Educação profissional e formação dos «desvalidos da fortuna»

higiene física e moral em Pelotas – Brasil, durante as décadas de 1920 e 1930

Autores

  • Maria Augusta Martiarena de Oliveira IFRS

Palavras-chave:

História da Educação. Educação profissional. Fotografias.

Resumo

Tendo em vista que a higiene física, moral e urbana foram conceitos cuja relação estreitou-se durante as primeiras décadas do século XX no Brasil, o presente estudo destinou-se ao contexto da cidade de Pelotas, no estado do Rio Grande do Sul, a qual vivia um momento de melhorias e reformas urbanas. No bojo desse grande crescimento urbano, as preocupações referentes à civilidade dos habitantes da urbes receberam maior destaque, notadamente a preocupação já existente desde o século XIX, com os jovens oriundos das camadas populares, considerados como «desvalidos da fortuna». O presente artigo, então, dedica-se ao estudo das primeiras décadas de funcionamento do Patronato Agrícola Visconde da Graça e da Escola de Artes e Officios, ambas instituições de ensino profissional localizadas na cidade de Pelotas, no sul do Brasil. A primeira foi inaugurada em 1923 e a segunda, em 1930. Objetiva-se compreender a relação entre as referidas instituições e as propostas educacionais higienistas existentes para as camadas populares nas primeiras décadas do século XX, bem como a análise das fotografias publicadas na imprensa sobre as escolas acima mencionadas, com base na perspectiva da moralização e higienização.

Biografia do Autor

Maria Augusta Martiarena de Oliveira, IFRS

Possui graduação em Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal de Pelotas (2001), Mestrado (2005) e Doutorado (2012) em Educação - linha de pesquisa Filosofia e História da Educação pela Universidade Federal de Pelotas e Pós-doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS. Atualmente é professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação e de História, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Educação, História da EPT, Fotografia, Educação na Primeira República, História do Rio Grande do Sul, História do Brasil e da América Latina. Além disso, coordena o GT de História da Educação da AnpuhRS, gestão 2018-2020 e é Vice-presidente da Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores de História da Educação (ASPHE), pelo biênio 2019-2021. Sou mãe do Franz, um menino esperto e muito divertido. Em 2014, estive em licença maternidade, durante o meu estágio pós-doutoral, continuei produzindo, mas em um ritmo muito mais lento, sendo que minha produtividade está sendo retomada atualmente.

Referências

BORGES, Maria Eliza Linhares. História & Fotografia. Belo Horizonte: Autêntica,2003.
BURKE, Peter. Testemunha Ocular: História e Imagem. Bauru, SP: EDUSC, 2004.
CIAVATTA, Maria. Mediações históricas de trabalho e educação: gênese e disputa na formação dos trabalhadores (Rio de Janeiro, 1930-1960). Rio de Janeiro: Lamparina, CNPq, Faperj, 2009.
KOSSOY, Boris. Um olhar sobre o Brasil: uma reflexão. In: KOSSOY, Boris; SCHWARCZ, Lilia. Um olhar sobre o Brasil. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012, p.22-38.
KRÜGER, Edelbert. Resgate histórico da função social da educação profissional brasileira, à luz do decreto 2.208/97: um estudo do perfil socioeconômico do aluno do CEFET-RS. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas: RS, 2007.
OLIVEIRA, Milton Ramon Pires de. Educar e regenerar: os Patronatos Agrícolas e a Infância Pobre na Primeira República. Anais do I CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, Rio de Janeiro, 2000.
OLIVEIRA, Maria Augusta Martiarena de; AMARAL, Giane Lange do. A Escola de Agronomia e Veterinária Eliseu Maciel em fotografias: aspectos da história de uma instituição de ensino superior. Revista Pedagógica, v. 1, p. 555-580, 2012.
OLIVEIRA, Maria Augusta Martiarena de; TAMBARA, Elomar; AMARAL, Giana Lange do. Fotografias de prédios escolares: a construção de obras visíveis como propaganda do governo Simões Lopes, na cidade de Pelotas. Revista Pedagógica (Chapecó), v. 11, p. 109-131, 2009.
VICENTE, Magda; AMARAL, Giana Lange do. Instruir, educar, vigiar e punir: o Patronato Agrícola Visconde da Graça (1923 – 1934). In: X ENPOS, Pelotas, 2008.
VICENTE, Magda; AMARAL, Giana Lange do. Medidas higienistas adotadas no Patronato Agrícola Visconde da Graça (1923 – 34) – Pelotas/RS. Revista HISTEDBR (on-line), Campinas, n.37, p.123-133, mar./2010.
WOLFF, Silvia Ferreira Santos. Escolas para a República: os primeiros passos da Arquitetura das Escolas Públicas Paulistas. São Paulo, SP: EDUSP, 2010.

Downloads

Publicado

2020-10-19

Como Citar

OLIVEIRA, Maria Augusta Martiarena de. Educação profissional e formação dos «desvalidos da fortuna»: higiene física e moral em Pelotas – Brasil, durante as décadas de 1920 e 1930. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 24, p. 415–431, 2020. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/60102. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.