Jogo digital educativo no universo da leitura e escrita de crianças:

uma experiência com o “Soletrando”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i27.72058

Palavras-chave:

Jogos digitais, Tecnologias Digitais, Leitura, Escrita

Resumo

Os jogos digitais educativos podem beneficiar a ação pedagógica e propiciar subsídios para o processo de leitura e escrita. Sendo assim, este artigo tem como objetivo investigar as contribuições do aplicativo educacional “Soletrando” no processo de leitura e escrita de crianças do 5.º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública da cidade de Manaus – AM. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa, realizada por meio de uma intervenção pedagógica, com alunos que apresentavam dificuldade na leitura e escrita. O resultado obtido, com o jogo digital “Soletrando”, foi que ele pode facilitar o interesse dos discentes e melhorar os resultados no processo de leitura e escrita de maneira lúdica e divertida. Diante disso, percebe-se a importância do professor para mediar a inserção dos softwares no processo de ensino e aprendizagem, através de uma didática dinâmica em sala de aula e em outros ambientes educacionais. Evidencia-se a necessidade de investimento em formação contínua para docentes, implantação de tecnologias digitais e conectividade para todas as escolas do Brasil, o que ainda é utopia, principalmente na periferia da capital amazonense e nos interiores do estado.

Biografia do Autor

Rosângela Maria de Oliveira Silva, Rede estadual do Estado do Amazonas (SEDUC-AM).

Graduada em Pedagogia pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) e Pós-graduada em Letramento Digital pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Professora da rede estadual do Estado do Amazonas (SEDUC-AM).

Alexandra Nascimento de Andrade, Universidade do Estado do Amazonas - UEA

Doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Educação na Amazônia ? PGEDA ? Associação em Rede Curso de Doutorado em Educação na Amazônia (UFAM); Mestra em Educação em Ciências na Amazônia (UEA); Especialista em Gestão e Supervisão Escolar (Uninorte); Especialista em Metodologia do Ensino Superior (FSDB); Especialista em Gestão Escolar (FSDB); Graduada em Pedagogia (FSDB). Pedagoga da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino. Palestrante de temas relacionados à Educação Infantil, crianças e infâncias. Integrante dos grupos de Pesquisa: Grupo de Estudo e Pesquisa de Educação em Ciências em Espaços não formais (Gepecenf); Laboratório de Neurodidática e formação de professores (Ufam); Divulgação Científica (UEA).

Felipe da Costa Negrão, Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Graduado em Pedagogia (UNL). Especialista em Neuropsicopedagogia (UNL), Didática do Ensino Superior (UNL) e Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos (UEA). Mestre em Educação em Ciências na Amazônia (UEA). Doutorando em Ensino Tecnológico (IFAM). Professor Assistente - Nível II do Departamento de Métodos e Técnicas (DMT) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Membro do Grupo de Pesquisa em Sociologia Política da Educação (GRUPESPE). Tem interesse em pesquisas sobre Ensino de Matemática, Formação de Professores e Narrativas (auto) biográficas.

Referências

ALMEIDA, M. E. Informática e formação de professores. Brasília: Ministério da Educação/Seed, 2010. (Série de Estudos – Proinfo - Vol. 1).

BARROS, J.; ANDRADE, A.; NEGRÃO, F.; GONÇALVES, C. Geometria plana com GeoGebra: intervenção pedagógica com alunos do Ensino Fundamental II. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 4, p. 1-19, 10 set. 2021.

BETZ, J. A. Computer games: Increase Learning in a interactive Multidisciplinary Environment. Journal of Educational Technology Systems. v. 24, n. 2, p.195-205, 1995.

BONI, V. F. C. V. Aprendizagem / aquisição de vocabulário em língua estrangeira: um estudo de caso sobre estratégias de aprendizagem. 2003. 164 p. Dissertação (Mestrado em Língua Estrangeira) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2003.

BORBA, M. de C.; VILLARREAL, M. E. Humans-with-Media and the Reorganization of Mathematical Thinking: Information and Communication Technologies, Modelling, Experimentation and Visualization. Estados Unidos: Springer, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2018.

BRITO, D. W. S.; ANDRADE, A. N. de.; LOBO, H. B. A criança e a tecnologia digital: brincando e aprendendo ciências na Educação Infantil. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 2, p. e21049, 2021.

CAMARGO, R. M. P.; OLIVEIRA, S. S. B. Vozes de Professores: Política Municipal de Alfabetização de Manaus em Debate. Educação (Santa Maria. Online), v. 46, p. 2-25, 2021.

COSTA, J. S. da.; ANDRADE, A. N. da.; DANTAS XIMENES, M.; GONÇALVES, C. B. O uso de jogos eletrônicos digitais nas aulas de educação física. Revista Labor, v. 1, n. 25, p. 261-273, 2021.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequência didática para o oral e escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. São Paulo: Mercado das Letras, 2004.

GERALDI, J. W. Portos de passagem. Ed. 2. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

GROS, B. The impact of digital games in education. First Monday, v. 8, n. 7, 2003.

GUERREIRO, M. A. S. Os efeitos do Game Design no processo de criação de Jogos Digitais utilizados no Ensino de Química e Ciências: O que devemos considerar? Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru, 2015.

HILA, C. V. D. Quem Propõe as Tarefas de Casa? 1999. 200 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, 1999.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: O jogo como elemento de cultura. São Paulo: Editora Perspectiva, 2001.

LARA, I. C. M. Jogando com a matemática na educação infantil e Séries Iniciais. Catanduva, SP: Editora Rêspel, 2011.

NEAL, L. Implications of computer games for system design. In: Anais da INTERACT, North Holl, 1990.

NOVA, J. B. S. V.; ANDRADE, A. N. de.; MORHY, P. E. D.; GONÇALVES, C. B. O uso do facebook nas aulas de química. Revista Labor, v. 2, n. 24, p. 604-616, 2020.

OLIVEIRA, R. M. Dificuldade no desenvolvimento da leitura e da escrita nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Revista Científica Multidisciplinar, v. 15, p. 163-188, 2017.

PIAGET, J. Psicologia e Pedagogia. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

PRIETO, L. M.; TREVISAN, M. do. C. B.; DANEZI, M. S.; FALKEMBACH, G. M. Uso das tecnologias digitais em atividades. RENOTE - Revista Novas tecnologias na educação, Porto Alegre, v.3, n.1, p.1-11, 2005.

REGO, C. T. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 22 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

RIZZI, L.; HAYDT, R. C. C. Atividade na educação da criança. São Paulo: Editora Ática, 2001.

SAVI, R.; ULBRICHT, V. R. Jogos Digitais Educacionais: Benefícios e Desafios. RENOTE – Revista Novas Tecnologias na Educação, v.6, p. 1-10, 2008.

SCHUYTEMA, P. Design de Games: uma abordagem prática. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

SILVA, F. A. P. Spacequiz: um jogo educacional para. Instituto Federal do Piauí. Teresina, 2009.

SOARES, M. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2017.

SOUTO, D. L. P. Transformações expansivas em um curso de Educação Matemática a Distância Online. 2013. 279f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2013.

SOUTO, D.L.P.; ARAÚJO, J. L. Possibilidades expansivas do sistema Seres-humanos-com-mídias: um encontro com a Teoria da Atividade. In: BORBA, M. C., CHIARI, A. (Eds.) Tecnologias Digitais e Educação Matemática. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2013.

SOUTO, D. L. P.; BORBA, M. de C. Seres humanos-com-internet ou internet-com-seres humanos: uma troca de papéis? Relime [online], v.19, n.2, pp.217-242, 2016.

SOUTO, D. L. P.; BORBA M. C. Movimentos, estagnações, tensões e transformações na aprendizagem da matemática online. In: VI Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática SIPEM. Anais... Pirenópolis, 2015a.

SOUTO, D. L. P.;BORBA, M. C. Transformações expansivas em Sistemas de Atividade: o caso da produção matemática com a Internet. Revista Perspectivas em Educação Matemática, v. 6, n. 1, p. 14-57, 2013. In: Anais do VI Sipem - VI Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática SIPEM. Pirenópolis, 2015b.

SOUZA, I. P.; ANDRADE, A. N.; SOUZA, C. D.; SOUZA, D. P.; GONCALVES, C. B. O WhatsApp no processo de ensino-aprendizagem de alunos do ensino médio tecnológico. Brazilian Journal of Development. v.7, p. 3762-3774, 2021.
VALENTE. J. A. Aprendendo para a vida: os computadores na sala de aula. São Paulo: Cortez, 2001.

VASCONCELOS, I. da C. de.; ANDRADE, A. N. de.; NEGRÃO, F. C. Tecendo conhecimentos de multiplicação com o uso da plataforma Khan Academy com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 8, n. 3, p. 435-448, 2020.

VIEIRA, R. S. O papel das tecnologias de informação e comunicação na educação: um estudo sobre a percepção professor/tutor. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância (RBAAD), v.10, p. 66-72, 2011.

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

SILVA, Rosângela Maria de Oliveira; ANDRADE, Alexandra Nascimento de; NEGRÃO, Felipe da Costa. Jogo digital educativo no universo da leitura e escrita de crianças: : uma experiência com o “Soletrando”. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 27, p. 384–398, 2022. DOI: 10.29148/labor.v1i27.72058. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/72058. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.