CARACTERIZAÇÃO DA PESCARIA COM REDE DE EMALHAR DERIVANTE REALIZADA NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA, ESTADO DO CEARÁ

  • Pedro Bastos de Macedo Carneiro Instituto de Ciências do Mar, Universidade Federal do Ceará.
  • Rodrigo Salles
Palavras-chave: pescaria, rede de emalhar derivante, tecnologia, meio ambiente, economia.

Resumo

A rede de emalhar derivante é utilizada na superfície, movendo-se ao sabor das correntes marinhas. O estudo visa avaliar os aspectos tecnológicos, ambientais e econômicos da pesca praticada pelos pescadores do Porto Mucuripe, Fortaleza– CE. Entre dezembro de 2006 e fevereiro de 2008 foram realizadas 17 entrevistas abertas, 28 controles do desembarque e uma viagem de acompanhamento da pescara. A variação no comprimento total das redes oscilou entre 600 e 4.050 m, com média de 3.200 m, e a altura variou entre 3 e 5 m. Dentre as espécies capturadas, a serra, Scomberomorus brasiliensis, apresentou a maior participação em número de indivíduos (68%) e peso (56%), seguida pela cavala, S. cavalla, com 20% e 25%, respectivamente. O índice de abundância (CPUE) geral foi de 1,57 kg/100m de rede. Constatou-se que a serra é predominantemente capturada na fase adulta do ciclo vital, com a participação de menos de 5% de indivíduos abaixo do comprimento na 1° maturidade sexual (L50). Em relação à cavala verificou-se o oposto, com a participação de apenas 16,2% de indivíduos acima de L50. O lucro bruto representou 34,2% do total da receita gerada com este sistema de pesca. Sugere-se como medida de ordenamento o uso de redes com malhas a partir de 11 cm entre nós opostos.

Biografia do Autor

Rodrigo Salles
Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Ceará
Publicado
2011-05-01
Seção
Artigos originais