A interlocução da qualificação profissional e dos mecanismos de transferência de informação para a gestão dos repositórios digitais em saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36517/2525-3468.ip.v7i00.2022.78596.1-22

Palavras-chave:

Dispositivos e mecanismos de transferência das informações em saúde, Registros eletrônicos e repositórios em saúde, Tipologias documentais, Organismos produtores de serviços de atenção à saúde, Departamento de informática do Sistema Único de Saúde

Resumo

Introdução: os mecanismos de transferência das informações orgânicas dos Organismos Produtores de Serviços de Atenção à Saúde (OPSAS) possibilitam o fluxo dos registros eletrônicos aos repositórios institucionais no Brasil. Objetivos: conhecer os mecanismos de transferência das informações entre os OPSAS e os repositórios do Portal do DATASUS; identificar a qualificação dos profissionais que atuam no tratamento e na organização para o acesso às informações orgânicas em saúde disponibilizadas no Portal do DATASUS. Metodologia: a pesquisa tem uma abordagem quantitativa e qualitativa; em relação aos objetivos é exploratória e descritiva; bibliográfica, documental e de campo; entrevistas realizadas com os gestores de TI e Arquivos dos OPSAS da amostra e do DATASUS; técnicas de análise utilizadas são a Estatística Descritiva e Análise de Conteúdo. Resultados: o acesso às informações em saúde é dependente de dispositivos e tecnologias para o fluxo dos registros eletrônicos em saúde (RES) entre os OPSAS e os repositórios do Portal do DATASUS; os mecanismos de transferência das informações ainda são poucos utilizados ou desconhecidos para o desempenho dos processos laborais e decisórios, bem como para a geração e difusão de conhecimentos em saúde; os resultados apontam a ausência de qualificação em gestão arquivística de documentos (GAD) para os profissionais que gerenciam os RES. Conclusão: recomenda-se aos profissionais e gestores dos OPSAS e do DATASUS, a adoção de protocolos, procedimentos e processos de GAD, em consonância aos da TI, com a finalidade de garantir o acesso aos RES.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Roseno Ferreira de Matos Júnior, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Graduando do Bacharelado em Direito pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), tem formação no Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades pelo Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC), da UFBA, com área de concentração em Estudos Jurídicos. De 2018 a 2021, foi bolsista de Iniciação Cientifica no Grupo de Estudos de Políticas de Informação, Comunicações e Conhecimento (GEPICC), do Instituto de Ciência da Informação (ICI-UFBA).

Louise Anunciação Fonseca de Oliveira do Amaral, Universidade Federal Fluminense - UFF

Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Federal Fluminense. Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Bahia (2012). Possui graduação em Relações Públicas pela Universidade Católica do Salvador (2006), em Arquivologia pela Universidade Federal da Bahia (2008) e especialização em Gestão da Comunicação Organizacional Integrada pela Universidade Federal da Bahia (2008). Arquivista da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (UFBA). É membro do Grupo de Estudos sobre Cultura, Representação e Informação Digitais (CRIDI, UFBA, CNPq, 2005), do Grupo de Estudos de Políticas de Informação, Comunicações e Conhecimento (GEPICC, UFBA, CNPq, 1995) e do Grupo Documentos Digitais: Gestão, Preservação, Acesso e Transparência Ativa (Ged/A, CNPq, UFF).

Rodrigo França Meirelles, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Mestre em Ciência da Informação, Bacharel em Biblioteconomia e Documentação e Doutorando em Difusão do Conhecimento pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atualmente é Professor do Instituto de Ciência da Informação (ICI/UFBA), Membro do Grupo Gestor do Repositório Institucional da UFBA e do Comitê de Segurança de Informação e Comunicações da UFBA. Tem experiência em Tecnologia da Informação, com enfoque em projetos, ensino e implementação de Sistema de Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: periódicos eletrônicos, bibliotecas digitais, repositórios digitais, gerenciadores de conteúdo e de outros mecanismos e padrões de indexação, disseminação e recuperação da informação.

Francisco José Aragão Pedroza Cunha, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Doutor em Difusão do Conhecimento pelo Programa de Pós-gradução Multi-institucional e Multidiciplinar da Faculdade de Educação da UFBA (2012). Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Católica do Salvador (1985) e mestrado em Ciência da Informação pela UFBA (2005). Professor Associado do Departamento de Documentação e Informação da UFBA. Professor permanente dos Programas de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da UFBA e do Doutorado Multi-institucional e Multidiciplinar em Difusão do Conhecimento (DMMDC) da Faculdade de Educação da UFBA. Pesquisa os seguintes temas: arquivística, gestão de documentos, gestão da informação, gestão do conhecimento, gestão cultural, gestão hospitalar, sistemas de informação, ensino e aprendizagem e comunicação organizacional, ciência da informação, saúde coletiva, redes sociais, inovação tecnológica, economia da inovação, sistemas de representação do conhecimento e políticas de informação. É professor convidado do NCPA/NPGA da Escola de Administração da UFBA no Curso de Gestão dos Serviços de Saúde. É especialista em Auditoria Interna (UCSAL/UNEB/1994), Administração Hospitalar (CEDAS/2001) e Gestão da Inovação Tecnológica em Arranjos Produtivos Locais (APLs) (Escola de Administração/UFBA) . Membro do Grupo de Estudos de Políticas de Informação, Comunicações e Conhecimento (GEPICC) registrado no CNPq. Coordenador do Grupo Temático Informação em Saúde e População (GTISP) da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) e foi membro da Câmara Setorial de Arquivos de Instituições de Saúde (CSAIS) do Conselho Nacional de Arquivos (CONARQ).Colaborador da Rede de Inovação e Aprendizagem em Gestão Hospitalar (Rede InovarH-BA). Coordenador do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Arquivologia/UFBA. Membro do Conselho Acadêmico e Ensino (CAE) da UFBA e do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) da UFBA. Atualmente coordena o projeto Gestão e preservação de documentos digitais: bases para a aprendizagem e inovação organizacional em hospitais do Brasil e da Espanha- Fase 1 - EDITAL PROPCI/UFBA 01/2020 . Coordenou a pesquisa sobre "Informação, Documentos, Arquivos e Repositórios em Saúde: Mecanismos de Difusão de Conhecimento para as Inovações Gerenciais nos Sistemas de Saúde", projeto financiado pelo Programa de Apoio a Jovens Professores Doutores (PROPESQ); Chamada Universal MCTI/CNPq n.º 01/2016 ; e, PIBIC 2016-2017, 2017-2018; 2018-2019; 2019-2020. Este projeto é um desdobramento de uma pesquisa sobre Mecanismos de Difusão de Conhecimentos Gerenciais entre os Sistemas e Redes de Atenção à Saúde: Gestão de Documentos Bases para a Aprendizagem e a Inovação Organizacional em Hospitais, financiada pelos seguintes programas: Programa de Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde ? PPSUS ? BA ? FAPESB/SESAB/CNPq; PROPCI-PROEXT-PROPG/UFBA 01/2013 PROUFBA ? Programa Pense, Pesquise e Inove a UFBA; PIBIC 2015-2016.

Referências

ARQUIVO NACIONAL. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. (Publicações Técnicas, 51). Disponível em: http://www.arquivonacional.gov.br/images/pdf/Dicion_Term_Arquiv.pdf. Acesso em: 15 maio 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA (ABRASCO). Grupo Técnico de Informação em Saúde e População – GTISP (Org.). 3º Plano Diretor de Informação e Tecnologia de Informação em Saúde: 2020-2024. Rio de Janeiro, RJ: ABRASCO, 2020. Disponível em: https://www.abrasco.org.br/site/wp-content/uploads/2015/06/GT_informacao_plano-diretor.pdf. Acesso em: 15 jun. 2021.

BAHIA, E. M. dos S. Conhecimento, inovação e documentação em unidades de saúde. Biblos: revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação, Rio Grande, v. 30, n. 1, p. 142-155, 2016. Disponível em: https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/6293. Acesso em: 12 nov. 2021.

BAHIA, E. M. dos S. Competências arquivísticas no mercado de trabalho. Curitiba: Appris, 2018.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2016.

BARROS, M. H. T. C. Disseminação da informação: entre a teoria e a prática. Marília: s.n., 2003.

BELLOTTO, H. L. Identificação de fundos. In: Arquivos permanentes: tratamento documental. 2 ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2004. p.127-134.

BRASIL. Departamento de Informática do SUS. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do SUS: DATASUS. DATASUS. 2021. Disponível em: https://datasus.saude.gov.br/. Acesso em: 03 ago. 2020.

BRASIL, Departamento de Informática do SUS. Ministério da Saúde. Catálogo de produtos DATASUS. 2019a. Disponível em: https://datasus.saude.gov.br/wp-content/uploads/2019/08/Catalogo-de-Produtos-DATASUS.pdf. Acesso em: 03 ago. 2020.

BRASIL. Lei nº 8.159 de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8159.htm. Acesso em: 11 nov. 2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 55. ed. Brasília: Saraiva, 2018. 527 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. PDTIC 2019 - 2021: Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. Brasília: Brasil, 2019b. Disponível em: https://datasus.saude.gov.br/wp-content/uploads/2019/08/PDTIC-2019-A-2021-FINAL-14-DE-AGOSTO-2019.pdf. Acesso em: 02 out. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria GM/MS Nº 1.768, de 30 de julho de 2021. Política Nacional de Informação e Informática em Saúde (PNIIS), Brasília, 2021. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-gm/ms-n-1.768-de-30-de-julho-de-2021-335472332. Acesso em: 5 dez. 2021.

BRASIL. Legislação Federal Brasileira. 2020a. Disponível em: https://legislacao.presidencia.gov.br/. Acesso em: 02 out. 2020.

BRASIL. Tabnet: informação em saúde. Informação em Saúde. 2020b. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/. Acesso em: 06 nov. 2020.

CANÊO, P. K.; RONDINA, J. M. Prontuário Eletrônico do Paciente: conhecendo as experiências de sua implantação. J. Health Inform., São Paulo, v. 6, n. 2, p.67-71, abr. 2014. Disponível em: http://www.jhi-sbis.saude.ws/ojs-jhi/index.php/jhi-sbis/article/view/289. Acesso em: 04 jun. 2021.

CAPURRO, R.; HJORLAND, B.. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, p.148-207, abr. 2007. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/54/47. Acesso em: 12 nov. 2021.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS (CIA). Norma internacional para descrição de funções: ISDF. 1 ed. Dresden: CIA, 2007. 75 p.

CARMONA MENDO, C.. Consideraciones sobre el método en archivística. Documenta & Instrumenta, Madrid, v. 1, n. 1, p.35-46, dez. 2004. Disponível em: http://revistas.ucm.es/index.php/DOCU/article/view/DOCU0404110035A. Acesso em: 12 abr. 2021.

CUNHA, F. J. A. P. A gestão da informação nos hospitais: importância do prontuário eletrônico na integração de sistemas de informação em saúde. 2005. 227 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Ciência da Informação, Instituto de Ciências da Informação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/8174/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o_Francisco%20Pedroza.pdf. Acesso em: 04 jun. 2021.

CUNHA, F.J.A.P. Os registros das informações orgânicas em saúde: a Arquivologia e os Arquivistas no enfrentamento das pandemias (2020). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Tv0waiEve-M. Acesso em: 23 out. 2021.

CUNHA, F. J. A. P.; OLIVEIRA, L. A. F. DE; LIMA, G. L. DE Q. A função de
avaliação na gestão documental em hospitais. Acervo, v. 28, n. 2 jul-dez, p. 206- 25, 27 nov. 2015a. Disponível em:
http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/633. Acesso em: 14 nov. 2021.

CUNHA, F. J. A. P.; LIMA, G. L. de Q.; OLIVEIRA, L. A. F. de. A gestão de documentos e a política brasileira de informação e informática em saúde. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 16, 2015, João Pessoa. Anais.... João Pessoa: Ancib, 2015b. p. 1 - 19. Disponível em: http://www.ufpb.br/evento/index.php/enancib2015/enancib2015/paper/viewFile/2929/1263. Acesso em: 16 out. 2021.

DANTAS, A. V. A Questão Democrática e a Reforma Sanitária Brasileira: um debate tático e estratégico. In: FLEURY, Sonia (Org.). Teoria da Reforma Sanitária: diálogos críticos. 22. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2018. Cap. 5. p. 145-181.

FLEURY, S. O Vírus, os Parasitas e os Vampiros: Covid-19, desmonte do SUS e a EC 95. 2020. Disponível em: http://cebes.org.br/2020/03/o-virus-os-parasitas-e-os-vampiros-covid-19-desmonte-do-sus-e-a-ec-95. Acesso em: 03 ago. 2021.

FLORES, D.; ROCCO, B. C. B.; SANTOS, H. M. D. Cadeia de custódia para documentos arquivísticos digitais. Acervo - Revista do Arquivo Nacional, v. 29, n. 2, p. 117-132, 2016. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/40511. Acesso em: 25 out. 2021.

GAVA, T. B. S.; FLORES, D. Repositórios arquivísticos digitais confiáveis (RDC-Arq) como plataforma de preservação digital em um ambiente de gestão arquivística. Informação & Informação, v. 25, n. 2, p. 74-99, 2020. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/38411. Acesso em: 23 set. 2021.

GONZÁLEZ DE GOMES, M. N.. Metodologia de pesquisa no campo da Ciência da Informação. Datagramazero - Revista de Ciência da Informação, Brasília, v. 1, p.4, dez. 2000. Disponível em: http://repositorio.ibict.br/bitstream/123456789/127/1/GomesDataGramaZero2000.pdf. Acesso em: 12 nov. 2021.

GONZÁLEZ DE GOMES, M. N. A representação do conhecimento e o conhecimento da representação: algumas questões epistemológicas. Ciência da Informação, Brasília, v. 22, n. 3, p. 217-222, set./dez. 1993. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/479. Acesso em: 23 out. 2021.

JARDIM, J. M. Políticas públicas arquivísticas: princípios, atores e processos. Arquivo & Administração, v. 5, n. 2, 2006. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/51586. Acesso em: 03 ago. 2021.

JARDIM, J. M. A implantação da lei de acesso à informação pública e a gestão da informação arquivística governamental. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p.383-405, nov. 2013. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3495. Acesso em: 29 ago. 2021.

LOUSADA, M.; VALENTIM, M. L. P.. A relação ente a informação orgânica e a gestão documental. In: VALENTIM, M. (Org.). Gestão, mediação e uso da informação. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. 390 p. Disponível em: http://books.scielo.org/id/j4gkh/pdf/valentim-9788579831171-18.pdf. Acesso em: 13 ago. 2021.

LIMA, G. L. de Q.; Amaral, L. A. F. de O.; Matos, M. T. N. de B.; Pereira, H. B. de B.; Cunha, F. J.A. P. A importância das espécies e tipologias documentais para a mediação dos procedimentos assistenciais e administrativos nos organismos produtores de serviços de atenção à saúde. Revista de Saúde Digital e Tecnologias Educacionais, Fortaleza, v. 3, n. , p.4-17, nov. 2018. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/resdite/article/view/39697. Acesso em: 24 fev. 2021.

MEIRELLES, R. F.; CUNHA, F. J. A. P.. Autenticidade e preservação de Registros Eletrônicos em Saúde: proposta de modelagem da cadeia de custódia das informações orgânicas do Sistema Único de Saúde. RECIIS - Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde, v. 14, n. 3, p. 580-596, 2020. Disponível em: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/2117. Acesso em: 24 fev. 2021.

NOVAES, H. T.; LIMA FILHO, P. A. de. Uma pedra proto-socialista num
colar pró-capital financeiro: notas sobre a política pública de Economia Solidária no
Governo Lula. Disponível em: https://fbes.org.br/wp-content/uploads/Acervo/Publica%C3%A7%C3%B5es/novaes_lima_filho_pedra_proto_socialista_colar_pro_capital.pdf. Acesso em: 06 nov. 2021.

OLIVEIRA, D. M.; RODRIGUES, L. A. da S.; FROGERI, R. F.; PORTUGAL JUNIOR, P. dos S. Habilidades e competências do profissional da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (ENANCIB), 20., 2019, Santa Catarina. Anais... Santa Catarina, 2019.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Brasil precisa colocar direitos humanos à frente da austeridade fiscal, dizem relatores da ONU. 2018. Disponível em: https://nacoesunidas.org/brasil-precisa-colocar-direitos-humanos-a-frente-da-austeridade-fiscal-dizem-relatores-da-onu. Acesso em: 31 jul. 2021.

PEREIRA JÚNIOR, N. O Apoio Institucional no SUS: os dilemas da integração interfederativo e da cogestão. São Paulo: Hucitec Editora, 2018. 198 p.

RASELLA, D. et al. Mortality associated with alternative primary healthcare policies: a nationwide microsimulation modelling study in Brazil. Bmc Medicine, California, [s.l.], v. 17, n. 1, p.1-11, 26 abr. 2019. Disponível em: https://bmcmedicine.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12916-019-1316-7. Acesso em: 31 jul. 2021.

REDE INOVARH-BA. Apresentação. 2019. Disponível em: http://www.inovarh.ufba.br/apresentacao. Acesso em: 31 jul. 2019.

RODRIGUES, A. C. Identificação arquivística: como pesquisar o órgão produtor e sua tipologia documental para classificar, avaliar e descrever documentos de arquivo. Aula. Niterói - RJ. 54 slides, color, Padrão Slides Google Drive/Docs 4x3. Material elaborado para Niterói, RJ. 2019. Aula da disciplina de Identificação Arquivística.

RODRIGUES, A. C.. Manual de tipologia documental: um instrumento de gestão para os arquivos municipais brasileiros. AARGS, Brasília - DF, p. 1-23, nov. 2004. Disponível em: https://www.aargs.com.br/ICNA/MesasdeComunicacoes/11_C52_AnaCelia_ManualTipologia.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

SANTOS, P. L. V. A. da C.; SANT'ANA, R. C. G. Transferência da informação: análise para valoração de unidades de conhecimento. Datagramazero - Revista de Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 3, p.4-5, abr. 2002. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/7482. Acesso em: 12 nov. 2021.

SOUZA, Â. C. C. de. Informação e tecnologias de informação em saúde: fontes e mecanismos de transferência de conhecimento para a gestão do SUS em hospitais com termo de adesão à Rede Inovarh-Ba. 2017. 148 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Ciência da Informação, Instituto de Ciência da Informação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/22998. Acesso em: 05 abr. 2021.

THOMASSEM, T. Uma primeira introdução à arquivologia. Arquivo & administração. Rio de Janeiro, v.5. n.1, p. 5-16, jan./jun. 2006.

TROITIÑO-RODRIGUEZ, S. M. A Tipologia Documental como Instrumento para a Seriação de Documentos. In: VALENTIM, M. L. P. (Org.). Estudos avançados em Arquivologia. Marília: Editora Cultura Acadêmica, 2012. Cap. 12. p. 214-258.

Downloads

Publicado

2022-12-20

Como Citar

MATOS JÚNIOR, José Roseno Ferreira de; AMARAL, Louise Anunciação Fonseca de Oliveira do; MEIRELLES, Rodrigo França; CUNHA, Francisco José Aragão Pedroza. A interlocução da qualificação profissional e dos mecanismos de transferência de informação para a gestão dos repositórios digitais em saúde. Informação em Pauta, [S. l.], v. 7, n. 00, p. 1–22, 2022. DOI: 10.36517/2525-3468.ip.v7i00.2022.78596.1-22. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/78596. Acesso em: 13 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)