O ALTEAMENTO DA PRETÔNICA /O/ NO FALAR POPULAR DE FORTALEZA

Autores

  • Aluiza Alves de Araújo

Resumo

No português do Brasil, as vogais médias pretônicas têm sido objeto de inúmeros estudos, seja numa perspectiva mais propriamente fonológica, seja nos prismas da Dialetologia e da Sociolingüística Variacionista. O foco de atenção desta investigação recai sobre a realização variável da vogal média pretônica /o/ no falar popular dos fortalezenses. A análise da pré-acentuada restringe-se aos contextos interconsonânticos (C_.C), em sí- laba inicial ou medial, já que esta estrutura silábica é a que ocorre com maior freqüência e, além disso, os outros tipos de sílaba apresentam estruturas que condicionam a aplicação categórica de uma ou outra variante. O fenômeno em questão é abordado sob a perspectiva da Teoria Sociolingüística Quantitativa, defendida por Labov (1972, 1994) e Weinreich, Labov e Herzog (1968), com o objetivo precípuo de descrever e analisar a atuação de fatores lingüísticos e sociais sobre o alteamento de /o/ no falar fortalezense. Defendeu-se que a altura da vogal tônica à vogal candidata era o principal condicionador do processo de variação das médias pré-acentuadas. Supôs-se também que outros fatores poderiam estar atuando, de forma positiva ou negativa, sobre o processo em estudo, tais como, a vogal átona, as consoantes circunvizinhas, a atonicidade, a sufixação, o tipo de sílaba, a contigüidade, a escolaridade, a faixa etária e o sexo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

ALVES DE ARAÚJO, Aluiza. O ALTEAMENTO DA PRETÔNICA /O/ NO FALAR POPULAR DE FORTALEZA. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 30, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/2386. Acesso em: 23 abr. 2024.