TABELA DE VIDA DO CARANGUEJO-UÇÁ, Ucides cordatus (LINNAEUS, 1763) (DECAPODA: UCIDIDAE), NO MANGUEZAL DO RIO COREAÚ, NORDESTE DO BRASIL

  • Marcos de Miranda Leão Leite Universidade Federal do Ceará
  • Carla Ferreira Rezende Universidade Federal do Ceará
  • José Roberto Feitosa Silva Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: ucides cordatus, história de vida, valor reprodutivo, limitação espermática, curva de sobrevivência

Resumo

A hipótese do presente trabalho é a de que indivíduos machos, de Ucides cordatus, pertencentes às maiores classes de tamanho apresentem taxas de mortalidade superiores aos indivíduos de menor porte em função da seletividade da co- leta. A previsão é de que a curva de sobrevivência para a espécie seja do tipo I, caracterizada pela alta sobrevivência nas classes etárias/tamanhos menores e intermediárias, seguida da diminuição ao se aproximar da longevidade/tamanho má- ximo. Para testar essa previsão, foi utilizada como ferramenta a tabela de vida. Foram realizadas coletas bimestrais no período de janeiro/2004 a janeiro/2005 no manguezal do Rio Coreaú, Ceará. Os animais foram capturados por meio da técnica de “braceamento” e tiveram a largura do cefalotórax mensurada. Os valores de largura do cefalotórax foram dis- tribuídos em classes de tamanho. Para a construção da tabela de vida foi contabilizado o número de indivíduos mortos, por meio das capturas, em cada classe de tamanho, seguidos dos cálculos relativos aos demais parâmetros da tabela. Os resul- tados indicaram um maior percentual de sobreviventes nas menores classes de tamanho e uma alta mortalidade nas maiores classes, corroborando a previsão de que a curva gerada seria do tipo I.

Biografia do Autor

Marcos de Miranda Leão Leite, Universidade Federal do Ceará
Departamento de Biologia, Doutorando em Ecologia
Carla Ferreira Rezende, Universidade Federal do Ceará
Departamento de Biologia
José Roberto Feitosa Silva, Universidade Federal do Ceará
Departamento de Biologia
Publicado
2012-06-01
Seção
Artigos originais