Retratos do ensino profissional agrícola no Brasil:

da escola média de agricultura de Pinheiro ao colégio agrícola Nilo Peçanha (1910-1964)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i24.44206

Palavras-chave:

Educação profissional agrícola, Pragmatismo, Assistencialismo

Resumo

Este trabalho situa-se no âmbito da História das Instituições Escolares e teve como objeto de estudo os estabelecimentos de ensino formal que deram origem ao Instituto Federal do Rio de Janeiro/ Campus Pinheiral, com o objetivo de analisar seu processo de constituição e formação oferecida aos alunos do ensino profissional agrícola, no período compreendido entre 1910 a 1964. A escolha deste período contempla a promulgação do decreto n° 8.367/1910, que instituiu a Escola Média de Agricultura de Pinheiro até o início da ditadura civil-militar, ano que a escola foi transformada em colégio. Nossa abordagem metodológica pautou-se em pesquisa bibliográfica e documental. No que se refere a primeira, buscamos situar a criação da escola no contexto político e econômico nacional. Para investigar especificamente, fatores relacionados a Escola, baseamo-nos principalmente em legislações e relatórios ministeriais. Os resultados evidenciaram a subordinação da educação profissional agrícola ao projeto de modernização agrária do país, apontando a ligação entre pragmatismo, assistencialismo e educação profissional.

Biografia do Autor

Lidiane Dias da Silva, Instituto Federal do Rio de Janeiro

Graduada em História (Licenciatura) e Pós-Graduada em História do Brasil (Lato Sensu), ambos pelo Centro Universitário de Barra Mansa. Atualmente cursa o mestrado profissional em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT). Possui experiência com Educação Básica e Superior, tendo atuado nas modalidades regular e a distância. Atualmente exerce a função de Técnica em Assuntos Educacionais no Instituto Federal do Rio de Janeiro.

Marta Ferreira Abdala Mendes, Instituto Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1991), mestrado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2002) e doutorado em História das Ciências pela Fundação Oswaldo Cruz (2006). A atualmente é coordenadora e professora do Curso de Especialização em Educação e Divulgação Científica do IFRJ/campus Mesquita e coordenadora de Pesquisa do campus Mesquita, professora do Curso de Especialização em Ensino de Ciências do IFRJ/campus Mesquita e professora do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica do IFRJ/campus Mesquita. Foi coordenadora do Curso de Especialização em Ensino de Ciências e Matemática de 2011 a 2014 e professora das Licenciaturas em Física e em Matemática de 2008 a 2014 do IFRJ/campus Volta Redonda. Tem experiência na área de Educação Científica, com ênfase em Ensino-Aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: metodologia, ensino de ciências, história e filosofia da ciência, divulgação científica.

Referências

BHERING, Marcos Jungmann; MAIO, Marcos Chor. Ciência, positivismo e agricultura: uma análise do Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio na Primeira República. Varia historia, v. 27, n. 46, p. 689-709, 2011.

BRASIL. Decreto 1.606 de 29 de dezembro de 1906. Crea uma Secretaria de Estado com a denominação de Ministerio dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio. <Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1900-1909/decreto-1606-29-dezembro-1906-582057-publicacaooriginal-104760-pl.html> Acesso em: 10 set. 2018.

BRASIL. Decreto 12.894 de 28 de fevereiro de 1918. < Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1910-1919/decreto-12894-28-fevereiro-1918-519817-publicacaooriginal-1-pe.html > Acesso em: 11 ago. 2018.

BRASIL. Decreto 14.252 de 10 de dezembro de 1943. Aprova o Regimento dos Aprendizados Agrícolas. < Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1940-1949/decreto-14252-10-dezembro-1943-462045-publicacaooriginal-1-pe.html> Acesso em: 10 set. 2018.

BRASIL. Decreto 40.269 de 05 de novembro de 1956. Transforma em Escola Agrotécnica a Escola Agrícola “Nilo Peçanha”. Rio de Janeiro, novembro de 1956. < Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1950-1959/decreto-40269-5-novembro-1956-332163-publicacaooriginal-1-pe.html> Acesso em: 15 fev. 2019.

BRASIL. Decreto 53.558 de 13 de fevereiro de 1964. Altera denominação de escolas de iniciação agrícola, agrícolas e agrotécnicas. <Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-53558-13-fevereiro-1964-393545-publicacaooriginal-1-pe.html> Acesso em: 11 ago. 2018.

BRASIL. Decreto 7.622 de 21 de outubro de 1909. Crêa a Directoria de Industria Animal. <Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1900-1909/decreto-7622-21-outubro-1909-524692-publicacaooriginal-1-pe.html> Data de acesso: 10 set. 2018.

BRASIL. Decreto 8.319 de 20 de outubro de 1910. Cria o Ensino Agronômico e aprova o respectivo regulamento. Rio de Janeiro, outubro de 2010. <Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1910-1919/decreto-8319-20-outubro-1910-517122-publicacaooriginal-1-pe.html> Acesso em: 11 fev. 2019.

BRASIL. Decreto n° 8.367 de 10 de novembro de 1910. Dá regulamento ao Posto zootechnico Federal, creado pelo decreto n. 7.622, de 21 de outubro de 1909, com a denominação de Directoria de Industria Animal. < Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1910-1919/decreto-8366-10-novembro-1910-517118-republicacao-111202-pe.html> Acesso em: 13 set. 2018.
BRASIL. Decreto nº 7.566 de 23 de setembro de 1909. Crêa nas capitaes dos Estados da Republica Escolas de Aprendizes Artifices, para o ensino profissional primario e gratuito. < Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1900-1909/decreto-7566-23-setembro-1909-525411-publicacaooriginal-1-pe.html> Data de Acesso: 10 set. 2018.

BRASIL. Decreto-lei 9.613 de 20 de agosto de 1946. Lei Orgânica do Ensino Agrícola. <Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-9613-20-agosto-1946-453681-publicacaooriginal-1-pe.html> Acesso em: 11 ago. 2018.

BRASIL. Lei 2.222 de 30 de dezembro de 1909. Fixa a despesa geral da República dos Estados Unidos do Brazil para o exercício de 1910 e dá outras providências. < Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1900-1909/lei-2221-30-dezembro-1909-581770-anexo-pl.pdf> Acesso em: 12 ago. 2019.

BRASIL. Lei 4.4024 de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. <Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1960-1969/lei-4024-20-dezembro-1961-353722-normaatualizada-pl.html> Acesso em: 11 ago. 2018.

BRASIL. Relatório anual. Ministério da Agricultura, Indústria e Commercio. Rio de Janeiro, 1913.

BRASIL. Relatório anual. Ministério da Agricultura, Indústria e Commercio. Rio de Janeiro, 1912.

BRASIL. Relatório anual. Ministério da Agricultura, Indústria e Commercio. Rio de Janeiro, 1918.

BRASIL. Relatório anual. Ministério da Agricultura, Indústria e Commercio. Rio de Janeiro, 1920.

BRASIL. Relatório anual. Ministério da Agricultura. Rio de Janeiro, 1933.

BRASIL. Relatório anual. Ministério da Agricultura. Rio de Janeiro, 1944.

CIAVATTA, Maria. A formação integrada à escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. Revista Trabalho Necessário, v. 3, n. 3, 2005.

FERREIRA, Kênia Bueno de Castro. A semiformação do ensino agrícola na Escola Agrotécnica Federal de Rio Verde–GO. 2002. Tese de Doutorado. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Goiás. Goiânia. fl. 245.

GABLER, Louise. A Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura, Comércio e Obras Públicas e a modernização do Império. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2012.
MEIRA, Roberta Barros. Semeando ideias: os discursos em prol do ensino agrícola no Brasil do final do Império às primeiras décadas da República. Educação Unisinos, v. 21, n. 2, p. 265-274, 2017.

MENDONÇA, Sonia Regina de. Políticas agrícolas e patronato agroindustrial no Brasil (1909-1945). História Econômica & História de Empresas, v. 16, n. 1, 2013.

MOREIRA, Eduardo. História Memória e Poder: Um estudo Macro e Micro Político Sobre a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Centro de Ciências do Homem. Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Campos dos Goytacazes, 2015.

NERY, Marco Arlindo Amorim Melo. As disputas em torno do ministério da agricultura, indústria e comércio e a confecção da primeira lei de ensino agrícola no Brasil. Revista HISTEDBR On-Line, v. 15, n. 63, p. 64-88, 2015.

NOVA orientação ao ensino agrícola no Brasil. Jornal A Manhã. Ed. 01557, 04 de setembro de 1946.

RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação de Pinheiral. Pinheiral: A História que o povo conta, 2010, p. 63.

TRABALHA a Comissão Brasileiro-Americana da Educação das Populações Rurais. Jornal A Noite. Ed. 12.348, 06 de agosto de 1946, p. 6.

Downloads

Publicado

2020-10-19

Como Citar

SILVA, Lidiane Dias da; MENDES, Marta Ferreira Abdala. Retratos do ensino profissional agrícola no Brasil: : da escola média de agricultura de Pinheiro ao colégio agrícola Nilo Peçanha (1910-1964). Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 24, p. 314–330, 2020. DOI: 10.29148/labor.v1i24.44206. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/44206. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.