ERNST BLOCH HOJE

  • Alysson Leandro Mascaro
Palavras-chave: Ernst Bloch, Utopia, Filosofia, Marxismo, Socialismo

Resumo

A filosofia de Ernst Bloch foi peculiar no tempo em que se desenvolveu. Muito por conta disso, é viva e capaz de enfrentar os problemas do presente. Este texto propõe ler a atualidade blochiana em cinco frentes: a) filosofia – Bloch não esteve enredado nas modas teóricas do século XX; b) marxismo – foi revolucionário, rigoroso e exigente com as lutas socialistas; c) política e direito – aponta para o fim do Estado e da forma jurídica; d) estética – sua posição de vanguarda se mantém; e) utopia – é combatido pelo realismo capitalista presente, que argumenta pela impossibilidade das alternativas, e também pelas postulações “éticas” que opõem a responsabilidade à utopia, mantendo os padrões da exploração capitalista, mas exatamente aí está a importância central da filosofia da esperança socialista ao presente.

Referências

A obra completa de Ernst Bloch foi publicada pela Suhrkamp Verlag, de Frankfurt, com edições em 1977 e 1985. Seguem seus livros referenciados neste artigo com o ano de sua publicação inicial:
BLOCH, Ernst. Atheismus im Christentum. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main, 1968.
BLOCH, Ernst. Das Materialismusproblem, seine Geschichte und Substanz. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main, 1972.
BLOCH, Ernst. Das Prinzip Hoffnung. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main, 1954-1959.
BLOCH, Ernst. Erbschaft dieser Zeit. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main,1935.
BLOCH, Ernst. Experimentum Mundi: Frage, Kategorien des Herausbringens, Praxis. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main, 1975
BLOCH, Ernst. Geist der Utopie. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main, 1918 ; 1923.
BLOCH, Ernst. Naturrecht und menschliche Würde. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main, 1961.
BLOCH, Ernst. Spuren. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main, 1930.
BLOCH, Ernst. Subjekt – Objekt. Erläuterungen zu Hegel. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main,1949.
BLOCH, Ernst. Thomas Müntzer als Theologe der Revolution. Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main, 1921.
Publicado
2021-04-30
Seção
Dossiê Ernst Bloch