Reflexões a partir da trajetória acadêmica de uma mulher trans e as políticas de acesso e permanência de travestis e transexuais na Universidade do Estado da Bahia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i27.78692

Palavras-chave:

Políticas de inclusão., Transexualidade., Currículo., Ensino superior.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo refletir acerca da trajetória acadêmica de uma mulher transexual, ao tempo em que busca analisar as políticas de inclusão de pessoas trans e travestis na Universidade do Estado da Bahia, a partir da Resolução nº 1.339/2018 que regulamenta a política de cotas na referida Universidade para transexuais e travestis. Essa é uma pesquisa de cunho qualitativo e tem como método a narrativa biográfica, por entendermos ser essa uma maneira de compreender os modos, as vivências e as experiências humanas. A partir desse estudo é possível inferir que a política de cotas é importante, contudo, faz-se necessário reestruturar o currículo dos cursos de graduação no sentido de problematizar as questões inerentes a diversidade sexual e de gênero. Compreendemos ainda, que a narrativa de pessoas trans em estudos acadêmicos se constituem enquanto instrumento de empoderamento e visibilidade.

Biografia do Autor

Pedro Paulo Souza Rios, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Sergipe - UFS. Pós-Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Sergipe - UFS; Mestrado em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos - PPGESA - Universidade do Estado da Bahia, Pós-Graduado em Gênero e Sexualidade na Educação pela Universidade Federal da Bahia - UFBA; Educação Ambiental - FACINTER; e Filosofia Contemporânea - Faculdade São Bento; Especialização em Educação de Jovens e Adultos, pela Universidade Cândido Mendes; Licenciado em Pedagogia - UNEB; Filosofia - FBB; Bacharel em Teologia Faculdade Católica do Ceará. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação, Gênero e Sexualidades do Sertão - GENESES-Sertão; Membro do Grupo de Pesquisa Educação, Sociedade e Desenvolvimento. Atualmente é professor substituto da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, lotado no Campus VII em Senhor do Bonfim. Tem experiência na área de: Educação. Gênero e Sexualidade, Currículo, Metodologia do Trabalho Científico, Filosofia e Filosofia da Educação, Antropologia da Educação e Cultural, Educação de Jovens e Adultos, Educação Contextualizada e Estágio Curricular Supervisionado e Currículo.

Referências

ANDRADE, Luma Nogueira de. Travestis na escola: assujeitamento e resistência à ordem normativa. Tese (doutorado). Área de Concentração: Educação – Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, Fortaleza, 2012. 278 f.

ANDRADE, Luma Nogueira de. Travestis na escola: assujeitamento e resistência à ordem normativa. Editora Léa Carvalho. Rio de Janeiro: Metanoia, 2015.

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas Vol. I. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução Sérgio Paulo Rouanet. 7º edição. São Paulo: Brasiliense. 2007.

BENTO, Berenice. Transvi@dos: gênero, sexualidade e direitos humanos. Salvador: EDUFBA, 2008.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Revista de estudos Feministas. v.19 , n. 2, p. 549-559 , 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2011000200016&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 07 abr. 2020.

BENTO, Berenice. Nome social para pessoas trans: cidadania precária e gambiarra legal. Contemporânea v. 4, n. 1, jan.–jun. 2014, pp. 165-182. Disponível em: http://www.contemporanea.ufscar.br/index.php/contemporanea/article/view/197. Acesso em: 07 abr. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRETAS, José Roberto da Silva et al. Os rituais de passagem segundo adolescentes. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 21, n. 3, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002008000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Acesso em: 07 abr. 2020.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, Guacira Lopes. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 151-172.

CARDOSO, Helma de Melo. Uma educação outra: subjetividades trans* no currículo do ensino superior em universidades nordestinas. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão, SE, 2020. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/4772/1/HELMA_MELO_CARDOSO.pdf. Acesso em: 23 Mar. 2022.

CARDOSO, Helma de Melo; DIAS, Alfrancio Ferreira. Saberes trans* em universidades nordestinas. Revista online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 24, n. esp. 3, p. 1689-1712, dez. 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/about. Acesso em: 21 mar. 2022.

CARVALHO, Mario Felipe de Lima. “Muito prazer, eu existo!” Reconhecimento e ativismo de pessoas trans no Brasil. Tese (doutorado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Programa de PósGraduação em Saúde Coletiva. Área de concentração: Ciências Humanas e Saúde. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UERJ_7e3aa6d6d1074705cde8ccdb43fc8752. Acesso em: 10 jun. 2020.

COULON, Alain. A Condição de Estudante: a entrada na vida universitária. Salvador: EDUFBA, 2008.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal. 2007.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo, Cortez, 2010.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Pedagogia do Armário. CULT – Revista Brasileira de Cultura. Rio de Janeiro, nº 202, ano 18, jun. 2015.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, e educação. Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis – RJ: Vozes. 2007.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

MOREIRA, Antônio Flávio. B.; CANDAU, Vera Maria Ferrão. Currículo, conhecimento e cultura. In: BEAUCHAMP. J.; PAGEL, D.; NASCIMENTO, A. R. (org.). Indagações sobre currículo. Brasília, DF: Ministério de Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.

OLIVEIRA, Megg Rayara Gomes de. O diabo em forma de gente: (r)existências de gays afeminados, viados e bichas pretas na educação. Tese (doutorado). Universidade Federal do Paraná, Programa de doutorado em educação. Curitiba, 2017. 190 f. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/47605. Acesso em: 20 abr. 2020.

PARAÍSO, Marlucy. Um currículo entre formas e forças. Educação (Porto Alegre, impresso), v. 38, n. 1, p. 49-58, jan.-abr. 2014. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/18443. Acesso em: 10 jun. 2020.

RIOS, Pedro Paulo Souza; DIAS, Alfrancio Ferreira; BRAZÃO, José Paulo Gomes. “As brincadeiras denunciavam que eu era uma criança viada”: o gênero “fabricado” na infância. Revista Educação em Questão, v. 57, n. 54, 29 nov. 2019. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/18651. Acesso em: 28 jun. 2020.

RIOS, Pedro Paulo Souza; DIAS, Alfrancio Ferreira. “Então me classificavam como estranho”: entre narrativas na construção do estranho no corpo de professores gays. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 4, p. 539-557, 2019. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/6130. Acesso em: 12 jun. 2020.

RIOS, Pedro Paulo Souza; DIAS, Alfrancio Ferreira. “Nossa história de vida é construída a partir do nosso corpo”: a produção do corpo viado na docência. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 3, p. 1265-1283, jul./set., 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/viewFile/13574/9216. Acesso em: 08 jul. 2020.

RIOS, Pedro Paulo Souza. A universidade em trans-formação: acesso e permanência de pessoas transexuais no ensino superior. In.: RIOS, Pedro Paulo Souza (org.). Gênero e sexualidades na educação: reflexões acerca do fazer pedagógico. Curitiba: CRV, 2021.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A produção social da identidade e diferença. In: SILVA, T. T (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes. p. 73-102, 2014.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política do sentido. Periódicos. Volume 39. n. 1 – p. 39-50 – jan/abri 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/11344. Acesso em: 20 jun. 2020.

SOUZA, Elizeu Clementino de. A escola e a sexualidade: porque negar o prazer? In: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília v. 75, nº 179/180/181, Seção: Comunicação e informação, p. 450-467, jan./dez., 2015. Disponível em: http://rbepold.inep.gov.br/index.php/rbep/article/view/1178. Acesso em: 20 jun. 2020.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA. Projeto político pedagógico do curso de pedagogia 2008. Senhor do Bonfim, 2008. UNEB – Universidade do Estado da Bahia: disponível em: https://portal.uneb.br/senhordobonfim/. Acesso em 01/mai/2018

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA. CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) Resolução Nº 1.339/2018. Salvador - Bahia, 2018. Disponível em https://portal.uneb.br. Acesso em 06 dez 2019.

VASCONCELOS, Toni. (Org.). UNEB foi referência na Lei de Cotas sancionada. 2012. Universidade do Estado da Bahia, Disponível em: http://www.uneb.br/2012/09/11/uneb-foi-referencia-na-lei-de-cotas-aprovadapela-presidenta-dilma//> Acesso em: 06 dez. 2019.

Downloads

Publicado

2022-07-02

Como Citar

RIOS, Pedro Paulo Souza. Reflexões a partir da trajetória acadêmica de uma mulher trans e as políticas de acesso e permanência de travestis e transexuais na Universidade do Estado da Bahia. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 27, p. 89–109, 2022. DOI: 10.29148/labor.v1i27.78692. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/78692. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.