A CONSTRUÇÃO CONDICIONAL EM PORTUGUÊS

Autores

  • Taísa Peres de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.36517/revletras.38.2.7

Resumo

O objetivo deste artigo é demonstrar a viabilidade do conceito de construção para o estudo das orações condicionais. Parte-se do entendimento de que a condicionalidade constitui um significado convencional, interpretado a partir da correlação entre aspectos formais e semântico-pragmáticos. Assim, propõe-se conceber as condicionais como um tipo de construção, resultante do pareamento convencional entre forma e função, procurando sistematizar a organização conceitual de diferentes padrões e a acomodação de elementos com complexidade formal e semântico-pragmática tão diferenciadas que têm na rede. A partir dessa descrição, podem-se explicar os padrões de transferência e as regularidades envolvidos na organização estrutural e conceitual da condicionalidade. O exame realizado aqui permite compreender como o significado condicional está associado a um esquema geral mais abstrato que sanciona diversos subesquemas e microconstruções ligados ao polo prototípico por elos diversos. As considerações feitas aqui se vinculam aos modelos baseados no uso, em especial à abordagem construcional (TRAUGOTT e TROUSDALE, 2013). Os dados usados para análise foram coletados no Corpus do Português (FEREIRA, DAVIES, 2006).

Palavras-chave: abordagem construcional, condicionalidade, construção condicional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-02

Como Citar

OLIVEIRA, Taísa Peres de. A CONSTRUÇÃO CONDICIONAL EM PORTUGUÊS. Revista de Letras, [S. l.], v. 2, n. 38, p. 80–89, 2019. DOI: 10.36517/revletras.38.2.7. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/60342. Acesso em: 16 abr. 2024.