Estratégias de Enfrentamento da Evasão Escolar via Tecnologias Digitais:

uma experiência no IFS-Campus Lagarto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v2i26.72025

Palavras-chave:

Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação-TDIC. Estratégias de Enfrentamento. Evasão Escolar no Ensino Técnico. Equipe Multiprofissional. Covid-19.

Resumo

Sabe-se que o desenvolvimento de uma nação e a inserção e ascensão social do indivíduo passam pela educação, tanto informal quanto formal, sistemática. Nesta, a escola representa o lócus central de formação na Educação Básica, e a permanência do estudante se configura condição para êxito e continuidade dos estudos em fases posteriores. Do contrário, abandonar ou evadir-se desse espaço pode gerar danos para a sociedade e ao próprio sujeito. No Brasil a evasão escolar acontece em diferentes níveis e modalidades de ensino e se constitui um dos principais problemas sistêmicos enfrentados por governantes e gestores educacionais nas últimas décadas. Não obstante tal fenômeno, aprofundado pela pandemia Covid-19, provoque prejuízos humanos e socioeconômicos, tem sido vigorosamente combatida por ações institucionais e políticas públicas, embora resultados nem sempre louváveis estejam sendo alcançados.  Este trabalho trata de busca de soluções via tecnologias para dirimir a evasão no Ensino Médio no duro período do novo coronavírus. Tem como objetivo geral tão somente descrever as estratégias de enfrentamento da evasão escolar no ensino técnico de nível médio desenvolvidas pela equipe multiprofissional do IFS-Campus Lagarto com utilização de instagram, ligações telefônicas, aplicativo de bate-papo online e de vídeo-chamadas. Como método optou-se por uma abordagem qualitativa de cunho descritivo. O estudo conclui a viabilidade e eficácia de acompanhamento psicossocial e pedagógico por meio dessas tecnologias e aponta limites e possibilidades de novas pesquisas.

Biografia do Autor

Fábio Kalil de Souza, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe- IFS/Campus Lagarto

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Sergipe-UFS. Pedagogo no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe- IFS/Campus Lagarto.

Wagner dos Santos Guimarães, Universidade Federal de Sergipe, UFS

Mestrando no Programa de Pós-graduação em Educação (PPGED) pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Especialista em Libras pela Faculdade Venda Nova do Imigrante (FAVENI), Licenciado em Letras Português/Espanhol pela Faculdade Pio Décimo (FPD), Licenciando Letras/Libras pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI). Atua como Intérprete e Tradutor de Língua de Sinais pela Secretaria de Estado da Educação, Esporte e da Cultura (SEDUC), professor da Escola Maria Montessori. Atuou como Intérprete de Língua Brasileira de Sinais na Universidade Federal de Sergipe (UFS), vinculado ao departamento Divisão de Ações Inclusivas (DAIN), contratado pela empresa Manutenção e Serviços LTDA (MANSEG), Educador Social pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (SEMADES). Membro do grupo de pesquisa Formação e Atuação Docente - Interação (FADI).

Josevânia Teixeira Guedes, Faculdade Pio Décimo - FPD

Doutora em Educação pela Universidade Tiradentes (2017), possui mestrado em Educação pela Universidade Tiradentes (2013), pós-graduação lato sensu em Especialização em Metodologia do Ensino (1993), graduação em Pedagogia pela Pio Décimo com habilitação em Supervisão Educacional (1991), Educação Infantil (2009) e Direito pela Universidade Tiradentes (2009). É supervisora pedagógica do Colégio Santa Chiara. Professora dos cursos de graduação da Faculdade Pio Décimo, onde é Membro titular da Comissão Própria de Avaliação (CPA) e Coordenadora Institucional do Programa Residência Pedagógica/CAPES/FPD. Técnico Pedagógica da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura do Estado de Sergipe (SEDUC). Vice-presidente do Conselho Municipal de Educação de Aracaju (Conmea) - representando a Federação dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de Sergipe (FENEN/SE). Conselheira Titular do Conselho de Justiça e Disciplina Desportiva Estudantil (CONJUD) - representando a Federação dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de Sergipe (FENEN/SE). Membro Grupo de Estudos em Educação Superior (GEES/UFS). Principais temas de pesquisa: Formação e saberes docentes. Direito Educacional. Pesquisa Científica e Tecnologias Educacionais.

 

Maria José Barreto Alves, Secretaria Municipal de Educação de Aracaju (SEMED)

Possui Especialização em Educação Infantil pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Especialização em Psicopedagogia Institucional e Clinica pela Associação de Ensino e Cultura Pio Décimo S/C Ltda. Graduada em Pedagogia Licenciatura Plena pela Associação de Ensino e Cultura Pio Décimo S/C Ltda. Atua como professora da Secretaria Municipal de Educação de Aracaju (SEMED) e da Secretaria Estadual de Educação de Sergipe (SEDUC). Aluna Especial das disciplinas: Formação de Educadores, Tópicos de Estudos IV e Leituras em Teoria do Currículo. Atua como Redatora Formadora do Currículo de Sergipe no Programa PROBNCC na área de Educação Infantil e como Técnica- pedagógica na SEDUC, no Departamento de Educação (DED) nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, com ênfase em Currículo e Formação de Professores. Atuou como Coordenadora de Educação Infantil da Rede Municipal de Aracaju(SEMED).

 

Referências

BARBOSA, E. F. & MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. B. Tec. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n.2, p.48-67, maio/ago. 2013.

BEHAR, P. A. O ensino remoto emergencial e a educação a distância. 2020. Disponível em: https://www.ufrgs.br/coronavirus/base/artigo-o-ensino-remoto-emergencial-e-a-educacao-a-distancia/. Acesso em: 21 nov. 2020.

BITTAR, Eduardo C. B. Coronavírus: uma pandemia para rever as patologias sociais do cotidiano. GenJuridico. 2020. Disponível em: http://genjuridico.com.br/2020/04/13/ coronavirus-pandemia-patologias-sociais/#_ftn1. Acesso em: 10 set. 2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_ 03/constituicao/. Acesso em: 5 set. 2021.

DIGITAL 2020:: GLOBAL DIGITAL OVERVIEW. Disponível em: < https://datareportal.com/reports/digital-2020-global-digital-overview>. Acesso em: 08 set. 2021.
DORE, Rosemary; LUSCHER, Ana Zuleima. Permanência e Evasão na Educação Técnica em Minas Gerais. Cadernos de Pesquisa. Minas Gerais, BH, v.41, n.144, p.772-789, set./dez.2011. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/cp/a/jgRKBkHs5GrxxwkNdNNtTfM/?lang=pt&format=pdf>. Acesso em 15 de set. 2021.
GIL, Antônio Carlos. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. Ed. 4. São Paulo: Atlas.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Pesquisa nacional por amostra de domicílios: 2018. Rio de Janeiro, RJ, 2019.

LAKATOS, E. M. e MARCONI, M. A. Fundamentos da Metodologia Científica. Ed. 7. SP: Atlas, 2010.
LOLIS, Dione; LIMA, Jane Cristina Franco de. Evasão e demanda escolar nas favelas e assentamentos na região leste de Londrina. Em Revista, Londrina, PR, v.2, n.2, p. 159-285, jan./jun. 2000. Disponível em: < http://www.uel.br/revistas/ssrevista/c_v2n2_evasao.htm>. Acesso em 15 de set. 2021.
NASCIMENTO, Ana Paula Leite.; SOUZA, Fábio Kalil de; SIQUEIRA, Débora Lima. Assistência Estudantil e Processos de Trabalho da Equipe Multidisplinar no IFS-Campus Lagarto. Cadernos Cajuína, V. 6, N. 3, 2021. Disponível em: < https://cadernoscajuina.pro.br/revistas/index.php/cadcajuina/article/view/496/426>. Acesso em 22 de agosto. 2021.
PALFREY, Jhon; GASSER, Urs. NASCIDOS DA ERA DIGITAL: entendendo a primeira geração de nativos digitais. Porto Alegre: Artmed, 2011.
PRATTA, Elisângela Maria Machado; SANTOS, Manoel Antônio. Família e adolescência: a influência do contexto familiar no desenvolvimento psicológico de seus membros. Psicologia em Estudo, 12(2), 2007, p. 247-256. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/pe/a/3sGdvzqtVmGB3nMgCQDVBgL/abstract/?lang=pt>. Acesso em 22 de set. 2019.
RICHARDSON, Roberto J. e colaboradores. (2009). Pesquisa Social: métodos e técnicas. Ed. 3 revista e ampliada. São Paulo: Atlas.
RIOS, Erenildo da Silva; SHIMODA, Eduardo; GOMES, Geórgia Regina Rodrigues. Correlações entre índice de evasão e perfil acadêmico, financeiro e pessoal dos alunos: estudo de caso em uma universidade particular. In: ENCONTRO MINEIRO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 6., 2010, Coronel Fabriciano. Anais. Coronel Fabriciano: EMEPRO, 2010. v. 1, p. 1 - 9.
SEVERINO, Antônio José. (2009). Metodologia do Trabalho Científico. Ed. 23. Revista e Atualizada. SP: Cortez.
SOARES, Tufi Machado et al. (2015). Fatores associados ao abandono escolar no ensino médio público de Minas Gerais. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. 3, p. 757-772, jul./set. 2015.

TODOS PELA EDUCAÇÃO (2020). O retorno às aulas presenciais no contexto da pandemia da Covid-19. Nota Técnica. Disponível em: https://static.poder360.com.br /2020/05/todos-pela-educacao.pdf. Acesso em: 18 set. 2020.

VIEIRA, Letícia; RICCI, Maike C. C. (2020). A educação em tempos de pandemia: soluções emergenciais pelo mundo. Observatório do Ensino Médio em Santa Catarina. Disponível em: https://www.udesc.br/ensinomedioemsc. Acesso em: 16 set. 2021.
WAINE, C. Booth, GREGORY, G. Colombo & WILLIAMS, Joseph. M. (2008). “De perguntas a problemas”. In: WAINE, C. B., GREGORY, G. C. & WILLIAMS, J. M. A arte da pesquisa. Ed. 2. São Paulo: Martins Fontes. Tradução Henrique A. Rego Monteiro.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

SOUZA, Fábio Kalil de; GUIMARÃES, Wagner dos Santos; GUEDES, Josevânia Teixeira; ALVES, Maria José Barreto. Estratégias de Enfrentamento da Evasão Escolar via Tecnologias Digitais: : uma experiência no IFS-Campus Lagarto. Revista Labor, [S. l.], v. 2, n. 26, p. 242–261, 2021. DOI: 10.29148/labor.v2i26.72025. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/72025. Acesso em: 26 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.