UMA ANÁLISE RETÓRICO-LINGUÍSTICA DO DISCURSO DE PROCLAMAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DA GUINE-BISSAU

  • Léia Cruz de Menezes
  • Abdulai Danfá

Resumo

A partir da proposta de Menezes (2006, 2011) de estudo das expressões linguísticas modalizadoras deônticas na
construção da argumentação em discursos políticos, empreendemos análise retórico-linguística dos modos de atuação
das expressões deônticas constitutivas do discurso de proclamação da independência da Guiné-Bissau. Tendo em vista
a missão da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), como instituição de
ensino internacional, valorizamos o debruçar-se sobre os textos entendidos como marcos históricos dos países que
habitam a UNILAB, sob os mais diversos vieses. Entendemos que o estudo deste documento histórico sob o ponto de
vista retórico-linguístico auxilia às reflexões acerca do próprio conceito de nação guineense, construído
linguisticamente no discurso de proclamação da independência. Analisamos a íntegra do discurso de independência da
Guiné-Bissau com base nos parâmetros “alvo” e “fonte” dos valores semânticos deônticos instaurados no discurso,
bem como consideramos as partes constitutivas do discurso conforme delineadas pela retórica a fim de
compreendermos os efeitos de sentido gerados pelas expressões linguísticas modalizadoras deônticas na construção da
argumentação. Constatamos, ao longo de um discurso de sete páginas, a presença de vinte e nove expressões
modalizadoras deônticas, localizadas nas partes do discurso destinadas à apresentação de provas e ao epílogo, cuja
fonte emana de valores morais como a lealdade e que constroem um conceito de nação independente do julgo colonial
que só alcançou e manterá tal configuração se mantiver estrutura monopartidária.

Publicado
2019-10-08
Como Citar
MENEZES, L. C. DE; DANFÁ, A. UMA ANÁLISE RETÓRICO-LINGUÍSTICA DO DISCURSO DE PROCLAMAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DA GUINE-BISSAU. Revista de Letras, v. 2, n. 38, 8 out. 2019.