MULTILINGUISMO NOS PALOP: PERFIL SOCIOLINGUÍSTICO E AVALIAÇÃO LINGUÍSTICA EM GUINÉ-BISSAU

Autores

  • Cássio Florêncio Rubio

DOI:

https://doi.org/10.36517/revletras.40.1.3

Resumo

Nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), o português encontra-se em situação de contato com outras idiomas e, em determinados contextos, com línguas étnicas, já presentes naqueles territórios em período pré-colonial. Considerando essas situações de contato linguístico, buscamos apresentar reflexões sobre o contexto sociolinguístico de falantes multilíngues de Guiné-Bissau, associando a caracterização sociolinguística da comunidade à avaliação das línguas em contato. Como subsídio teórico principal, amparamo-nos nos pressupostos da Sociolinguística Variacionista (LABOV, 1966, 2008). Os resultados empregados na discussão provêm de corpus composto de 100 inquéritos coletados entre estudantes guineenses no Brasil e em Guiné-Bissau (RUBIO; CÁ, 2019; CÁ; RUBIO, 2019). Aponta-se, na comunidade, status elevado da língua portuguesa, apesar do emprego de outras línguas locais em situações do dia a dia. Constata-se uma divisão funcional de uso das línguas entre os falantes multilíngues inseridos nesta realidade.

Palavras-chave: Multilinguismo. Contato linguístico. Português. Crioulo guineense. Línguas étnicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-17

Como Citar

RUBIO, Cássio Florêncio. MULTILINGUISMO NOS PALOP: PERFIL SOCIOLINGUÍSTICO E AVALIAÇÃO LINGUÍSTICA EM GUINÉ-BISSAU. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 40, 2021. DOI: 10.36517/revletras.40.1.3. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/71450. Acesso em: 18 jul. 2024.