Ensino Remoto e evasão escolar:

diálogos e reflexões

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v2i26.72127

Palavras-chave:

Ensino Remoto. Dificuldades de Acesso. Metodologias. Evasão Escolar.

Resumo

O artigo se propõe refletir sobre possíveis implicações do ensino remoto emergencial como motivação ou causa potencial para a evasão de estudantes do IFCE. Com abordagem qualitativa, a pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso, cujos dados foram construídos mediante aplicação de questionário junto a alunos regularmente matriculados em cursos da Instituição, que se constitui o lócus da pesquisa. As discussões indicam que os discentes do ensino superior dispõem de melhores equipamentos para acompanhamento das atividades remotas (computador e tablet), enquanto a grande maioria dos participantes do ensino técnico (integrados e concomitantes) dispõem apenas de aparelho celular. Os participantes apontaram falta de perspectiva quanto ao ensino, desmotivação, dificuldades em conciliar estudo e trabalho, problemas familiares, cansaço físico e mental. Quanto às infraestrutura em suas residências, destacaram: equipamentos inadequados, falta de acesso ou acesso limitado e falta de espaço adequado para estudar em casa. No que diz respeito às questões institucionais, os participantes do estudo indicam sobrecarga de atividades, disciplinas técnicas ministradas de modo virtual, falta de acompanhamento docente e metodologias de ensino inadequadas, as quais podem implicar em dificuldades para acompanhar os conteúdos e, consequentemente, às dificuldades de aprendizagem.

Biografia do Autor

Damião Michael Rodrigues de Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, Campus Cedro

Francisco José de Lima, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) campus Cedro

Doutorado em Educação (UNIMEP). Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática (UFC). Professor do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) campus Cedro e Líder do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Ensino e Aprendizagem.

Roberta da Silva, Professora do Instituto Federal do Ceará (IFCE) campus Cedro

Graduada em Formação de Professores para as Séries Finais do pela Universidade Estadual do Ceará (2004) e em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (2001). Especialista no Ensino de Língua Portuguesa pela Universidade Regional do Cariri-URCA e Mestre em Gestão e Avaliação da Educação Pública pela Universidade Federal de Juiz de Fora-UFJF. Doutora em Psicologia pela UNIFOR, linha de Pesquisa: Ambiente, Trabalho e Cultura nas Organizações Sociais. É membro dos Grupos de Pesquisa: 1) Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Ensino e Aprendizagem (IFCE) e 2) Vivências de prazer - sofrimento e adoecimento dos docentes (IFPE). Professora do Instituto Federal do Ceará, atuando na Licenciatura em Física e Matemática com as disciplinas do núcleo pedagógico: Estágio Supervisionado, Didática Educacional, Psicologia da Aprendizagem e do Desenvolvimento, Metodologia da Pesquisa Educacional, Currículos e Programas e Projeto Social. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Pedagogia e na formação de professores.

Willian Frutuoso da Silva, Instituto Federal do Ceará - IFCE campus Cedro

Licenciando em Matemática IFCE campus Cedro.

Referências

BRASIL. Reexame do Parecer CNE/CP nº 5/2020, que tratou da reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. D.O.U. de 9/7/2020, Seção 1, Pág. 129.
BRASIL. Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. D.O.U. de 1º/6/2020, Seção 1, Pág. 32.
CARVALHO, Cristina Helena A. O PROUNI no governo Lula e o jogo político em torno do acesso ao ensino superior. Educação & Sociedade, Campinas, SP, vol. 27, n. 96 - Especial, p. 979-1000, 2006.
CURY, Carlos Roberto Jamil. A gestão democrática na escola e o direito à educação. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v.23, n.3, p. 483-495, set./dez. 2007.
HOLANDA, Denise de Araújo Silva; MOREIRA, Heloisa Beatriz Cordeiro. Retenção escolar: uma análise no curso de Licenciatura em Matemática do IFCE. Revista Educar Mais. 2021. Vol. 5, Nº 4, p. 788-804.
INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ. Pró-reitora de Ensino Plano estratégico para permanência e êxito dos estudantes do IFCE/ Armênia Chaves Fernandes Vieira, Erica de Lima Gallindo, Hobson Almeida Cruz. - Fortaleza: IFCE, 2017.
MENEZES, K. M. G. MARTILIS, L. F. S. MENDES, V. P. S. Os impactos do ensino remoto para a saúde mental do trabalhador docente em tempos de pandemia. Universidade e Sociedade, nº 67, Ano XXXI, ANDES-SN: janeiro, 2021.
SANTANA, Jullyane Frazão. MELO, Samuel Pires. Evasão escolar em tempos da democratização do ensino médio noturno: discussões e reflexões. Educação por escrito, Porto Alegre, v. 11, n. 1, p. 1-10, jan.-jun. 2020.
SAVIANI, Demerval; GALVÃO, Ana Carolina. Educação na pandemia: a falácia do “ensino” remoto. Pandemia da COVID-19: trabalho e saúde docente. Universidade e Sociedade, nº 67, Ano XXXI, ANDES-SN: janeiro, 2021.
SOUZA, Edvânia Ângela; ANTUNES, Caio; PEDROSO, Gustavo; ALCANTARA, Ariana Celis. A pandemia do novo coronavírus, Covid-19 e a relação trabalho e saúde na educação. Pandemia da COVID-19: trabalho e saúde docente. Universidade e Sociedade 67 Ano XXXI - Nº 67 - janeiro de 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-25

Como Citar

LIMA, Damião Michael Rodrigues de; LIMA, Francisco José de; SILVA, Roberta da; SILVA, Willian Frutuoso da. Ensino Remoto e evasão escolar:: diálogos e reflexões . Revista Labor, [S. l.], v. 2, n. 26, p. 69–85, 2021. DOI: 10.29148/labor.v2i26.72127. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/72127. Acesso em: 20 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.