As cartas de Franz Kafka a Milena Jesenská: um romance epistolar entre medos e desejos

  • Tito Lívio Cruz Romão Universidade Federal do Ceará (UFC)

Resumo

Em abril de 1920, Franz Kafka se encontrava em Merano, localidade então muito conhecida por suas estações terapêuticas para pacientes de doenças pulmonares, quando iniciou uma correspondência com Milena Jesenská. Tratava-se de uma jovem intelectual tcheca com um passado bastante atribulado, que se interessara em traduzir para o tcheco algumas narrativas kafkianas e publicá-las em revistas praguenses. Casada com o literato judeo-tcheco Ernst Pollak, Milena vivia em Viena, onde, no período imediatamente após o fim da Primeira Guerra Mundial, passava sérias dificuldades financeiras. Para Kafka, sua intensa correspondência com Milena se tornaria uma obsessão e, para ela, quiçá a promessa de um refrigério para suavizar seus muitos problemas cotidianos. Tanto devido à separação geográfica, pois Kafka vivia em Praga, quanto talvez às inibições sexuais do escritor, essa troca de cartas – de que somente se puderam recuperar as cartas escritas por ele – desembocou em poucos contatos realmente íntimos, tornando-se, muito mais, sobretudo para Kafka, uma forma de escrever sobre cartas (cf. STACH, p. 363). O objetivo central deste artigo é apresentar um panorama de três temas desenvolvidos a partir das cartas de Kafka à sua amada, a saber: a) a amante-tradutora de Kafka; b) medo, angústia e ansiedade; e c) Kafka e as línguas estrangeiras. Uma das conclusões apresentadas neste artigo aponta para a quase impossibilidade de uma vida em comum entre Milena, de certo modo acostumada a uma vida mais libertina e até mesmo à margem da lei, e Kafka, um homem extremamente sisudo e, ademais, cheio de temores em relação à prática sexual.

Biografia do Autor

Tito Lívio Cruz Romão, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutor em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduado em Letras (Francês-Inglês-Português pela Universidade Estadual do Ceará, Mestre em Linguística Aplicada / Estudos da Tradução pela Johannes-Gutenberg Universität Mainz (Alemanha) e Especialista em Interpretação Simultânea e Consecutiva pela Ruprecht Karl-Universität Heidelberg (Alemanha). Tradutor Público e Intérprete Comercial nomeado pela Junta Comercial do Estado do Ceará para a língua alemã. Desde 1993 professor de língua e cultura alemã no Curso de Letras da UFC. Desde 2017 membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC. Tradutor de vários livros e artigos das línguas alemã, francesa e inglesa.

Referências

BAMBERGER et al. 1995. Österreich-Lexikon. 2 vol. Viena: Ed. Hölzel, 1995.

BINDER, H.; PARIK, J. Kafka. Ein Leben in Prag. Munique: Mahnert-Lueg, 1982.

BROD, M. (ed.). Franz Kafka Briefe 1902-1924. Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch Verlag, 1989a.

BROD, M. (ed.). Franz Kafka. Tagebücher 1910-1923. Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch Verlag, 1989b.

BROD, M. Franz Kafka. A Biography. Nova Iorque: Schocken Books, [1947] 1995.

DTV-LEXIKON. dtv-Lexikon in 24 Bänden. Munique: Wissen Media Verlag, 2006.

HAAS, W. Briefe an Milena. Frankfurt am Main: S. Fischer Verlag, 1952.

HANNS, L. A. Dicionário comentado do alemão de Freud. R. de Janeiro: Imago, 1996.

KAFKA, F. Lettere a Milena. Trad. de E. Pocar & E. Ganni. Milão: Oscar Mondadori, 1988.

KAFKA, F. Três cartas a Milena Jesenská. Trad. de Álvaro Gonçalves. Lisboa: Assírio & Alvim, 2003.

KILCHER, A. Freiheit, Tod und Krankheit zum Tod. Zurique: Neue Zürcher Zeitung, 14/09/2013; em: https://www.nzz.ch/freiheit-liebe-und-krankheit-zum-tod-1.18149736

STACH, R. Die Jahre der Erkenntnis. Frankfurt am Main: S. Fischer, 2008a.

STACH, R. Die Jahre der Entscheidungen. Frankfurt am Main: S. Fischer, [2004] 2008b.

STACH, R. Die frühen Jahre. Frankfurt am Main: S. Fischer, 2014.

WAGENBACH, K. Franz Kafka. Reinbek bei Hamburg: Rowohlt, [1964] 1989.

Publicado
2019-07-30