KIM E A LITERATURA COLONIAL DE LÍNGUA INGLESA

  • Vanderlei J. Zacchi

Resumo

Kim é não apenas um dos livros mais importantes de Rudyard Kipling, mas ocupa também posição de destaque na literatura de língua inglesa. Foi lançado em 1901, quando a Índia, onde se passa o romance, era ainda uma possessão britânica e doze anos após Kipling, tendo nascido na Índia, haver migrado para a Inglaterra. As relações entre os personagens orientais e britânicos no romance sugerem uma visão estereotipada das diferenças raciais e culturais. A aná- lise dessas relações será feita, em primeiro lugar, a partir de uma contextualização da literatura colonial de língua inglesa. Kim se insere numa segunda etapa dessa literatura, na qual predominava um ponto de vista predominantemente britânico e que buscava afirmar a legitimidade do império. E, em segundo lugar, a partir do conceito de orientalismo, conforme desenvolvido por Edward Said (1995). Esse conceito demonstra como os ocidentais fazem uso de sínteses e estereótipos para descrever o Oriente e conceber visões autorizadas sobre ele. Palavras-chave: Rudyard Kipling; literatura colonial; orientalismo
Como Citar
J. ZACCHI, V. KIM E A LITERATURA COLONIAL DE LÍNGUA INGLESA. Revista de Letras, v. 1, n. 28, 11.