As Metamorfoses do Injusto, do Justo e da Justiça na Vida, na Obra e no Pensamento de Graciliano Ramos à luz da Filosofia Hermenêutico-Fenomenológica de Paul Ricoeur

  • Jean Felipe de Assis UERJ e UFRJ

Resumo

Expor as concepções da Justiça em suas constituições simbólicas nas narrativas de Graciliano Ramos, em suas ficções autobiográficas e também em sua realidade histórica, é o objetivo central da presente pesquisa. Para tanto, são apresentadas algumas reflexões resultantes de uma pesquisa da obra de Graciliano Ramos em uma abordagem hermenêutica-fenomenológica baseada em reflexões críticas às obras do pensador francês Paul Ricoeur. Utilizam-se as formas reconhecidas da injustiça social, o desejo de uma ordem social justa e os discursos sistemáticos sobre a Justiça para avaliar a exposição bibliográfica e biográfico do autor Alagoano. Eis os três eixos expostos neste artigo: uma sucinta apresentação de algumas Teorias da Justiça, indicando os modos pelos quais sistemas éticos, atitudes morais, considerações políticas e as ações humanas estão entrelaçadas em diversos níveis da compreensão racional humana; em um segundo momento, constatam-se as diversas mediações existentes entre a biografia, a bibliografia, a autobiografia e a recepção crítica das obras deste autor brasileiro; requer-se, portanto, uma exposição metodológica e formal que se reduzirá às propostas hermenêutico-fenomenológicas de Paul Ricoeur, especialmente suas teses sobre o ato comunicativo, as formas simbólicas, as expressões literárias na promoção do reconhecimento humano em seus contextos culturais.

Referências

ALAGOAS. Prefeitura Municipal de Palmeira dos Indios. Relatório ao Governador do Estado de Alagoas. 1929. Disponível em: https://pt.wikisource.org/wiki/Relatorio_ao_Governador_do_Estado_de_Alagoas; Consultado em 04/07/2017 entre às 16 e 18h.

ALAGOAS. Prefeitura Municipal de Palmeira dos Indios. Relatório ao Governador do Estado de Alagoas. 1930.Disponívelem: https://pt.wikisource.org/wiki/2.%C2%B0_Relatorio_ao_Sr._Governador_Alvaro_Paes. Consultado em 04/07/2017 entre às 16 e 18h.

BENJAMIN, Walter. The work of Art in the Age of Mechanical Reproduction. In: ARENDT, Hannah (Org.). Illuminations. London: Jonathan Cape, 1970, p. 217-252.

BETT, Richard. The Sophists and Relativism. Phronesis v.34 n.2, p.139-169, 1989.

BOUCHER, David. The Social Contract from Hobbes to Rawls. New York: Routledge, 1994.

DONNER, Wendy. Mill´s Utilitarianism. In: SKORUPSKI, John (Org.).The Cambridge Companion to Mill. Cambridge: Cambridge University Press, 1998, p.255-292.

DRIVER, Julia. Consequentialism. London: Routledge, 2012.

HEIDEGGER, Martin. Being and Time. Albanu: SUNY Press, 2010.

HORKHEIMER, Max e ADORNO, Theodor, Dialectic of Enlightenment. Stanford: University Press, 2002.

HUTCHINSON, D.D. Ethics. In: BARNES, Jonathan (Org.). The Cambridge Companion to Aristotle. Cambridge: Cambridge University Press, 1995, p.195-232

KENNEDY, Rebecca. Athena´s Justice: Athena, Athens and the concept of Justice in Greek Tragedy. New York: Peter Lang, 2009.

KERFERD, G.B. The Sophistic Movement. Cambridge: Cambridge University Press, 1981.

KOSMAM, Aryeh. Justice and Virtue: The Republic´s Inquiry into Proper Difference. In: FERRARI, G.R.F. The Cambridge Companion to Plato´s Republic. Cambridge: Cambriddge University Press, 2007, p. 116-137;

MCINERNY, Ralph. Ethics. In: KRETZMANN, Norman e STUMP, Eleonore. The Cambridge Companion to Aquinas. Cambridge: Cambridge University Press, 1993, p. 196-216.

PERELMAN, Chaïm. Concerning Justice. In: Justice, Law and Argument: Essays on Moral and Legal Reasoning. Dordrecht: Reidel Publishing Company,1980, p. 1-23.

PLATÃO. A República. Lisboa: Calouste Gulbekian, 2014

POPE, Stephen. Natural Law and Christian Ethics. In: GILL, Robin (Org.). The Cambridge Companion to Christian Ethics. Cambridge: Cambridge University Press, 2001, p. 77-95.

RAMOS, Graciliano. Caetés. Rio de Janeiro: José Olympo, 1952a

RAMOS, Graciliano. São Bernardo. Rio de Janeiro: Record, 1995.

RAMOS, Graciliano. Angústia. Rio de Janeiro: José Olympo, 1953.

RAMOS, Graciliano. Vidas Secas. Rio de Janeiro: José Olympo, 1952b.

RAMOS, Graciliano. Infância. Rio de Janeiro: José Olympo, 1952c.

RAMOS, Graciliano. Insônia. Rio de Janeiro: José Olympo, 1952d.

RAMOS, Graciliano. Linhas Tortas. Rio de Janeiro, Record, 1989.

RAMOS, Graciliano. Memórias do Cárcere 1. São Paulo: Círculo do Livro, 1985.

RAMOS, Graciliano. A Terra dos Meninos Pelados. Rio de Janeiro: Record, 2011.

RAPHAEL, D.D., Concepts of Justice. Oxford: Oxford University Press, 2004,

RICOEUR, Paul. Autobiografía Intelectual. Buenos Aires: Nueva Visíon, 1997,

RICOEUR, Paul. Do Texto à Acção. Porto: Rês-Editora, 1991.

RICOEUR, Paul. Freud and Philosophy: An Interpretation. Delhi: Motilal Barnasidaa, 2008

RICOEUR, Paul. Interpretação e Ideologia. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990,

RICOEUR, Paul. Metáfora Viva. São Paulo: Loyola,2005, 391-452.

RICOEUR, Paul. O Conflito das Interpretações. Porto: Rês-Editora, 1998.

RICOEUR, Paul. O Justo 1. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

RICOEUR, Paul. O Justo 2. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

RICOEUR, Paul. O si-mesmo como um Outro. Campinas: Papirus, 1991.

RICOEUR, Paul. Percurso do Reconhecimento. São Paulo: Loyola, 2005.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa I. Campinas: Papirus, 1994.

RIPSTEIN, Arthur. Kant on Law and Justice. In: HILL, Thomas (Org.). The Blackwell Guide to Kant´s Ethics. Malden: Blackwell Publishing, 2009, p. 161-178.

SANTAS, Gerasimos. Methods of Reasoning about Justice in Plato´s Republic. In: SANTAS, Gerasimos (Org.). The Blackwell Guide to Plato´s Republic, Malden: Blackwell Publishing, 2006, p. 125-145

SCHNEEWIND, J.B. Autonomy, obligation, and virtue: An overview of Kant´s moral philosopohy. In: GUYER, Paul (Org.). The Cambridge Companion to Kant. Cambridge: Cambridge University Press, 1992, p. 309-341.

SHIELDS, Christopher. Plato´s Challenge: The Case against Justice in Republic II. In: SANTAS, Gerasimos (Org.). The Blackwell Guide to Plato´s Republic, Malden: Blackwell Publishing, 2006, p. 63-83.

TALIAFERRO, Charles. The Project of Natural Theology. In: CRAIG, William e MORELAND, J.P.(Org.). The Blackwell Companion to Natural Theology. Malden: The Blackwell Publishing, 2009, p. 1-24.

VEGETTI, Mario. A Ética dos Antigos. São Paulo: Paulus, 2014.

WETHERBEE, Winthorp. The School of Chartes. In: GRACIA, Jorge e NOONE, Timothy (Org.). A companion to Philosophy in the Middle Ages. Malden: Blackweel Publishing, 2002, p. 36-45.

YOUNG, Charles. Aristotle´s Justice. In: KRAUT, Richard. The Blackwell Guide to Aristotle´s Nichomachean Ethics. Malden: Blackwell, 2006, p. 179-197;

Publicado
2020-06-03
Seção
Estudos Literários