A RELAÇÃO TRABALHO-EDUCAÇÃO NO PENSAMENTO DE MARX: UM ESTUDO DOS MANUSCRITOS ECONÔMICO-FILOSÓFICOS (1844)

  • José Salvador de Almeida
  • Eduardo Ferreira Chagas
Palavras-chave: Relação trabalho-educação, Marx, Trabalho estranhado, Homem, Capitalismo

Resumo

Este artigo objetiva demonstrar e explicitar a relação entre trabalho-educação no pensamento de Marx, a partir de um estudo dos Manuscritos econômico-filosóficos (1844), especificamente, do manuscrito intitulado, a saber: Trabalho Estranhado e Propriedade Privada. Neste trabalho, apresentamos, inicialmente, o debate de Marx com a economia nacional e, na sequência, a teoria sobre o estranhamento na essência do trabalho [trabalho estranhado] e, por fim, a relação trabalho-educação para este pensador materialista. Durante o desenvolvimento da referida pesquisa, adotamos como procedimento metodológico o método dialético-crítico-reflexivo, pois tal método, no nosso entendimento, permite uma melhor compreensão dos escritos de Marx. Ao final da pesquisa, evidenciamos que existe uma relação íntima entre trabalho-educação no pensamento de Marx, pois a educação deve proporcionar ao homem (trabalhador) uma relação imediata e de reconhecimento entre o trabalho (atividade vital consciente e livre) e a produção, isto é, entre o trabalhador e os objetos da produção. No capitalismo, tal relação, portanto, se apresenta como uma relação hostil e estranha, pois o trabalhador não se reconhece no produto do seu próprio trabalho, uma vez que este trabalho se apresenta como trabalho estranhado.

Referências

AMORIM, Maria Luísa de Aguiar. Trabalho e formação humana em Marx. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2014.
CHAGAS, Eduardo Ferreira. A natureza dúplice do trabalho em Marx: trabalho útil-concreto e trabalho abstrato. In: Outubro – Revista do Instituto de Estudos Socialistas. Nº 19. Campinas - São Paulo, 2011.
KONDER, Leandro. Marx – Vida e obra. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
MANACORDA, Mario Alighiero. Marx e a pedagogia moderna. São Paulo: Cortez: 1991.
MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. Manifesto Comunista. Organização e introdução de Osvaldo Coggiola. São Paulo: Editorial Boitempo, 2007.
MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. Tradução, apresentação e notas de Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo Editorial, 2010.
MARX, Karl. O Capital: Crítica da Economia Política - Livro I: O processo de produção do capital. Vol. I. Tradução de Reginaldo Sant’Ana - 26ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.
MARX, Karl. O Capital: Crítica da Economia Política – Livro I: O processo de produção do capital. Tradução: Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.
Marx, Karl; ENGELS, Friedrich. Textos sobre educação e ensino. Campinas: SP: Navegando, 2011. (organizador: José Claudinei Lombardi).
MÉSZÁROS, Istvan. A educação para além do capital. [tradução Isa Tavares]. – 2. Ed.- São Paulo: Boitempo, 2008.
NOGUEIRA, Maria Alice. Educação, saber, produção em Marx e Engels. 2ª ed. – São Paulo: Cortez, 1993.
RANIERI, Jesus José. Alienação e estranhamento em Marx: dos Manuscritos econômico – filosóficos de 1844 à ideologia alemã / Jesus José Ranieri. Campinas, SP: [s.n.], 2000.
SOBRAL, Fábio Maia. Concepção circular de homem em Marx: um estudo a partir dos Manuscritos Econômico-Filosóficos de 1844. São Paulo: Editora Nojosa, 2005.
SUCHODOLSKI, Bogdan. Teoria Marxista da Educação. Tradução de Maria Carlota Melo. Editorial Estampa, Lisboa, 1976.
Publicado
2019-07-17
Seção
Artigos Fluxo Contínuo