“NOCTURNO”, DE DELMIRA AGUSTINI : DIÁLOGO EXPERIÊNCIA E REFLEXÃO EM TRADUÇÃO INTERLINGUAL E INTERSEMÓTICA

Autores

  • Pablo Cardellino Soto Universidade de Brasília
  • Maria Selenir Nunes dos Santos – Sela

DOI:

https://doi.org/10.36517/revletras.42.1.18

Resumo

Este artigo é uma dupla tradução comentada do poema “Nocturno”, da poeta modernista uruguaia Delmira Agustini. A exegese do poema envolve uma análise qualitativa e subjetiva, e uma análise técnica baseada fundamentalmente em Antonio Quilis (1969) Uma tradução é interlingual, do espanhol para o português, e a outra, intersemiótica, do espanhol para a pintura, executadas por cada um dos autores do artigo. Em ambas, face ao ano de publicação do poema (1913), recusamos explicitamente a abordagem sincrônica. Questionamos os tipos de tradução de Jakobson (1959), observando que há aspectos intersemióticos em todos eles. O fundamento teórico acolhe também os trabalhos de Julio Plaza (2001), Umberto Eco (2003) e Haroldo de Campos (1963). Assumimos estas traduções como experiência e reflexão, conforme Antoine Berman (1989). No comentário é exposto o processo de tomada de decisão com ênfase nos aspectos intersemióticos e nas escolhas necessárias em função das diferenças de matéria. Nas considerações finais, damos destaque ao diálogo entre os autores durante o processo de pesquisa e às mútuas influências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-08-22

Como Citar

CARDELLINO SOTO, Pablo; MARIA SELENIR NUNES DOS SANTOS – SELA. “NOCTURNO”, DE DELMIRA AGUSTINI : DIÁLOGO EXPERIÊNCIA E REFLEXÃO EM TRADUÇÃO INTERLINGUAL E INTERSEMÓTICA. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 42, 2023. DOI: 10.36517/revletras.42.1.18. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/85192. Acesso em: 20 fev. 2024.