PRIMEIRA ABORDAGEM SOBRE A PESCA DA SARDINHA-BANDEIRA, Opisthonema oglinum (LESUEUR, 1818) EM CAPONGA, CASCAVEL – CEARÁ, BRASIL

  • Geny Gil Sá Universidade Federal do Ceará
  • Reynaldo Amorim Marinho Universidade Federal do Ceará
  • Raimundo Nonato de Lima Conceição Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: pesca artesanal, sardinha-bandeira, opisthonema oglinum, caponga

Resumo

Nesta pesquisa foram realizadas visitas à praia da Caponga no período de abril a outubro de 2010. Foram coletados dados para a descrição da pesca da sardinha bandeira, Opisthonema oglinum, a caracterização da área e para o conhecimento das relações comerciais realizadas pelos pescadores. Também foram coletados e analisados os dados de produção pesqueira de sardinha no período de 2001 a 2008. A espécie estudada representou 8,6% da produção total de pescado obtido na costa cearense em 2006. E entre 2001 e 2008, atingiu 30,4 t do total de pescado desembarcado em Cascavel. São envolvidas pequenas embarcações chamadas paquetes. Rede de espera é o aparelho de pesca utilizado nesta faina pesqueira. Apesar de ser uma das espécies mais importantes na pesca artesanal da região, estudos relacionados à pesca de sardinha são ainda escassos. A comercialização da produção segue diversos caminhos, partindo dos pescadores e/ou dos donos de embarcações para os atravessadores, restaurantes e consumidores finais. A pesca da sardinha ocorre diariamente, durante todo o ano em Caponga e tal cenário pode gerar uma explotação desordenada de seus estoques, na medida em que estão sendo exercidas constantes pressões de pesca.

Biografia do Autor

Geny Gil Sá, Universidade Federal do Ceará
Engenheiro de Pesca e Mestrando do PRODEMA
Reynaldo Amorim Marinho, Universidade Federal do Ceará
Professor Adjunto do Departamento de Engenharia de Pesca
Raimundo Nonato de Lima Conceição, Universidade Federal do Ceará
Professor Adjunto do Departamento de Engenharia de Pesca
Publicado
2012-06-01
Seção
Artigos originais