Representações da identidade corporal em jogos eletrônicos por adolescentes e adultos jovens / Body identity representations in eletronic games by adolescentes and young adults

Palavras-chave: Jogos eletrônicos, imagem corporal, adolescentes, psicologia do esporte

Resumo

Resumo

A adolescência é um período de mudanças, principalmente em relação ao corpo, em que a identidade corporal se transforma. Esta pode ser compreendida pela percepção fisica e psicológica, e influenciada pelo contexto sociocultural, qual está presente nos jogos eletrônicos. Objetivou-se verificar de que formas são representadas as identidades corporais de adolescentes em jogos eletrônicos. Utilizou-se a metodologia netnográfica, que permite levantamento de dados a partir de características de ambientes digitais e comunicação mediada por computadores, com observação participante. Para coleta de dados foi utilizada uma entrevista estruturada realizada em plataformas online pelo Google Forms, o qual atingiu 153 jogadores de League of Legends, Perfect World e Second Life. A análise quantitativa mostrou que adolescentes homens se sentem mais representados pelos avatares (p ≤ 0,05), consequentemente, optam por personagens do mesmo gênero. Além disso, os hábitos de jogos indicam que conforme o tipo de jogo, maior o tempo de horas jogadas (p = 0,024). Com efeito, pode-se observar que a construção dos personagens dos jogos está atravessada pela vertente sociocultural, reproduzindo os discursos de estereotipia de gênero. No entanto, verificou-se que a relação da representação de imagem corporal e jogos são os significados produzidos pelo jogador. 

Palavras-chave: Jogos eletrônicos; imagem corporal; adolescentes; psicologia do esporte.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele de Campos, Universidade de Sorocaba (UNISO)

Psicóloga, Assistente de Recursos Humanos. Formada em Psicologia pela Universidade de Sorocaba - UNISO.

Andressa Melina Becker da Silva, Universidade de Sorocaba (UNISO)

Prof. Dra. nos cursos de Graduação em Psicologia e Educação Física da Universidade de Sorocaba (UNISO).

Referências

Brandão, A. C., Freitas, K. T. D., Silva, W. R., Carvalho, H. P., Cardoso, F. L. (2020). Satisfação da imagem corporal e suas relações com sexo biológico, orientação sexual, identidade de gênero e esquemas de gênero do autoconceito em bailarinos: uma revisão sistemática. Motrivivência: Revista de Educação Física, Esporte e Lazer, 32(62), 1-14. Doi: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2020e62995

Cardoso, N. O., Argimon, I. I. L., & Pereira, V. T. (2017). Jogos Eletrônicos e a Cognição em Idosos - Uma Revisão Sistemática.Psicología desde el Caribe,34(2), 139-160.Doi: https://dx.doi.org/10.14482/psdc.33.2.72784

Carvalho, R. G., Fernandes, E., Câmara, J., Gonçalves, J. A., Rosário, J., Freitas, S., & Carvalho, S. (2017). Relações de amizade e autoconceito na adolescência: um estudo exploratório em contexto escolar.Estudos de Psicologia,34(3),379-388. Doi: https://doi.org/10.1590/0104-4060.41444

Chamon, E. M. Q. O., Guareschi, P. A., & Campos, P. H. F. (2014). Textos e debates em representação social. Porto Alegre: ABRAPSO.

Comitê Gestor da Internet no Brasil. (2018). Pesquisa sobre o uso da internet por crianças e adolescentes no Brasil: TIC kids online Brasil 2017. Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR. Recuperado de: www.cgi.br. Acesso em 29 de junho de 2020.

Conselho Regional de Psicologia. (2016). Psicologia e Relações de Gênero e Sexualidade. Recuperado de: https://www.youtube.com/watch?v=e-FdPCBT2Tw. Acesso em 29 de junho de 2020.

Corrêa, I., da Silva, J., Bousfield, A., & Giacomozzi, A. (2020). Adolescência e Drogas: Representações Sociais e Atribuições de Causalidade ao Uso. Psi UNISC, 4(2), 43-61. Doi: https://doi.org/10.17058/psiunisc.v4i2.14941

Corrêa, M. V., & Rozados, H. B. F. (2017). A netnografia como método de pesquisa em Ciência da Informação. Encontros Bibli: Revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, 22(49), 1-18. Doi: http://dx.doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n49p1

Coser, F. S., & Giacomoni, C. H. (2019). As Relações entre o Uso de Jogos Eletrônicos, Personalidade e o Bem-Estar de Jogadores.Avaliação Psicológica, 18(4),382-391. Doi: http://dx.doi.org/10.15689/ap.2019.1804.18566.06

Fiorini, M. C., Moré, C. L. O. O., & Bardagi, M. P. (2017). Família e desenvolvimento de carreira de jovens adultos no contexto brasileiro: revisão integrativa.Revista Brasileira de Orientação Profissional,18(1), 43-55.Doi: https://dx.doi.org/10.26707/1984-7270/2017v18n1p43

Fortim, I., Jotta A., Souza G. T. O., Pareja, K. D. Z., Duprat, M., Lopes, P. A., & Poço, T. (2020). Conectados: pequenas reflexões sobre a tecnologia no cotidiano.São Paulo: Homo Ludens.

Koga, D. Y., & Laurenti, C. (2020). League of Legends e o ciclo vicioso do jogar no ambiente virtual.Revista De Psicologia,11(1), 59-69. Doi: https://doi.org/10.36517/revpsiufc.11.1.2020.6

Lemos, I. L., Gouveia, R. C. (2012). As representações sociais de violência nas sinopses de jogos eletrônicos. Comunicação & Inovação, 13 (25), 37 – 44. Doi: https://doi.org/10.13037/ci.vol13n25.1561.

Lemos, I. L., Gouveia, R. C., & Alves, L. R. G. (2014). As representações sociais de violência dos usuários de jogos eletrônicos. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 7(2), 199-207. Recuperado em 19 de outubro de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-82202014000200008&lng=pt&tlng=pt.

Lübeck, R. M., Schrõeder, C. S., & Wittmann, M. L. (2018). Quais categorias se relacionam à imagem corporal na literatura de conduta do consumidor e psicologia?Pensamiento & Gestión, 45, 161-180.Doi: http://dx.doi.org/10.14482/pege.45.9434

Maia D. A. C., Costa, I. S., Almeida, H. S., Lopes, D. L, Costa, S. S. Perfil de adolescentes e jovens adultos portadores de HIV/AIDS na regiao nordeste brasileira entre os anos de 2004 e 2016. Adolescência & Saúde. 2019;16(2):72-81.

Medeiros, B. G., Pimentel, C. E., Sarmet, M. M., & Mariano, T. E. (2020). “Brutal Kill!” Violent video games as a predictor of aggression.Psico-USF,25(2), 261-271. Doi: https://dx.doi.org/10.1590/1413-82712020250205

Menti, D. C., & Araujo, D. C. (2017). Violência de gênero contra mulheres no cenário de esports. Conexão – Comunicação e Cultura, 16(31), 73-88. Doi: http://dx.doi.org/10.18226/21782687.v16.n31.03

Miranda, V. P. N., Morais, N. S., Faria, E. R., Amorim, P. R. S., Marins, J. C. B., Franceschini, S. C. C., ... & Priore, S. E. (2018). Insatisfação corporal, nível de atividade física e comportamento sedentário em adolescentes do sexo feminino.Revista Paulista de Pediatria,36(4), 482-490. Doi: https://doi.org/10.1590/1984-0462/;2018;36;4;00005

Oka, M. & Laurenti, C. (2018). Entre sexo e gênero: um estudo bibliográfico-exploratório das ciências da saúde. Saúde e Sociedade, 27(1), 238-251. Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902018170524

Oliveira, M. P. M. T., Cintra, L. A. D., Bedoian, G., Nascimento, R., Ferré, R. R., & Silva, M. T. A. (2017). Uso de Internet e de Jogos Eletrônicos entre Adolescentes em Situação de Vulnerabilidade Social.Trends Psychology,25(3),1167-1183. Doi: https://dx.doi.org/10.9788/TP2017.3-13Pt

Pareja, K. D. Z., Fortim, I., Jotta A., Souza G. T. O., Duprat, M. Lopes, P. A., & Poço, T. (2020). Conectados: pequenas reflexões sobre a tecnologia no cotidiano.São Paulo: Homo Ludens.

Pinto, D.,Cádima, F. R., Coelho, J., & Dias, L. (2017). Novos usos e desafios para os videojogos: streaming, questões de género e assédio online.Media & Jornalismo, 17(31), 165-176. Doi: http://dx.doi.org/10.14195/2183-5462_31_11

Ponciano, E. L. T., Alves, A. L., Guimarães, K., Mello, D., & Padilha, A. P. (2018). Integrando o desenvolvimento desde a adolescência: teorias, pesquisas e exercícios para a qualidade de vida.Psicologia Clínica, 30(2),389-394. Doi: https://dx.doi.org/10.33208/PC1980-5438v0030n02R02

Queiroz, M. F. A., & Perfeito, J. P. (2013). Ludicidade e redes sociais: Investigando o CityVille. Ciências e cognição, 18(2), 115-128.

Ramos, D. K., Fronza, F. C. A. O., & Cardoso, F. L. (2018). Jogos eletrônicos e funções executivas de universitários.Estudos de Psicologia, 35(2), 217-228. Doi: https://doi.org/10.1590/1982-02752018000200010

Retondar, J. J. M., Bonnet, J. C., & Harris, E. R. A. (2016). Jogos eletrônicos: corporeidade, violência e compulsividade.Revista Brasileira de Ciências e Esporte, 38(1), 3-10. Doi: http://doi.org/10.1016/j.rbce.2015.12.006

Santrock, J. W. (2014). Adolescência (14a ed.). New York: McGraw.

Soares, S. S. D., & Stengel, M. (2019). Entre as amizades perfeitas e virtuais, o sujeito adolescente.Tempo psicanalitico,51(2), 195-223.

Schoen-Ferreira, T. H., Aznar-Farias, M., & Silvares, E. F. M. (2010). Adolescência através dos séculos.Psicologia: Teoria e Pesquisa,26(2), 227-234.Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-37722010000200004

Schlosser, A., Giacomozzi, A., Camargo, B., & Wachelke, J. (2020). Representações Sociais da Tatuagem para Pessoas Tatuadas. Psi UNISC, 4(2), 62-78. Doi: https://doi.org/10.17058/psiunisc.v4i2.14945

Sousa, D. P., Paula, E. F., Pelinson, F., Antunes, A. C., & Junior, C. R. O. (2019). As representações sociais sobre a extinção do ministério do esporte para usuários do twitter: um estudo netnográfico. Motrivivência: Revista de Educação Física, Esporte e Lazer, 31(60), 1- 21. Doi: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2019e66834

Souza, M. A. A. L., & Real, L. M. C. (2017). O caráter autotélico de League of Legends. Sociedade Brasileira de Computação. Recuperado de: http://www.sbgames.org/sbgames2017/papers/CulturaFull/173531.pdf. Acesso em 29 de junho de 2020.

Strey, M. N. (2013). Psicologia social contemporânea: livro-texto. Rio de Janeiro: Vozes.

Vasconcelos, A. C. S., Monteiro, R. J. S., Facundes, V. L. D., Trajano, M. F. C., & Gontijo, D. T. (2016). Eu virei homem! A construção das masculinidades para adolescentes participantes de um projeto de promoção de saúde sexual e reprodutiva.Saúde e Sociedade,25(1), 186-197.Doi: http://doi.org/10.1590/S0104-12902016145555

Publicado
2021-07-01
Como Citar
de Campos, D., & Becker da Silva, A. M. (2021). Representações da identidade corporal em jogos eletrônicos por adolescentes e adultos jovens / Body identity representations in eletronic games by adolescentes and young adults. Revista De Psicologia, 12(2), 43 - 55. https://doi.org/10.36517/revpsiufc.12.2.2021.3