AS ESTAÇÕES DO EU: INFÂNCIA, VELHICE E MEMÓRIA NA POESIA DE JÁDER DE CARVALHO

  • Sarah Diva da Silva Ipiranga Universidade de Lisboa
  • Sávio Alencar de Lima Lopes Universidade Estadual do Ceará

Resumo

Boa parte da produção do escritor cearense Jáder de Carva-lho está atravessada por um sentimento memorialista, que, apesar de ser um dos pontos fundamentais de sua escrita, é o eixo temático menos explorado pela crítica. Este trabalho revisita a produção poética de Jáder de Carvalho para explorar as instâncias que nela fi guram como força motriz e indicam a maturidade do poeta no manejo da palavra: a infância e a velhice, ambas impulsionadas pelas engrena-gens da memória. Situando a poesia jaderiana em estágios da idade humana que apresentam formas de organização e complexidade específi cas, submetemos à análise unidades de sentido que se imbricam a esses imaginários: na infância, o sertão, a paisagem, a viagem; na velhice, a solidão, o silên-cio, a saudade. Não poesia do escritor, o velho reencontra o menino que foi um dia, num diálogo permeado ora de alento e felicidade, ora de melancolia e ressentimento. Iluminando o texto poético a partir de outros inventários do saber, os investimentos teóricos de Alfredo Bosi, Clara Rocha, Paula Morão e Marcello Mathias Duarte, no que nos oferecem de refl exão sobre os textos autobiográfi cos, conjugam-se ao estudo da poesia de Jáder de Carvalho, na qual se inscreve e se escreve um homem rasurado pelo passado.Palavras-chave: infância, velhice, autobiografica.ABSTRACTMuch of the poetry of Jáder de Carvalho is permeated by a memoirist feeling, one of the key points of his writing less explored by critics. This paper revisits the poetic production of Jáder de Carvalho to explore what in it fi gure as a driving force and indicate the poet’s maturity in handling the word: childhood and old age, moved by the gears from memory. Carvalho’s poetic text presents the stages of human age with their specifi c forms of organization and complexity. Thus, we analyze the meaning units related to these imaginary: in chil-dhood, backlands, landscape, travel; in old age, loneliness, silence, absense. Often, the old man fi nds the boy he once was, in a dialogue permeated of encouragement and happiness or melancholy and resentment. Lighting the poetic text from other inventories of knowledge, the theoretical investments of Alfredo Bosi, Clara Rocha, Paula Morão and Marcello Mathias Duarte, in offering us refl ection about the autobio-graphical texts, are combined to study the Jáder’s poetry.Key-words: childhood, old age, autobiography.
Como Citar
IPIRANGA, S. D. DA S.; LOPES, S. A. DE L. AS ESTAÇÕES DO EU: INFÂNCIA, VELHICE E MEMÓRIA NA POESIA DE JÁDER DE CARVALHO. Revista de Letras, v. 2, n. 32, 11.