VOZES ENTRETECIDAS - NARRATIVAS DE MIA COUTO E GUIMARÃES ROSA EM DIÁLOGO

  • Márcia Marques de Morais

Resumo

O artigo pretende ensaiar um diálogo entre as literaturas brasileira e africana, representadas, respectivamente, pelo mineiro Guimarães Rosa e pelo moçambicano, Mia Couto, partindo, inicialmente, do pressuposto de que, no trabalho com a linguagem, reside marcante identidade entre o fazer literário dos dois grandes escritores de literaturas de língua portuguesa. No entanto, a transgressão do código lingüístico em favor de uma força criativa que vise à maior expressividade e alcance do sentido, a ênfase à oralidade e, mesmo, a aproximação temática que busca, à exaustão, o resgate de uma humanidade como lugares de interseção entre a literatura de Guimarães Rosa e de Mia Couto seriam apenas pontos de partida para uma comparação. Ainda que a busca dos mistérios e descobertas da linguagem seja, de fato, matéria incandescente com que se processa a literatura de ambos, esse lugar em que se encontram é também de onde cada um deles parte para seu vôo solo. A partir dessa premissa, optou-se por cotejar, nos dois autores, a questão do narrador, analisando textos que se aproximam seja pela linha temática seja pela dicção. Palavras- chave: Guimarães Rosa; Mia Couto; narradores
Como Citar
MARQUES DE MORAIS, M. VOZES ENTRETECIDAS - NARRATIVAS DE MIA COUTO E GUIMARÃES ROSA EM DIÁLOGO. Revista de Letras, v. 1, n. 28, 11.