Plataforma Moodlecloud na Qualificação de Profissionais de Saúde no Processo de Adesão à Farmacoterapia

Resumo

Introdução: Elevado consumo, falta de prescrições e de informações podem causar problemas relacionados ao uso de medicamentos. A concordância com a farmacoterapia prescrita (adesão) é fundamental para o paciente alcançar metas terapêuticas estabelecidas. Objetivo: desenvolver um curso para qualificar os profissionais de saúde na promoção da adesão dos pacientes à farmacoterapia por intermédio de um ambiente virtual de aprendizagem. Método: estudo prospectivo e descritivo no desenvolvimento de um curso, na plataforma Moodlecloud, utilizando proposta sócio-construtivista para abordar o tema e estratégia da educação permanente em saúde (reflexão crítica). Participantes avaliaram o curso. Resultados e discussão: na autoavaliação pré-curso, os participantes relataram variável compreensão sobre adesão à farmacoterapia e fatores que a influenciam e baixa abordagem do tema da adesão junto ao paciente. O curso proporcionou espaço para debate de forma crítica, aproximando-se da proposta da educação permanente em saúde. O uso de tecnologia facilitou os contatos assíncronos e à distância. Conclusão: o curso permitiu troca de experiências e construção do conhecimento. As avaliações aperfeiçoaram as atividades. O envolvimento de teoria, prática e experiências valorizaram o curso, favorecendo sua inserção como uma prática em educação permanente em saúde.

Biografia do Autor

Marcelo Rodrigues Reser, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestrando em Ensino na Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Santa Maria (2002) e Licenciatura em Letras - Espanhol pela Universidade Federal de Pelotas (2015). Atualmente é farmacêutico da empresa J. G. Serrat ME. Tem experiência nas áreas de Assistência Farmacêutica e Farmácia Clínica. 

Clécio Homrich da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Formação acadêmica: graduações em Farmácia e Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Especializações em Pediatria pelo Hospital São Lucas da PUCRS e em Saúde Pública pela Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul/FIOCRUZ . Mestrado em Pediatria (1998) e doutorado em Saúde da Criança e do Adolescente pela UFRGS. Pós-doutorado no Centre for Global Child Health do Sick Kids Hospital em Toronto no Canadá. Atividades profissionais: professor associado e, atualmente, chefe do Departamento de Pediatria/UFRGS e dos Programas de Pós-graduação da UFRGS de Saúde da Criança e do Adolescente e de Ensino na Saúde - Mestrado Profissional. 

Referências

Luiza VL, Tavares NUL, Oliveira MA, Arrais PSD, Ramos LR, Dal Pizzol TS, et al. Gasto catastrófico com medicamentos no Brasil. Revista de Saúde Pública [Internet]. 2016 [citado em 23 de Maio de 2017], 50(supl 2): 1-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v50s2/pt_0034-8910-rsp-s2-S01518-87872016050006172.pdf

Laffin NHF, Bonacim CAG. Custos da saúde: judicialização de medicamentos ofertados pelo SUS. XXIV Congresso Brasileiro de Custos [Internet]. Novembro de 2017 [citado em 09 Abril de 2019], anais. Disponível em: https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/viewFile/4312/4312

Arrais PSD, Fernandes MEP, Dal Pizzol TS, Ramos LR, Mengue SR, Luiza VL. Prevalência da automedicação no Brasil e fatores associados. Rev Saúde Pública [Internet]. 2016 [citado em 09 de Abril de 2019], 50(supl 2):13s. Disponível em: http://www.rsp.fsp.usp.br/wp-content/uploads/articles_xml/0034-8910-rsp-s2-S01518-87872016050006117/0034-8910-rsp-s2-S01518-87872016050006117-pt.x83745.pdf

Brasil. Síntese de evidências para políticas de saúde: adesão ao tratamento medicamentoso por pacientes portadores de doenças crônicas. Ministério da Saúde [Internet]. 2016 [citado em 09 de Abril de 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sintese_evidencias_politicas_tratamento_medicamentoso.pdf

Mathias TL, Guidoni CM, Girotto E. Tendências de casos de envenenamento relacionados a drogas atendidos em um centro de controle de intoxicação. Rev Bras Epidemiol. Abril de 2019 [citado em 10 de Abril de 2019], 22: e190018. doi: 10.1590 / 1980-549720190018.

Berreni A, Montastruc F, Bondon-Guitton E, Rousseau V, Abadie D, Durrieu G, et al. Adverse drug reactions to self-medication: a study in a pharmacovigilance database. Fundamental & Clinical Farmacology [Internet]. Outubro de 2015 [citado em 03 de Outubro de 2018], 29(5):517-20. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26215671

Ruiz ME. Risks of self-medication practices. Current Drug Safety [Internet]. Outubro de 2010 [citado em 04 de Outubro de 2018], 5(4):315-23. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20615179

Fettah H, Moutaouakkil Y, Sefrioui MR, Moukafih B, Bousliman Y, Bennana A, et al. Detection and analysis of drug-drug interactions among hospitalized cardiac patients in the Mohammed V Military Teaching Hospital in Morocco. Pan African Medical Journal [Internet]. Abril de 2018 [citado em 03 de Outubro de 2018], 29(225). Disponível em: http://www.panafrican-med-journal.com/content/article/29/225/pdf/225.pdf

Haghighi S, Ashrafzadeh H, Sayadi N. Self-medication and related factors among university students in Iran. Journal of Nursing and Midwifery Sciences. 2016; 3(2): 47-51.

Dean Carlos Nascimento de Moura DCN, José Reginaldo Pinto JR, Martins P, Pedrosa KA, Carneiro MGD. Uso abusivo de psicotrópicos pela demanda da estratégia saúde da família: revisão integrativa da literatura. Sanare. Dezembro de 2016 [citado em 10 de Abril de 2019], 15(2): 136-144.

World Health Organization. Adherence to Long-term Therapies: evidence for action [Internet]. Janeiro de 2003 [citado em 28 de Maio de 2017], 209p. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/42682/1/9241545992.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Secretaria de Vigilância em Saúde. Glossário temático: promoção da saúde. Ministério da Saúde [Internet]. 2012 [citado em 05 de Setembro de 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/glossario_promocao_saude_1ed.pdf

Náfrádi L, Nakamoto K, Schulz PJ. Is patient empowerment the key to promote adherence? A systematic review of the relationship between self-efficacy, health locus of control and medication adherence. PLoSONE. Outubro de 2017 [citado em 11 de dezembro de 2018], 12(10): 1-23. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5645121/pdf/pone.0186458.pdf

Oliveira N. Gastos com saúde crescem mesmo em meio à crise e atingem 9,1% do PIB. Agência Brasil. Dezembro de 2017 [citado em 29 de Agosto de 2018]. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-12/gastos-com-saude-crescem-mesmo-em-meio-crise-e-atingem-91-do-pib

Wannmacher L. Importância dos medicamentos essenciais em prescrição e gestão racionais. Uso racional de medicamentos: temas selecionados. Ministério da Saúde. 2010 [citado em 01 de Setembro de 2018]. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1314-importancia-dos-medicamentos-essenciais-em-prescricao-e-gestao-racionais-uso-racional-medicamentos-temas-selecionados-n-2-4&category_slug=assistencia-farmaceutica-958&Itemid=965

Brasil. Secretaria de Vigilância em Saúde. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Ministério da Saúde [Internet], 2011 [citado em 27 de Junho de 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_acoes_enfrent_dcnt_2011.pdf

Tavares NUL, Costa KS, Mengue SS, Vieira MLFP, Malta DC, Silva Jr., JB. Uso de medicamentos para tratamento de doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet], Junho de 2015 (citado em 15 de Abril de 2019), 24(2): 315-323. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v24n2/v24n2a14.pdf

Rocha JSY. Uso de tecnologias da informação e comunicação na educação em saúde. Problematização e desenvolvimento. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 2015 [citado em 11 Julho de 2017], 48(3): 214-23. Disponível: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i3p214-223

Centro Regional De Estudos Para O Desenvolvimento Da Sociedade Da Informação. TIC no setor de Saúde: disponibilidade e uso das tecnologias de informação e comunicação em estabelecimentos de saúde brasileiros. Panorama Setorial da Internet [Internet]. Janeiro de 2014 [citado em 05 de Outubro de 2018], 6(1): 1-9. Disponível em: https://cetic.br/media/docs/publicacoes/6/Panorama_Setorial6.pdf

Gusmão JL, Mion Jr D. Adesão ao tratamento – conceitos. Revista Brasileira de Hipertensão [Internet]. 2006 [citado em 28 de Maio de 2017], 13(1): 23-25. Disponível em: http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/13-1/06-adesao-ao-tratamento.pdf

Van Wijk BL, Klungel OH, Heerdink ER, de Boer A, et al. Effectiveness of interventions by community pharmacists to improve patient adherence to chronic medication: a systematic review. Ann Pharmacother [Internet]. Fevereiro de 2005 [citado em 03 de Dezembro de 2018], 39(2): 319-28. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15632223

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Uso racional de medicamentos: temas selecionados. Ministério da Saúde [Internet]. 2012 [citado em 16 de Agosto de 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/uso_racional_medicamentos_temas_selecionados.pdf

Ben AJ, Neumann CR, Mengue SS. Teste de MoriskyGreen e Brief Medication Questionnaire para avaliar adesão a medicamentos. Rev. Saúde Pública [Internet]. Abril de 2012 [citado em 12 de julho de 2017], 46(2): 279-289. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/2012nahead/3357.pdf

Monteiro ER, Lacerda JT. Promoção do uso racional de medicamentos: uma proposta de modelo avaliativo da gestão municipal. Saúde Debate [Internet]. Dezembro de 2016 [citado em 10 de Abril de 2019], 40(111): 101-116. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v40n111/0103-1104-sdeb-40-111-0101.pdf

Publicado
2019-08-27