Para dizer o quanto te amo (saberei dizer?): cartas de Graciliano a Heloísa Medeiros

  • Fernanda Maria Abreu Coutinho Universidade Federal do Ceará
  • Sávio Alencar Universidade Federal do Ceará

Resumo

Este ensaio examina a correspondência ativa de Graciliano Ramos, partindo-se da eleição de algumas cartas de amor do autor de Vidas secas (1938). Trata-se das missivas endereçadas a Heloísa Medeiros, reunidas em Cartas, coletânea publicada originalmente em 1980. A presença de Heloísa na correspondência acontece como uma peça em dois atos: o primeiro cobre o espaço de um mês, de 16 de janeiro a 8 de fevereiro de 1928. No segundo ato, ao compulsar o maço de cartas transcritas para o livro, o leitor já se depara com Heloísa Medeiros Ramos, isso a partir de 1930. Apesar da diversidade de papeis exercidos pela segunda Heloísa, interessa mais a este trabalho examinar a vastidão da presença, na vida do escritor, de uma jovem nascida em Maceió, em 1910, e que o fez tomber amoureux, no instante mesmo em que a viu, nas celebrações de um antigo Natal. Nesse sentido, um percurso se impõe: comenta-se a respeito da prática amorosa via carta/literatura ao longo do tempo, particulariza-se a produção literária brasileira identificada com o gênero e, por fim, analisa-se a correspondência íntima do escritor em foco.

Biografia do Autor

Fernanda Maria Abreu Coutinho, Universidade Federal do Ceará
Professora de Teoria da Literatura do curso de Letras da UFC. Membro efetivo do Programa de Pós-graduação em Letras - UFC.
Sávio Alencar, Universidade Federal do Ceará
Mestre em Letras pela Universidade Federal do Ceará.

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond de. Antologia poética. 22. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1987.

ARANHA, Graça. Cartas de amor. Rio de Janeiro: [s.n], 1935.

COSTE, Claude. Mireille Sorgue: des lettres à l’amant. In: DIAZ, Brigitte; SIESS, Jürgen (dir.). L’épistolaire au féminin: correspondances de femmes (XVIIIe-XXe siècle). Caen: Presses universitaires de Caen, 2006. p. 193-209.

COUTINHO, Fernanda. Imagens da infância em Graciliano Ramos e Antoine de Saint-Exupéry. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2012. (Coleção Textos Nômades)

DEL PRIORE, Mary. História do amor no Brasil. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2006.

HAROCHE-BOUZINAC, Geneviève. Escritas epistolares. Tradução Ligia Fonseca Ferreira. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2016.

HISTÓRIA. Novas Cartas Portuguesas 40 anos depois, Porto, s/d. Disponível em: <http://www.novascartasnovas.com/historia.html>. Acesso em: 8 out. 2018.

LISPECTOR, Clarice. Saudade. In: ______. Todas as crônicas. Rio de Janeiro: Rocco, 2018. p. 110.

LOBATO, Monteiro. Cartas de amor. Prefácio, compilação e notas de Cordélia Fontainha Seta. São Paulo: Brasiliense, 1969.

LOPES, Adília. Antologia. São Paulo; Rio de Janeiro: Cosac & Naify; 7 Letras, 2002. (Coleção Ás de colete)

MIRANDA, Ana. Introdução. In: ______. Que seja em segredo. Porto Alegre: L&PM, 2014. (Coleção L&PM Pocket)

MONTELLO, Josué. Uma explicação da conferência de Graça Aranha. Revista Brasileira, Rio de Janeiro, v. VII-IX, n. 37, 2003, p. 9-14.

MORAES, Dênis de. O velho Graça: uma biografia de Graciliano Ramos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1996.

MORÃO, Paula. O secreto e o real: ensaios sobre literatura portuguesa. Lisboa: Campo da Comunicação, 2011.

PAES, José Paulo. Amor/humor por via postal. In: RAMOS, Graciliano. Cartas a Heloísa. São Paulo: Secretaria Municipal de Cultura, 1992. p. 9-25. Edição comemorativa do centenário de Graciliano Ramos.

RAMOS, Clara. Mestre Graciliano. Confirmação humana de uma obra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

______. Cadeia. Rio de Janeiro: J. Olympio; Secretaria de Cultura, 1992.

RAMOS, Graciliano. Cartas. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, 2011.

______. Infância. 38. ed. Rio de Janeiro: Record, 2008.

RAMOS, Ricardo. Graciliano Ramos: retrato fragmentado. São Paulo: Siciliano, 1992.

ROCHA, Clara. Máscaras de Narciso: estudos sobre a literatura autobiográfica em Portugal. Lisboa: Almedina, 1992.

ROUGEMONT, Denis de. O amor e o Ocidente. Tradução Paulo Brandi e Ethel Brandi Cachapuz. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. 4. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Record, 2000.

WOOLF, Virginia. Flush. Tradução Ana Ban. Porto Alegre: L&PM, 2003. (Coleção L&PM Pocket)

Publicado
2019-07-30