CULTIVO DE ROTÍFERO Brachionus plicatilis (MÜLLER, 1786) COM DIFERENTES ESPÉCIES DE MICROALGAS E DIETA FORMULADA

  • Wanessa de Melo Costa Mestre em Recursos Pesqueiros e Aqüicultura do Departamento de Pesca e Aqüicultura Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Januária Cavalcanti Cezar de Albuquerque Engenheira de Pesca pela Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Marina Bezerra Figueiredo Mestre em Rec. Pesqueiros e Aqüicultura pela Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Anna Maria Alencar Cavalcanti Graduanda em Engenharia de Pesca da Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Gláucia Andreza de Brito da Silva Graduanda em Engenharia de Pesca da Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Alfredo Olivera Gálvez Professor adjunto da Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Isabela Bacalhau de Oliveira Departamento de Pesca e Aqüicultura Universidade Federal Rural de Pernambuco
Palavras-chave: rotífero, Brachionus plicatilis, cultivo, microalgas, dieta formulada, Culture Selco Plus

Resumo

O presente trabalho consta de dois experimentos os quais avaliaram o cultivo do rotífero Brachionus plicatilis através da densidade populacional, taxas de crescimento e reprodutiva e produção de ovos. O experimento 1 foi realizado com três tratamentos: diferentes espécies de microalgas: Chaetoceros calcitrans, na densidade de 2,5 x 104 cél.mL-1, Isochrysis galbana e Nannochloropsis sp., na densidade 5 x 104 cél.mL-1 para ambas as espécies. Apesar de não haver diferenças signifi cativas entre os tratamentos com as diferentes espécies de microalgas, pode-se concluir que a microalga I. galbana é mais efi caz no cultivo de rotíferos. No experimento 2, com dieta formulada Culture Selco®Plus (CSP) as densidades iniciais de rotíferos foram: 250, 150 e 50 rotíferos.mL-1, tratamentos 1, 2 e 3, respectivamente. Observou-se maior densidade populacional ao fi nal do cultivo (média de 122 rotíferos.mL-1) quando a densidade inicial foi 250 rotíferos.mL-1 (p<0,05). No tratamento 3, a taxa de crescimento populacional e taxa de duplicação obtiveram valores positivos (0,110,09). A taxa reprodutiva foi superior a 0,25 nos tratamentos 2 e 3. A média dos valores de amônia ao fi nal do experimento 2 foram inferiores às recomendadas pela literatura. As densidades iniciais de rotíferos no cultivo infl uenciam a densidade populacional, e taxas de crescimento e reprodutiva do rotífero B. plicatilis alimentado com CSP.
Publicado
2009-12-01
Seção
Artigos originais