Profissionalização de pobres em escolas católicas do Rio de Janeiro no século XIX

Autores

  • Marco Aurélio Corrêa Martins Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i24.60161

Palavras-chave:

Educação católica; Educação profissional; Abolição da Escravatura; Religião e Educação.

Resumo

Duas escolas católicas, fundadas nas décadas finais do Império, foram especificamente profissionalizantes: Escola Doméstica Nossa Senhora do Amparo, feminina, fundada em Petrópolis e Escola Santa Rosa, masculina, fundada em Niterói. A análise procurou observar o tipo de profissionalização proposta no contexto da transição do trabalho escravo para o trabalho livre e o desenvolvimento de uma sociedade urbano-industrial. Uma pesquisa bibliográfica, com fontes apontadas por publicações próprias dessas escolas, permite observar, na história por elas narradas, as questões propostas pelo artigo que incluem alguns fatores pedagógicos que pudessem intervir na instrução do trabalhador, no tipo de profissionalização ofertada, na visão da pobreza e desvalimento para o socorro pela caridade e sua interseção com os projetos de educação ou sua ausência. Com Marshall (1967) e Carvalho (2015) busca-se colocar essa trajetória escolar no contexto da formulação do direito social à educação e com Paul Ricoeur (2010), compreender as bases da proposta de intervenção educacional para a nova relação de trabalho que estava na expectação da sociedade do momento.

Biografia do Autor

Marco Aurélio Corrêa Martins, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

Possui graduação em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (1990), graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1993), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1999) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2013). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia, Sociologia e História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: história da educação, pensamento educacional, educação superior, pensamento religioso e história da igreja. Tem experiência em escola pública de ensino fundamental, médio e superior, atuando como professor e coordenador pedagógico. Atualmente é professor do Departamento de Fundamentos da Educação da Escola de Educação/Centro de Ciências Humanas da UNIRIO.

Referências

A ESCOLA DOMESTICA de Nossa Senhora do Amparo O Apostolo, Rio de Janeiro, 16 ago. 1868, ano III, n. 33, p. 2 (258). Disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/343951/926. Acesso em 09 jul. 2020.
ALBUQUERQUE, Antônio Luiz Porto e. Utopia e crise social no Brasil; 1871-1916; O pensamento do Padre Júlio Maria. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1994.
ANDRADE, João Francisco de Siqueira. Escola Doméstica Nossa Senhora do Amparo em Petrópolis. Correio Mercantil, Rio de Janeiro, ano XXV, n. 236, p.3. Disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/217280/29509. Acesso em 16 jul. 2020.
AZEVEDO, Fernando. A cultura brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 1943.
AZZI, Riolando. Os Salesianos no Rio de Janeiro; Os primórdios da obra salesiana (1875-1884). São Paulo: Salesiana Dom Bosco, 1982. Vol. 1.
AZZI, Riolando. Os Salesianos no Rio de Janeiro; A implantação da obra salesiana (1884-1894). São Paulo: Salesiana Dom Bosco, 1983. Vol. 2.
AZZI, Riolando. Os Salesianos no Rio de Janeiro; A organização da obra salesiana (1894-1908). São Paulo: Salesiana Dom Bosco, 1983. Vol. 3.
BAGGIO, Hugo D. Padre Siqueira; Uma resposta à educação do menor carente no Brasil. Petrópolis: Congregação das Irmãs Franciscanas do Amparo, 1987.
BARBOSA, Rui. Obras completas; Reforma do ensino secundário e superior. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1942. Vol. IX, Tomo I.
BARBOSA, Rui. Reforma do Ensino Primário e várias instituições complementares de instrução pública. Rio de Janeiro: Tipografia Nacional, 1883.
BASTOS, Wilson de Lima. Academia de Comércio de Juiz de Fora; O 1º Instituto superior de Comércio no Brasil - Subsídios para a história e a historiografia. Juiz de Fora: Ed. Paraibuna, 1982.
BIGO, Pierre. A doutrina social da Igreja. São Paulo: Loyola, 1969.
BRASIL. Decreto nº 1.331-A, de 17 de fevereiro de 1854. Aprova o Regulamento para a reforma do ensino primário e secundário do Município da Corte. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-1331-a-17-fevereiro-1854-590146-publicacaooriginal-115292-pe.html. Acesso em: 08 jul. 2020.
BRASIL. Decreto nº 5.849, de 09 de janeiro de 1875. Approva o Regulamento do Asylo de meninos desvalidos. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-5849-9-janeiro-1875-549781-publicacaooriginal-65299-pe.html Acesso em 08 jul. 2020.
BRASIL. Decreto nº 7.247, de 19 de abril de 1879 Reforma o ensino primário e secundário no município da Corte e o superior em todo o Império. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-7247-19-abril-1879-547933-publicacaooriginal-62862-pe.html Acesso em 07 jul. 2020.
BRASIL. Lei nº 2.040, de 28 de setembro de 1871. Declara de condição livre os filhos de mulher escrava que nascerem desde a data desta lei, libertos os escravos da nação e outros, e providência sobre a criação e tratamento daqueles filhos menores e sobre a libertação anual de escravos. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lim/lim2040.htm. Acesso em 08 jul. 2020.
CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: um longo caminho. 19. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.
CUNHA, Luiz Antônio. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo/Brasília: Unesc/Flacso, 2005.
FAZENDA, Vieira. Os provedores da misericórdia; XXXIII. A Notícia, Rio de Janeiro, 25 maio 1909, ano XVI, n. 117, p. 3. Disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/830380/15025. Acesso em 08 jul. 2020.
FERREIRA, Leonardo da Costa. Educação, escolas e trabalho; Projetos e reformas educacionais entre o Império e a República brasileira (1878-1909). 2015. 208f. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2015. Disponível em https://www.historia.uff.br/stricto/td/1747.pdf. Acesso em 07 jul. 2020.
GABLER, Louise. Aula de Comércio da Corte. ARQUIVO NACIONAL; Memória da Administração Pública Brasileira (MAPA). Disponível em http://mapa.an.gov.br/index.php/menu-de-categorias-2/259-aula-de-comercio-da-corte-1822-1889 Acesso em 08 jul. 2020.
GOMES, Eveline Viterbo. Os operários da fé e a divulgação da ordem religiosa: o projeto de educação católica em O Apostolo (1866-1882). 2018. 157 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.
HÓSTIA, Áurea de Jesus. O Padre Siqueira; sua via e sua obra. Petrópolis: Vozes, 1957.
LEAL, Luciana Silva. Escola Doméstica Nossa Senhora do Amparo de escolarização de mulheres negras na primeira república (1889-1910). 2017. 147f. Dissertação (Mestrado em educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/20221/2/Luciana%20Silva%20Leal.pdf. Acesso em 07 jul. 2020.
LEÃO XIII. Rerum novarum. 1891. Disponível em: http://www.vatican.va/holy_father/leo_xiii/encyclicals/documents/hf_l-xiii_enc_15051891_rerum-novarum_po.html. Acesso em: 12 jul. 2010.
LOBO NETO, Francisco José da Silveira. Documento e Memória: Leôncio de Carvalho (1847 – 1912) e a educação imperial. Trabalho Necessário, Niterói, v. 10, n. 15, 2012. Disponível em https://doi.org/10.22409/tn.10i15.p6869. Acesso em 07 jul. 2020.
MARSHALL, T. H. Cidadania e Classe Social. In: MARSHALL, T. H. Cidadania, Classe Social e “Status”. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1967. p. 57-87.
MARTINS, Marco Aurélio Corrêa. A caridade na ausência da cidadania: escolarização católica gratuita de crianças pobres no Rio de Janeiro na transição Império-República. Inter-Ação, Goiânia, v. 44, n. 02, p. 341-357, 2019. Disponível em https://doi.org/10.5216/ia.v44i2.56705. Acesso em 09 jul. 2020.
MARTINS, Marco Aurélio Corrêa. Padre Júlio Maria e a apologética da Igreja do povo: o ideal de república democrática no final do século XIX e a educação. Tese (Doutorado em educação). 218f. 2013. Faculdade de Educação, Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2013.
MOLLAT, Michel. Os pobres na Idade Média. Rio de Janeiro: Campus, 1989.
MOLINA, Rodrigo Sarruge. Primeiras escolas agrícolas no Brasil: Limites e falências (1877 A 1936). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, v. 12, n.46, jun2012, p. 309-324. Disponível em https://doi.org/10.20396/rho.v12i46.8640088. Acesso em 08 jul. 2020.
NASCIMENTO, Maria Isabel Moura O negro, da senzala para escola: A educação nos Congressos Agrícolas do Rio de Janeiro e Pernambuco (1878). Curitiba: Atena, 2017.
O CLERICALISMO. O Apóstolo, Rio de Janeiro, 14 dez. 1883, ano XVIII, n. 141, p. 1. Disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/343951/8707 Acesso em 13 jul. 2020.
O INÍCIO da justiça. O Fluminense, Niterói, 11 maio 1894, ano XVI, n. 2449, p. 1. Disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/100439_03/2579. Acesso em 17 jul. 2020.
PARISI NETO, Reinaldo. Práticas educativas envolvendo desvalidas e ingênuas; A institucionalização da Escola Doméstica de Nossa Senhora do Amparo, no Brasil Império (1864-1889). In: 14º Congresso de leitura do Brasil; 25 anos. Anais. Campinas, UNICAMP 22 a 25 de julho 2003. Disponível em http://alb.com.br/arquivomorto/edicoes_anteriores/anais14/Sem08/C08036.doc. Acesso em 11 ago. 2016.
PEÇANHA, Natália Batista. O Serviço doméstico e o mundo do trabalho carioca: uma análise das relações de trabalho de criadas nacionais e estrangeiras na passagem do século XIX para o XX. Revista Maracanan, Rio de Janeiro, n. 21, p. 11-28, maio/ago. 2019. Disponível em https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/maracanan/article/view/40150 Acesso em 09 jul. 2020.
PEDRO II. Fala de 1889; n. 124. In: FALLAS do trono. Documento manuscrito. Disponível em https://www12.senado.leg.br/institucional/arquivo/documentos-apenas/fallas-do-throno acesso em 07 jul. 2020. Manuscritos.
PEIXOTO, Anderson Bruno Ribeiro. O modelo de educação católica, sob a ótica do jornal “O APÓSTOLO” e suas orientações. Rio de Janeiro. 2019. 57f. Monografia (Licenciatura em Pedagogia). Escola de Educação Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2019.
PEREIRA, Edna Braga. A educação de crianças pobres e desvalidas na segunda metade do século XIX; a contribuição da Igreja na educação profissional como alternativa à pobreza. 2016. 40f. Monografia (Licenciatura em Pedagogia). Escola de Educação. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2016. Disponível em http://www.biblioteca.unirio.br/cchs/educacao/graduacao/pedagogia-presencial/EDNABRAGAPEREIRA.pdf. Acesso em 09 jul. 2020.
PINHEIRO, Alceste. Catequese indígena e educação do escravo e liberto: antídotos à imigração em “O Apóstolo”. In: XII Simpósio Nacional da Associação Brasileira de História das Religiões, 2011, Juiz de Fora. Experiências e interpretações do sagrado: interfaces entre saberes acadêmicos e religiosos. Anais dos Simpósios da ABHR. Juiz de Fora: ABHR, 2011. v. 12.
RECENSEAMENTO do Brazil em 1872. Rio de Janeiro: Typ. G. Leuzinger, [1874?]. vol. 1. Disponível em https://biblioteca.ibge.gov.br/biblioteca-catalogo?id=225477&view=detalhes. Acesso em 09 jul. 2020.
RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010. Tomo III.
ROCHA, Marlos B.M. da. O ensino elementar no Decreto Leôncio de Carvalho: visão de mundo herdada pelo tempo republicano? Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 15, n. 43, p. 126-147, jan./abr. 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782010000100009. Acesso em: 7 jul. 2020.
SANTO DEUS, Neli do; SILVA, Rossana Espíndola da (orgs.). Padre Siqueira; Escritos, crônicas e outros testemunhos. Petrópolis: Congregação Franciscana do Amparo, 2014.
SANTOS, Jailson Alves dos. A trajetória da Educação profissional. In: LOPES;Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes; VEIGA, Cyntia Greive (orgs.). 500 anos de educação no Brasil. 4ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. pp. 205-224.
SARAIVA, Luiz Fernando. Um correr de casas, antigas senzalas; A transição do trabalho escravo para o livre em Juiz de Fora. 1870 - 1900. 2001. 196f. Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Ciências Humanas e Filosofia. Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2011.
SCHUELER, Alessandra Frota Martinez de. A “infância desamparada” no asilo agrícola de Santa Isabel: instrução rural e infantil (1880 – 1886). Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 26, n.1, Jan./Jun. 2000. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022000000100009. Acesso em 09 jul. 2020.
SILVEIRA FILHO, Oazinguito Ferreira da. Contribuição à história social petropolitana: Prostituição na colônia alemã (2009). Instituto Histórico de Petrópolis. Disponível em: http://ihp.org.br/?p=319 Acesso em 08 jul. 2020.
UMA VISITA ao Asylo das Orphãs da “Santa Casa de Misericórdia”. O Paiz, Rio de Janeiro, 07 mar. 1892, ano VIII, n. 3601, pp 1-2. Disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/178691_02/4872. Acesso em 09 jun. 2020.
WILLEMS, Emílio. A Aculturação dos Alemães no Brasil. Col. Brasiliana. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1946. Disponível em: https://bdor.sibi.ufrj.br/bitstream/doc/336/1/250%20PDF%20-%20OCR%20-%20RED.pdf. Acesso em 08 jul. 2020.

Downloads

Publicado

2020-10-19

Como Citar

MARTINS, Marco Aurélio Corrêa. Profissionalização de pobres em escolas católicas do Rio de Janeiro no século XIX. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 24, p. 481–510, 2020. DOI: 10.29148/labor.v1i24.60161. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/60161. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

<< < 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.