MÁRIO DE ANDRADE: DE MADEMOISELLE IOLANDA A FRÄULEIN ELZA

Autores

  • Dante Gatto

Resumo

Este trabalho pretende fazer, num primeiro passo, uma aproximação do conto “Brasilia” de Primeiro Andar com o Romance Amar, verbo intransitivo – idílio, ambos de Mário de Andrade. O romance, pode-se inferir, nasceu do amadurecimento de um processo que já se anunciava no conto. Num segundo passo, refletir-se-á o deslocamento operado pela estética de Mário de Andrade, configurado na opção pela criação de uma personagem alemã, substituindo a francesa. A aproximação da cultura brasileira com a alemã (questão que inevitavelmente vira à tona) ou da ausência de cultura de ambas as nações, permitirá a aproximação de Mário de Andrade ao filósofo Nietzsche, ambos extremamente preocupados com a questão cultural. O que mais chama a atenção, aliás, é a semelhança do processo dionisíaco (conforme descrito em O Nascimento da Tragédia no espírito da Música de Nietzsche), vivido pelas respectivas personagens. Discutiremos como tal descolamento foi extremamente produtivo dentro das prerrogativas do Modernismo. Palavras-chave: Modernismo, Mário de Andrade, Nietzsche.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

GATTO, Dante. MÁRIO DE ANDRADE: DE MADEMOISELLE IOLANDA A FRÄULEIN ELZA. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 24, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/2229. Acesso em: 13 jun. 2024.