousdale (2013) e Hilpert
(2014), entre outros. Nessa vertente atual, os conectivos são investigados em
perspectiva construcional, de modo mais amplo e holístico, levando em conta as
propriedades do contexto em que são usados e os níveis de vinculação de forma e
sentido de suas subpartes, conforme a taxonomia proposta por Diewald (2002, 2006).
Palavras-chave: Conectivos; análise funcional; análise construcional.

Publicado
2019-10-08
Como Citar
RIOS OLIVEIRA, M. ANÁLISE FUNCIONAL DE CONECTIVOS EM PORTUGUÊS: DA ABORDAGEM CLÁSSICA À CONSTRUCIONAL. Revista de Letras, v. 2, n. 38, 8 out. 2019.