MÁS TORCIDA QUE UNA ESCARPIA : TRADUÇÃO E TRANSCRIÇÃO EM UM POEMA DE DAGMARA KRAUS

Autores

  • Leticia Hornos Weisz Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, Universidad de la República

DOI:

https://doi.org/10.36517/revletras.42.1.22

Resumo

Este artigo analisa as operações envolvidas na tradução do poema “kummerang” da poeta Dagmara Kraus (Polônia, 1981), traduzido para o espanhol por Micaela van Muylem e publicado na antologia de tradução (FRANK, 1998) El fin de la afirmación (2015). Entre as características mais notáveis do projeto poético de Kraus estão a operação com a materialidade significativa da linguagem e a manipulação lúdica de seu conteúdo semântico e fônico, fundamentalmente por meio da montagem paronomástica e a invenção de acrônimos e neologismos. Pela singularidade da trama poética, me concentro no estudo das estratégias através das quais a tradução  resolve a tensão entre invenção léxica, conteúdo semântico e sonoridade, ou seja, a tensão entre legibilidade e estranhamento. Para este fim, utilizo a plataforma teórica da transcreação de Haroldo de Campos e examino a busca experimental com os recursos composicionais do espanhol, um tipo de recriação paramórfica (CAMPOS, 2013), que recupera os deslocamentos do poema fonte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-08-22

Como Citar

HORNOS WEISZ, Leticia. MÁS TORCIDA QUE UNA ESCARPIA : TRADUÇÃO E TRANSCRIÇÃO EM UM POEMA DE DAGMARA KRAUS. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 42, 2023. DOI: 10.36517/revletras.42.1.22. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/88395. Acesso em: 16 jun. 2024.