A CONSTRUÇÃO DO REFERENTE EM A MAÇÃ NO ESCURO

Autores

  • Alana Kercia Barros Demétrio Universidade Estadual do Ceará
  • Maria Helenice de Araújo Costa Universidade Estadual do Ceará

Resumo

Neste artigo, tecemos considerações sobre a construção do referente em A maçã no escuro, de Clarice Lispector. Narrada em terceira pessoa, a obra nos dá a conhecer o protagonista Martim, que, imbuído de um ambicioso projeto, passa a rejeitar a linguagem convencional, poracreditar que ela compromete a verdade das coisas, e procura reinventá-la ansiando que ela possa satisfazer sua necessidade de expressão. Pretendemos, de um lado, problematizar, a partir do caminho trilhado pelo protagonistada narrativa, as limitações impostas pelas instabilidades categoriais inerentes à linguagem humana; de outro lado, perceber as implicações do complexo processo de construção dos objetos do discurso. Assumindo uma visão não essencialista da linguagem, fazemos coro aos teóricos da referenciação e argumentamos que, como o mundo não é uma coletânea de nomes nem um repositório de entidades objetivas, não há uma relação fixa entre as formas de aludire as coisas aludidas. Observando o drama de Martim, reiteramos a ideia de que é na interação que os falantes constroem entidades discursivas, negociando sentidos a partir de generalizações contextuais que foram se cristalizando com os usos.Palavras-Chave: Linguagem, referenciação, interação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

DEMÉTRIO, Alana Kercia Barros; COSTA, Maria Helenice de Araújo. A CONSTRUÇÃO DO REFERENTE EM A MAÇÃ NO ESCURO. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 31, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/1088. Acesso em: 17 jun. 2024.