Estratégias defensivas de trabalhadoras de enfermagem em pronto-socorro pediátrico

  • Fabricio Alberto Lamb Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM)
  • Carmem Lúcia Colomé Beck Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Alexa Pupiara Flores Coelho Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Susan Bublitz Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Fabiele Aozane Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Paula Hübner Freitas Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Keywords: Enfermagem em Emergência, Saúde do Trabalhador, Enfermagem Pediátrica.

Abstract

Objetivo: compreender as estratégias defensivas de trabalhadoras de enfermagem em pronto-socorro pediátrico. Métodos: pesquisa qualitativa, realizada com nove trabalhadoras de enfermagem de um pronto-socorro pediátrico de um hospital universitário público federal. Os dados foram produzidos por meio do grupo focal e submetidos à análise temática de conteúdo. Resultados: as trabalhadoras de enfermagem referiram a necessidade de afastamento emocional e afetivo em relação ao trabalho, às crianças e às famílias, bem como o apoio na sensação de “dever cumprido” para evitar o sofrimento. Recorriam, ainda, à família, lazer, espiritualidade/religiosidade, psicoterapia e apoio da equipe de trabalho para a manutenção do bem-estar e da saúde psíquica dentro e fora do ambiente laboral. Conclusão: o distanciamento, a racionalização e a busca por espaços de refúgio despontam como estratégias defensivas individuais, ao passo que a colaboração e a coesão do coletivo de trabalho representam estratégias coletivas de defesa.

Author Biographies

Fabricio Alberto Lamb, Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM)
Enfermeiro. Mestre em Psicologia. Enfermeiro do Pronto-Socorro Pediátrico do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). Santa Maria, RS, Brasil.
Carmem Lúcia Colomé Beck, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Titular do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, RS, Brasil.
Alexa Pupiara Flores Coelho, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Enfermeira e Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (Rio Grande do Sul). Doutoranda em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSM. Membro do Grupo de Pesquisa Trabalho, Saúde, Educação e Enfermagem da UFSM, linha de pesquisa Saúde/Sofrimento Psíquico do Trabalhador. Atua sobretudo em pesquisa qualitativa em saúde, nos seguintes temas: saúde do trabalhador; psicodinâmica do trabalho; trabalho feminino; trabalhadores vulneráveis; Pesquisa Convergente-Assistencial. Bolsista CAPES.
Susan Bublitz, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Enfermeira da Clínica Cirúrgica do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). Santa Maria, RS, Brasil.
Fabiele Aozane, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Enfermeira. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, RS, Brasil.
Paula Hübner Freitas, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Discente do curso técnico em Segurança do Trabalho da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, RS, Brasil.
Published
2017-09-18
Section
Article