TOMÁS ANTÔNIO GONZAGA: DUPLO PERSONAGEM

Autores

  • Renato Nésio Suttana

Resumo

A convenção pastoril é um dos traços marcantes da poesia árcade brasileira. O poeta, travestido em pastor, concede voz a uma ficção na qual se apaga sua identidade e sua biografia pessoal. Em Marília de Dirceu, o processo de cria- ção da máscara pastoril se complica no momento em que, junto com os elementos da ficção, se imiscuem na obra tra- ços autobiográficos do poeta. Não se trata mais, apenas, de encontrar a convenção ou de detectar o que nela existe de “sinceridade” ou confidência. Busca-se, antes, uma imbricação na qual se podem descobrir as relações de mú- tua dependência. Nesta leitura, as instâncias são interpretadas como polarizações de um único movimento gerador de sentido, de uma ficção maior que funda, de modo abrangente e complexo, o universo poético das liras. Palavras-chave: Convenção pastoril, autobiografia, Marília de Dirceu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

SUTTANA, Renato Nésio. TOMÁS ANTÔNIO GONZAGA: DUPLO PERSONAGEM. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 23, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/2190. Acesso em: 16 jun. 2024.