A atualidade das contribuições de Karl Marx e Friedrich Engels para a crítica das reformas neoliberais na educação no Brasil

Autores

  • Leonardo Dorneles Gonçalves Universidade Federal do Rio Grande - UFRS
  • Magda Gisela Cruz dos Santos Secretaria de Educação Básica do Rio Grande do Sul - SEDUCRS
  • Franciele Soares dos Santos Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i25.68009

Palavras-chave:

Trabalho, Politecnia, Omnilateralidade, Educação, Capitalismo

Resumo

O artigo aborda a atualidade dos referenciais de Karl Marx e Friedrich Engels para a análise crítica do reformismo neoliberal ortodoxo. Com base nas categorias trabalho, politecnia e omnilateralidade, destacamos a distinção fundamental da relação trabalho e educação que fundamenta sua concepção de educação/formação da classe trabalhadora, daquela proposta pelas reformas neoliberais da atualidade brasileira. O texto é resultado dos estudos bibliográficos exploratórios realizados em três pesquisas em nível de doutorado, que adotaram como referenciais as principais obras de Marx e Engels. O estudo demonstra que, as categorias educação politécnica e omnilateralidade nas obras dos autores expressam a possibilidade de uma relação entre trabalho e educação que contribua para a superação da sociedade de classes. Constituem, portanto, fundamentos para a análise crítica das reformas neoliberais e para a consolidação do projeto de educação que importa para a classe trabalhadora.

Biografia do Autor

Leonardo Dorneles Gonçalves, Universidade Federal do Rio Grande - UFRS

Pedagogo e Mestre pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Doutor em Educação pela Universidade Federal de Pelotas - UFPel. Professor do Instituto de Educação - Políticas Públicas da Educação da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. É pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais, Gestão e Financiamento da Educação - GEPEFI da Universidade Estadual de Maringá, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais - NEPPE (UFPel) e Núcleo Educamemoria (FURG). Colabora com estudos junto ao Observatório dos Conflitos Urbanos e Socioambientais do Extremo Sul do Brasil (FURG). Atualmente desenvolve estudos sobre Estado, Políticas Educacionais, Ensino Médio e suas relações com as mudanças no mundo do trabalho.

Orcid: https://orcid.org/0000-0001-8093-8493

Magda Gisela Cruz dos Santos, Secretaria de Educação Básica do Rio Grande do Sul - SEDUCRS

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas na linha de Filosofia e História da Educação e Mestre em Educação pelo mesmo programa. Graduada em Ciências Sociais (bacharelado e licenciatura) pela Universidade Federal de Pelotas. Integrante do Grupo de Pesquisa Trabalho, Movimentos Sociais e Educação (TRAMSE) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui experiência na área de Educação, principalmente em relação aos temas: políticas públicas, trabalho e educação, educação popular, formação integral, movimentos sociais, escola pública e Educação do Campo. Foi pesquisadora na primeira edição do Projeto Observatório da Educação do Campo em seu núcleo no Estado do Rio Grande do Sul (CAPES/INEP). Atuou como professora da Educação Básica, coordenadora pedagógica e supervisora de estágio docente, na rede pública estadual e municipal de Pelotas. Atualmente é pesquisadora do Projeto Observatório da Educação do Campo no Rio Grande do Sul (UFRGS).

Orcid: https://orcid.org/0000-0001-8971-9609

Franciele Soares dos Santos, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2004) . Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Doutora em Educação pela Universidade Federal de Pelotas - UFPel (2016). Atualmente é professora adjunta da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: fundamentos da educação, trabalho e educação, pedagogias contra-hegemônicas e educação escolar , movimentos sociais populares do campo e educação, educação infantil e formação de professores. Membro do grupo de pesquisa: Sociedade, trabalho e educação-GESTE- Unioeste- campus de Francisco Beltrão-PR.

Orcid: https://orcid.org/0000-0003-1223-1650

Referências

FREITAS, Luis Carlos de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.
FREITAS, Luiz Carlos de. A pedagogia socialista: devolvendo a voz aos pioneiros da educação russa. In. CALDART, Roseli, BÔAS, Rafael Litvin Villas (orgs). Pedagogia socialista: legado da revolução russa de 1917 e desafios atuais. São Paulo: Expressão Popular, 2017.
FREITAS, Luiz Carlos de. Os empresários e a política educacional: como o proclamado direito à educação de qualidade é negado na prática pelos reformadores empresariais. In: Boletim de Educação – Número 12. II Encontro Nacional de Educadoras e Educadores da Reforma Agrária – II ENERA: Textos para estudo e debate. MST. São Paulo, 2014.
FREITAS, Luiz Carlos de. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. In: Educação e Sociedade. Campinas, v. 33, n.119, p.379-404. Abr. jun. 2012.
FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e Crise do Capitalismo Real. 2a ed. São Paulo: Cortez, 1996.
FRIGOTTO, Gaudêncio. Escola e trabalho numa perspectiva histórica: contradições e controvérsias. Sísifo / Revista Ciências da Educação. n.º 9, maio/agosto p.129-136, 2009.
HARVEY, David. O enigma do capital: e as crises do capitalismo. São Paulo, SP: Boitempo, 2011.
KUENZER, Acácia. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: Lombardi, J. C., Saviani, D. & Sanfelice, J. L. Capitalismo, Trabalho e Educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2002, p. 77-96.
LEHER, Roberto. Atualidade da política pública educacional e desafios da educação dos trabalhadores. In: PALUDO, Conceição. I SIFEDOC: Campo e cidade em busca de caminhos comuns. Pelotas, UFPel, 2014, p. 159-178.
MARTINS, André Silva NEVES, Lucia Maria Wanderley. Pedagogia do Capital. In: CALDART, Roseli S., PEREIRA, Isabel B., ALENTEJANO, Paulo, FRIGOTTO, Gaudêncio. Dicionário de Educação do campo. Rio de Janeiro. São Paulo: EPSJV. Expressão Popular, 2012, p.540-547.
MARX, Karl. Crítica ao Programa de Gotha. São Paulo: Boitempo, 2012.
MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.
MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. Manifesto Comunista. São Paulo: Boitempo, 2007a.
MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. Textos sobre Educação e Ensino. Campinas, SP: Navegando, 2011.
MARX, Karl. Manuscritos econômicos-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2009.
MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2013.
MASCARO. Alysson Leandro. Estado e Forma Política. São Paulo: Boitempo, 2013.
MESZAROS, István. A educação para além do capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.
MESZAROS, István. Crise Estrutural do Capital. São Paulo: Boitempo, 2009.
NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.
RAMOS, Marise Nogueira. Pedagogia das Competências. In: BRASIL, Isabel Pereira. LIMA, Julia Cesar França. Dicionário da educação profissional em saúde. 2.ed. Rio de Janeiro: EPSJV, 2008, p. 299-305.
ROSSI, Wagner Gonçalves. Pedagogia do trabalho: raízes da educação socialista. São Paulo: Moraes, 1981.
SANTOS, Franciele Soares dos. Trabalho educação e formação humana no MST: tensionando a forma histórica escolar à luz da pedagogia socialista. 2016. 223 f. Tese (Doutorado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2016.
SHIROMA, Eneida, GARCIA, ROSALBA Maria Cardoso e CAMPOS, Roselane de Fátima. Conversão de “almas” pela liturgia da palavra: uma análise do discurso todos pela educação. In: BALL, Stephen J. E MAINARDES, Jefferson. Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011, p. 222-248.
SHIROMA, Eneida. CAMPOS, Roselane Fátima. GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Decifrar textos para compreender a política: subsídios teórico-metodológicos para análise de documentos. In. Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n. 02, p. 427-446, jul./dez. 2005.
SHIROMA, Eneida. EVANGELISTA, Olinda. Um fantasma ronda o professor: a mística da competência. In: MORAES, Maria Celia Marcondes. (org.).In: Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003, p. 80-98.
SOUZA JUNIOR, Justino de. Politecnia e Omnilateralidade em Marx, Trabalho e Educação, Belo Horizonte, v.5, n.5, jan/dez, 1999, p. 98-114.
SUCHODOLSKI, Bogdan. Fundamentos de pedagogia socialista. Barcelona, Editorial Laia, 1976.
TORRES, Rosa María. Melhorar a qualidade da educação básica? As estratégias do Banco Mundial. TOMMASI, L. De; WARDE, J. M.; HADDAD, S. (Orgs.) O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez Ed./Ação Educativa/PUC-SP, 1996, p. 125-193.

Downloads

Publicado

2021-04-27

Como Citar

GONÇALVES, Leonardo Dorneles; SANTOS, Magda Gisela Cruz dos; SANTOS, Franciele Soares dos. A atualidade das contribuições de Karl Marx e Friedrich Engels para a crítica das reformas neoliberais na educação no Brasil. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 25, p. 52–75, 2021. DOI: 10.29148/labor.v1i25.68009. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/68009. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.