Efeito da talidomida em paciente com hemorragia secundária a ectasia vascular de antro gástrico dependente crônico de transfusões<br> doi: 10.20513/2447-6595.2016v56n1p64-67

  • Samara Jacinto Lima Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Lúcia Libanês Bessa Campelo Braga Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Marcellus Henrique Loiola Ponte Souza Universidade Federal do Ceará - UFC
  • José Milton de Castro Lima Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Matthaus Rabelo da Costa Universidade Federal do Ceará - UFC
Palavras-chave: Talidomida. Sangramento. Ectasia vascular do antro gástrico. Coagulação com plasma de argônio.

Resumo

A talidomida é uma droga com efeito anti-inflamatório, imunomodulador e antiangiogênico. Devido a isso, vêm sendo publicados diversos relatos de casos, descrevendo sua eficácia no tratamento de hemorragia digestiva secundária à angiodisplasias do trato gastrointestinal, à doença inflamatória intestinal e um caso de resposta clínica na hemorragia secundária à ectasia vascular de antro gástrico (GAVE). No presente trabalho, relatamos o caso de uma paciente de 52 anos, com cirrose hepática e ectasia vascular do antro gástrico, que apresentou seis episódios de hemorragia digestiva alta com necessidade de transfusão sanguínea, apesar da terapia endoscópica estabelecida. Iniciamos talidomida na dose de 100 mg/dia que em seguida foi reduzida para 50 mg/dia. A paciente evoluiu com melhora clínica significativa, não apresentando novos episódios de sangramento, nem necessidade de transfusões sanguíneas. Apesar da interrupção da terapêutica endoscópica, persistiu assintomática e a endoscopia de controle após 3 meses não visualizava mais sangramento ativo nas lesões do antro. Portanto, este trabalho tem como objetivo descrever que a talidomida se mostrou eficaz, em baixa dose, para o controle do sangramento secundário à GAVE nesta paciente.

Biografia do Autor

Samara Jacinto Lima, Universidade Federal do Ceará - UFC
Médica pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Residência em Clínica Médica pelo Hospital Geral de Fortaleza (HGF)
Lúcia Libanês Bessa Campelo Braga, Universidade Federal do Ceará - UFC
Professora Titular de Gastroenterologia Departamento de Medicina Clínica da Faculdade de Medicina-UFC, Doutora em Gastroenterologia, Chefe do Serviço de Gastroenterologia Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)-UFC, Supervisora da Residência de Gastroenterologia-HUWC
Marcellus Henrique Loiola Ponte Souza, Universidade Federal do Ceará - UFC
Professor Associado do Departamento de Medicina Clínica da Faculdade de Medicina-UFC, Gastroenterologista, Especialista em Endoscopia Digestiva e Doutor em Clínica Médica. Supervisor da residência em Endoscopia Digestiva do Hospital Universitário Wálter Cantídio-UFC
José Milton de Castro Lima, Universidade Federal do Ceará - UFC
Professor Associado do Departamento de Medicina Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), Doutor em Gastroenterologia. Coordenador do Ambulatório de Hepatites Agudas e Crônicas do Hospital Universitário Walter Cantídio–UFC
Matthaus Rabelo da Costa, Universidade Federal do Ceará - UFC
Acadêmico de medicina, Universidade Federal do Ceará
Publicado
2016-06-30
Seção
RELATOS DE CASO