AFRESCO SICILIANO OU DA BELEZA AVISTADA: ENSAIO DE FILOLOGIA CAMILLERIANA

Autores

  • Giuseppe Marci
  • Rafael Ferreira da Silva

DOI:

https://doi.org/10.36517/revletras.39.1.8

Resumo

A Sicília, região insular no sul da Itália, no meio do mar Mediterrâneo, apresenta uma história geológica e humana única e perceptível, o que proporciona a seus filhos uma forte noção de pertença. Não somente àqueles que sempre estiveram ali, mas também aos que migraram para outras cidades italianas ou para outros países. Neste artigo, buscou-se traçar paralelos entre os pontos de vista da narrativa do escritor sículo-americano Jerre Mangione em “Reunião na Sicília” (1950), traduzido para o italiano em 1992, e a do conta-histórias siciliano Andrea Camilleri em “Excursão a Tíndari” (2000) e em “A Beleza Avistada” (2017), ao recontarem um mesmo acontecimento vivenciado na ilha, nos anos 1940, por ambos quando jovens. São levadas em consideração questões relacionadas à identidade cultural siciliana dos escritores: Mangione, como filho de imigrantes, nascido e criado nos Estados Unidos, e Camilleri, nascido e criado na ilha italiana, radicado em Roma até o seu falecimento em 2019.

 

Palavras-chave: Identidade Cultural Siciliana. Andrea Camilleri. Jerre Mangione.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-30

Como Citar

MARCI, Giuseppe; SILVA, Rafael Ferreira da. AFRESCO SICILIANO OU DA BELEZA AVISTADA: ENSAIO DE FILOLOGIA CAMILLERIANA. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 39, 2020. DOI: 10.36517/revletras.39.1.8. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/61411. Acesso em: 23 jun. 2024.