NO EXTREMO DA VIDA (NÊMESIS): O HOMEM COMUM, O PATRIMÔNIO E A HUMILHAÇÃO

  • Ermelinda Maria Araújo Ferreira Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

Philip Roth é um autor cáustico, célebre por sua coragem de fi ccionalizar temas áridos e difíceis, muitas vezes a partir de registros autobiográfi cos. A velhice, a doença e a morte têm sido suas companheiras frequentes em seus últimos romances. Neste ensaio, comentaremos muito brevemente sobre três de suas obras que versam sobre essas temáticas: A humilhação, Homem comum e Patrimônio. A nossa refl exão evoca, como contraponto à análise, O livro de Jó, da Bíblia; Saber envelhecer, de Cícero; A solidão dos moribundos, seguido de Envelhecer e morrer, de Norbert Elias; e Vivo até a morte, seguido de Fragmentos, de Paul Ricoeur. Palavras-chave: Philip Roth; Velhice; Sabedoria; Morte; Poesia. ABSTRACT Philip Roth is a caustic author, celebrated for his courage to fi ctionalize arid and diffi cult subjects, often from autobi-ographical records. Old age, sickness and death have been his frequent companion in his later novels. In this essay we will comment very briefl y on three of his works that deal with these issues: The Humbling, Everyman and Patrimony. Our refl ection evokes, as a counterpoint to the analysis, the book of Job in the Bible; On Old Age, Cicero, The Loneliness of the Dying, followed by Aging and Dying, Norbert Elias, and Living up to Death, followed by Fragments, by Paul Ricoeur. Keywords: Philip Roth; Old Age; Wisdom; Death; Poetry
Como Citar
FERREIRA, E. M. A. NO EXTREMO DA VIDA (NÊMESIS): O HOMEM COMUM, O PATRIMÔNIO E A HUMILHAÇÃO. Revista de Letras, v. 2, n. 32, 11.