DO LABORATÓRIO AO SISTEMA DE LABORATÓRIO: A PRODUÇÃO SOCIAL HUMANA NO SÉCULO XX-XXI E SUA POSSIBILIDADE INVESTIGATIVA NA EDUCAÇÃO

Autores

  • Samya Campana

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i1.6670

Resumo

Baseados numa leitura crítica do modo como os homens transformam a realidade - pela união dos homens para reproduzir e produzir os meios de produção e suas vidas a partir de condições já existentes - discorremos sobre a ontologia da produção da ciência no século XX-XXI e sobre sua possibilidade investigativa na Educação entendendo-a como expressão orgânica (contraditória e em movimento) da superação das condições burguesas atualmente postas. Nosso ponto de partida e ao mesmo tempo resultado (item 1- “O sistema de laboratório: em busca da transcendência da sociabilidade da união entre os homens”) é o que se convencionou chamar de nanociência, adotando como pressuposto dessa produção a criação dos homens que nos precederam na forma da grande indústria moderna do século XIX, despojando-a de seu caráter natural e submetendo-a ao poder dos indivíduos unidos, os quais explicitam e desenvolvem a constituição do ser social. Na segunda parte deste artigo (item 2 – “Possibilidade de investigação na Educação no século XXI”) formulamos uma questão de pesquisa para a Educação problematizando sua relação com essa nova forma produtiva laboratorial como afirmação, negação e superação da relação social burguesa de produção.

Biografia do Autor

Samya Campana

Mestra em Economia pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Doutoranda em Educação pela UFSC.

Downloads

Publicado

2017-03-16

Como Citar

CAMPANA, Samya. DO LABORATÓRIO AO SISTEMA DE LABORATÓRIO: A PRODUÇÃO SOCIAL HUMANA NO SÉCULO XX-XXI E SUA POSSIBILIDADE INVESTIGATIVA NA EDUCAÇÃO. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 20–67, 2017. DOI: 10.29148/labor.v1i1.6670. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/6670. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos