Repositórios digitais como espaços de memória e disseminação de informação

  • Isledna Rodrigues de Almeida Universidade Federal da Paraíba
  • Bernardina Maria J. F. de Oliveira Universidade Federal da Paraíba
  • Maria Nilza Barbosa Rosa Universidade Federal da Paraíba
Palavras-chave: Informação, Repositório, Memória Institucional, Espaços de Memória

Resumo

Os Repositórios Digitais (RD) surgiram no contexto do movimento do acesso livre à informação, sendo uma forma de disseminação da produção do conhecimento. Dentre os tipos de RD, estão os Repositórios Digitais Institucionais (RDI’s), que se tornaram instrumentos populares no meio acadêmico por assegurar o acesso rápido e prático às produções científicas de qualidade associadas à marca institucional, garantir a memória institucional e prover dados para os serviços oferecidos pelas redes sociais acadêmicas, ou seja, são espaços memorialísticos para preservação da informação. Este artigo tem como objetivo realizar uma pesquisa documental para coletar informações sobre os RD, RDI’s e Espaços de Memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARELLANO, M. A. Critérios para a preservação digital da informação científica. 2008. 356 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: repositorio.bce.unb.br/handle/10482/1518. Acesso em: 10 out. 2019

ASSMANN, A. T. Locais. In: ASSMANN, A. T. Espaços de recordação: formas e transformações da memória cultural. Campinas: Unicamp, 2001

ÁVILA, B. T.; SILVA, M.; CAVALCANTE, L. Uso de repositórios digitais como fonte de informação por membros das universidades federais brasileiras. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 27, n. 3, p. 97-120, set./dez. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/31514/pdf. Acesso em: 10 out. 2019

BIREME. Guia 2001 de desenvolvimento da Biblioteca Virtual em Saúde. São Paulo, 2001. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_tecnologias_modelo_bvs.pdf. Acesso em: 14 ago. 2019.

BOSI, A. Considerações sobre o tempo e a informação. Seminário “Internet, mente e sociedade”. São Paulo: IEA-USP, 1995. Disponível em: http://200.144.254.127:8080/textos/bosiinternet.pdf. Acesso em: 12 ago. 2019.

BUCKLAND, M.K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, v. 45, n. 5, p. 351- 360, 1991.

BRUM, Marco Antonio Carvalho; BARBOS, Ricardo Rodrigues. Comportamento de busca e uso da informação: um estudo com alunos participantes de empresas juniores. Perspect. ciênc. inf., Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 52-75, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-99362009000200005&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 11 out. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-99362009000200005

BURKE, P. Uma história social do conhecimento: de Gutemberg a Diderot. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. 241 p. ISBN 85-7110-711-4

CAMPELLO, B. S.; CENDÓN, B. V.; KREMER, J. M. (org.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2002.

COCCO, A. P.; RODRIGUES, R. S. Repositórios institucionais de acesso aberto: Cenário nos países Ibero-Americanos. Informação e Sociedade, v. 24, n. 2, p. 111–120, 2014.

COSTA, S. Abordagens, estratégias e ferramentas para o acesso aberto via periódicos e repositórios institucionais em instituições acadêmicas brasileiras. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.4, n.2, p. 218–232, set. 2008. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/16048. Acesso em: 10 jul. 2019.

DODEBEI, V. Repositórios institucionais: por uma memória criativa no ciberespaço. In: SAYÃO, L. et. al. (org). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009. 365 p. ISBN 978-85-232-0655-0.

DODEBEI, V.; GOUVEIA, I. Memória do futuro no ciberespaço: entre lembrar e esquecer. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação. Brasília, v. 9, n. 5, out. 2008.

FERREIRA, J.; AMARAL, A. Memória eletrônica e desterritorialização. Revista Sociologia, n. 4, p. 137-166, abr. 2004

FERREIRA, M. Introdução à preservação digital: conceitos, estratégias e actuais consensos. Universidade do Minho: Escola de Engenharia, 2006. Disponível em: http://eprints.rclis.org/archive/00007977/01/livro.pdf. Acesso em: 1 ago. 2019

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Redes digitales y exomemoria. In: CONGRESO IBÉRICO: LA SOCIEDAD DE LA COMUNICACIÓN, 2001, Málaga. Anais eletrônicos [...]. Málaga: [s.n.], 2001. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=758654
Acesso em: 21 jul. 2019.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

INDOLFO, A. C. Gestão de documentos: uma renovação epistemológica no universo da arquivologia. Arquivistica.net [on-line], Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 28-60, jul./dez. 2007. Disponível em: http://basessibi.c3sl.ufpr.br/brapci/index.php/article/view/0000005190/add166474ac417 c72d0570eb86fb185d. Acesso em: 20 abr. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT). RI: repositórios institucionais: boas práticas para a construção de repositórios institucionais da produção científica. Brasília: IBICT, 2012. Disponível em: http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/703/1/BoasprAticasparaconstruCAorepositoriosinstitucionaisdaproduCAocientifica.pdf. Acesso em: 04 ago. 2019.

LE GOFF, J. História e memória. Campinas, SP: Ed. da Unicamp, 1990. 553 p. (Coleção Repertórios) ISBN 85-268- 0180-5

LEITE, F. C. L. Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: repositórios institucionais de acesso aberto. Brasília: Ibict, 2009. 120 p.

LEITE, F. et al. Boas práticas para a construção de repositórios institucionais da produção científica. Brasília: IBICT, 2012. Disponível em: http://livroaberto.ibict.br/handle/1/703. Acesso em: 27 jul. 2019.

MIRANDA, M.; GALINDO, M.; VILA NOVA, S. Política de Preservação Digital nos Repositórios Institucionais de Acesso Livre: o caso das Instituições de Ensino Superior no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 12, 2011, Brasília. Anais [...]. Brasília: ENANCIB, 2011. Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/enancibXII/paper/view/1028
Acesso em: 10 out. 2019

MONTEIRO, Silvana; CARELLI, Ana; PICKLER, Maria Elisa. Representação e memória no ciberespaço. Ci. Inf., Brasília, v. 35, n. 3, p. 115-123, dez. 2006 . Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19652006000300011&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 ago. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-19652006000300011.

MORENO, Fernanda Passini; LEITE, Fernando César Lima; ARELLANO, Miguel Ángel Márdero. Acesso livre a publicações e repositórios digitais em ciência da informação no Brasil. Perspect. ciênc. inf., Belo Horizonte, v. 11, n. 1, p. 82-94, abr. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-99362006000100007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 out. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-99362006000100007.

OLIVEIRA, E. B. RODRIGUES, G. M. O Conceito de memória na Ciência da Informação: análise das teses e dissertações dos programas de pós-graduação. In: MARIZ, A. C. A.; JARDIM, J. M.; SILVA, S. C. de A. (org.). Novas dimensões da pesquisa e do ensino da Arquivologia no Brasil. Rio de Janeiro: Móbile, 2012. p. 495-511
Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3302 Acesso em: 15 set. 2019

MURAKAMI, T. R. M.; FAUSTO, S. Panorama atual dos Repositórios Institucionais das Instituições de Ensino Superior no Brasil. Incid, São Paulo, v. 4, n. 2, p.185-201, set. 2013. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/69327. Acesso em: 18 jul. 2019.

NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, n. 10. São Paulo: PUC/SP, 1993.

RUEDA, V. M. S.; FREITAS, A.; VALLS, V. M. Memória Institucional: uma revisão de literatura. CRB-8 Digital, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 78-89, abr. 2011. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/download/46587. Acesso em: 11 ago. 2019.

SAYÃO, Luis Fernando; MARCONDES, Carlos Henrique. Introdução: repositórios institucionais e livre acesso. In: SAYÃO, Luís et al. (org.). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009.

SAYÃO, Luís Fernando; SALES, Luana Farias. Guia de Gestão de Pesquisa para bibliotecários e pesquisadores. Rio de Janeiro: CNEN, 2015.

SILVA, Daniele Augusta dos Santos; GODOY, Emília Soares da Silva. O arquivo na construção da memória institucional. RBBD. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 13, p. 2767-2778, dez. 2017. ISSN 1980-6949. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/912/971. Acesso em: 11 out. 2019.

THIESEN, I. Memória institucional. João Pessoa: Editora da UFPB, 2013. 312 p.

VIANA, C. L. M.; ARELLANO, M. A. M. Repositórios Institucionais baseados em Dspace e Eprints e sua visibilidade nas instituições acadêmico-científicas. In: Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, 2006, Salvador. Anais. Salvador: UFBA, 2006. p. 1-15.
Publicado
2019-11-02
Como Citar
ALMEIDA, I. R. DE; OLIVEIRA, B. M. J. F. DE; ROSA, M. N. B. Repositórios digitais como espaços de memória e disseminação de informação. Informação em Pauta, v. 4, n. especial 2, p. 117-131, 2 nov. 2019.

Artigos do(s) mesmo(s) autor(es) mais lidos