CURRÍCULO E SALA DE AULA

Autores

  • Wilher de Freitas Guimarães
  • Edna Gomes Roriz
  • Rita Amélia Teixeira Vilela

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i9.6613

Resumo

O objetivo da pesquisa foi investigar o currículo materializado na sala de aula de Física, interpretando o que os dados nos revelaram, no processo de didatização do conhecimento, sobre a efetivação das diretrizes curriculares do ensino de Física. A metodologia utilizada foi a Hermenêutica Objetiva, um procedimento de pesquisa empírica qualitativa e interpretativa, que permitiu compreender a escola a partir da reconstituição da aula. A investigação apontou que a disciplina analisada na sala de aula não confirma a realização das diretrizes curriculares de um ensino de Física que promova a autonomia para o aprender a partir dos elementos próximos, práticos e vivenciais dos alunos. Em vários momentos, a aula resulta na semiformação e na falta de um ensino da Física abordado enquanto construção histórica, como atividade social humana na qual as teorias científicas mantêm uma relação complexa com o contexto social, político, econômico e cultural em que ocorreram. Fato que reforça um processo educacional de mitificação do conhecimento científico, por parte dos alunos, e limita a atuação dos mesmos, como cidadãos ativos e críticos, capazes de emitirem juízos de valor em relação a situações sociais que envolvam aspectos físicos e/ou tecnológicos relevantes.

Biografia do Autor

Wilher de Freitas Guimarães

Mestre em Educação pela PUC Minas e professor de História das Revoluções nas Faculdades Arnaldo Janssen no curso de Direito.

Edna Gomes Roriz

Mestre em Educação pela PUC Minas e doutoranda em Educação – PUC Minas. Professora e proprietária do CEER em Belo Horizonte.

Rita Amélia Teixeira Vilela

PhD em Educação pela Universidade de Frankfurt. Professora da PUC Minas.

Downloads

Publicado

2017-03-16

Como Citar

GUIMARÃES, Wilher de Freitas; RORIZ, Edna Gomes; VILELA, Rita Amélia Teixeira. CURRÍCULO E SALA DE AULA. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 9, p. 70–87, 2017. DOI: 10.29148/labor.v1i9.6613. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/6613. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos