“O RAP É UMA COISA QUE CONECTA, TÁ LIGADO?!”: RESSIGNIFICANDO CONTEXTOS DE JOVENS EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA

Autores

  • Mayara dos Santos Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Cascavel
  • Tiago Pereira Leite Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Cascavel

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i17.19298

Palavras-chave:

Juventude, Culturas Juvenis, Identidades, Rap, Educação.

Resumo

“RAP IS A THING THAT CONNECTS, IS IT LINKED?!”: RESSIGNIFICATING CONTEXTS OF YOUNG PEOPLE IN COMPLIANCE WITH SOCIO-EDUCATIONAL MEASURE

RESUMO: O presente trabalho tem como propósito uma reflexão sobre o rap como possibilidade educativa, que contribui na ressignificação do contexto de jovens e adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa na cidade de Cascavel – PR. Objetiva-se uma discussão acerca do rap como alternativa pedagógica em espaços de institucionalização, tratando de questões referentes à noção de juventude e culturas juvenis e também a relação entre juventude e violência. Na tentativa de compreender como o rap pode ser utilizado como instrumento educativo, realizou-se uma pesquisa de campo no Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS II na cidade de Cascavel - PR, tendo como ponto principal a observação da Oficina de Rimas. Ademais, foram realizadas entrevistas com o oficineiro e com a pedagoga do centro. Na busca de verificar de que forma o rap tem contribuído para ressignificar contextos, utilizamos como referência as letras de rap compostas pelos adolescentes. Concluímos destacando que o gênero musical em questão é de grande influência no que se refere à formação de identidades e um importante elemento de constituição do imaginário sobre a vida do jovem na periferia.

 

PALAVRAS-CHAVE:

 

ABSTRACT: This paper aims to reflect on the rap as an educational possibility, which contributes to reframe the context of youth and adolescents in compliance with socio-educational measures in the city of Cascavel – PR. The objective is to discuss about rap as a pedagogical alternative in spaces of institutionalization, addressing issues related to the notion of youth and Youth Cultures and also the relationship between youth and violence. In an attempt to understand how rap can be used as an educational tool, a field research in Specialized Reference Center for Social Assistance- CREAS II was held in the city of Cascavel– PR, having as the main point the observation of Rhymes Workshop. Moreover, we also conducted interviews with the work shopper and the pedagogue of the center. In seeking to verify how rap has contributed to reframe contexts, we use as reference the rap lyrics composed by the teenagers. We concluded by pointing out that the musical genre in question is of great influence in relation to the formation of identities and an important imaginary constitution element about the life of the youth in the periphery.

 

KEYWORDS: Youth - Youth Culture – Identity – Rap - Education.


Biografia do Autor

Mayara dos Santos, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Cascavel

Mestranda em Educação da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Cascavel

Tiago Pereira Leite, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Cascavel

rofessor colaborador na Unioeste/Cascavel, atuando na graduação em Pedagogia. Possui graduação em História pela Unespar (2009); mestrado em Ciências Sociais pela Unioeste (2012) e atualmente cursa o Doutorado em Ciências Sociais na Unisinos (2013). Atua principalmente nos seguintes temas: identidades, juventudes, sociologia urbana, violências e sociabilidades, imaginário e educação. É membro do grupo de pesquisa sobre imaginário, educação e formação de professores (IMAGINAR) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Desenvolvimento da Educação Básica. Possui capítulos de livros e artigos científicos publicado em revistas científicas especializadas.

Referências

BRASIL. Lei nº 8069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, DF, 13 jul. 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm>. Acesso em: 4 maio 2015.

DAYRELL, Juarez. O rap e o funk na socialização da juventude. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 1, p.117-136, jan./jun. 2002. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ep/v28n1/11660.pdf>. Acesso em: 28 mar. 2014.

_________. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 40-52, abr. 2003. Trimestral. [Documento Eletrônico] Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n24/n24a04>. Acesso em: 16 maio 2015.

DIÓGENES, Glória Maria dos Santos. Cartografias da cultura e da violência: gangues, galeras e o movimento Hip Hop. 1998. 381 f. Tese (Doutorado) Universidade Federal Do Ceará. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/4060/1/1998_Tese_GMSDiogenes.pdf>Acesso em: 28 nov. 2015.

ESTEVES, Luiz Carlos Gil; ABRAMOVAY, Miriam. Juventude, juventudes: pelos outros e por elas mesmas. In: VI CONGRESSO PORTUGUÊS DE SOCIOLOGIA – Mundos Sociais: Saberes e Práticas, nº 254. 2008, Lisboa. [Documento Eletrônico] Disponível em: <http://www.aps.pt/vicongresso/pdfs/254.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2015.

FACHINETTO, Rochele Fellini. Juventude e violência: onde fica o jovem numa sociedade “sem lugares?”. In: A violência na sociedade contemporânea. Org. Maria da Graça Blaya Almeida. – Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010. 161 f. Disponível em: <http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/violencia.pdf> Acesso em: 22 dez. 2015.

FIUZA, Alexandre Filipe; MACEDO, Iolanda. A educação informal e o rap como agente educativo. Eccos Revista Científica, São Paulo, n. 31, p.17-32, maio/ago. 2013. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <http://www.redalyc.org/pdf/715/71529334002.pdf>. Acesso em: 27 ago. 2015.

GADEA, Carlos. Itinerários juvenis em situação de vulnerabilidade social: sobre a realidade juvenil e a violência intersubjetiva e o impacto dos Centros POD Juventude em Porto Alegre (RS). In: 37º ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 2013, Águas de Lindóia. [Documento Eletrônico]. Disponível em: http://www.anpocs.org/portal/index.php?option=com_docman&task=doc_view&gid=8591&Itemid=459>. Acesso em: 02 nov. 2015.

_________. Jovens, violência e contemporaneidade: interpretações e desafios da escola. In: Violência e Educação: Em busca de novos olhares. Org. Vilmar Malacarne et al. Curitiba: CRV, 2014. p. 229.

GOHN, Maria da Glória. EDUCAÇÃO NÃO FORMAL E CULTURA POLITICA: impactos sobre o associativismo do terceiro setor. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011. 128 p.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: Dp&a Editora, 2006. 102 p. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <http://www.cefetsp.br/edu/geo/identidade_cultural_posmodernidade.doc.>. Acesso em: 04 out. 2015.

LEITE, Tiago Pereira. Entre nóias, playboys e a galera da vila: uma etnografia das relações sociais entre jovens da periferia de Paranaguá - PR. 2012. 176 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Centro de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Estadual do Oeste do Paraná/campus de Toledo, Toledo, 2012. [Documento Eletrônico] Disponível em: <http://200.201.88.199/portalpos/media/File/ciencias_sociais/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Tiago%20Pereira%20Leite.pdf>. Acesso em: 22 dez. 2015.

MACEDO, Iolanda. O discurso musical rap: expressão local de um fenômeno mundial e sua interface com a educação. 2010. 230 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Cascavel, 2010. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/5708/4285.>. Acesso em: 28 mar. 2014.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Os circuitos dos jovens urbanos. Tempo Social: revista de sociologia da USP, [São Paulo], v. 17, n. 2, p.173-205, nov. 2005. Semestral. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ts/v17n2/a08v17n2.pdf>. Acesso em: 9 ago. 2015.

SANTOS, Luana Isabelle Cabral dos. Et al. Juventude e violência: trajetórias de vida e políticas públicas. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 521-538, 2012. [Documento Eletrônico]. Disponível em: < http://www.revispsi.uerj.br/v12n2/artigos/pdf/v12n2a12.pdf> Acesso em: 18 dez. 2015.

SCHROEDER, Tania Maria Rechia. Violência Escolar: O movimento entre as forças da ordem e da desordem. Educação e cidadania, [S.l.], p. 1-10, 2008. Disponível em: <http://seer.uniritter.edu.br/index.php/educacaoecidadania/article/view/140/66>. Acesso em: nov. 2016.

SILVA, Cristiane Rodrigues; SILVA, Pâmela Costa da. Juventude e cultura: reflexões acerca das culturas juvenis no currículo escolar. Artifícios: Revista do Difere, Pará, v. 2, n. 3, p.1-17, ago. 2012. Semestral. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <http://www.artificios.ufpa.br/Artigos/artigo cris.pdf>. Acesso em: 5 ago. 2015.

SPOSITO, Marília Pontes. A sociabilidade juvenil e a rua: novos conflitos e ação coletiva na cidade. Tempo Social: revista de sociologia da USP, São Paulo, v. 5, n. 1-2, p.161-178, nov. 1994. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <http://www.fflch.usp.br/sociologia/temposocial/site/images/stories/edicoes/v0512/Sociabilidade.pdf>. Acesso em: 19 ago. 2015.

TITON, Andréia Piana. ZANELLA, Andréa Vieira. Jovens de Classes Populares e Suas Relações na/com a cidade De Florianópolis/Sc. In: I Seminário Violar Problematizando as Juventudes na Contemporaneidade, 2010, Campinas. Anais. Campinas, Unicamp, 2010. p. 31 – 46. [Documento Eletrônico]. Disponível em: <https://www.fe.unicamp.br/semviolar/anais/Anais-ISemViolar.pdf>. Acesso em: 11 set. 2015.

VIANA, Nildo. Juventude e Identidade. Estudos, Goiânia, v. 36, n. 1-2, p.145-154, jan./fev. 2009. Bimestral. [Documento Eletrônico] Disponível em: <http://seer.ucg.br/index.php/estudos/article/viewFile/1022/720.>. Acesso em: 04 out. 2015.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da Violência 2014 – Os jovens dos Brasil. Flacso. Brasília, 2014.

Downloads

Publicado

2017-07-31

Como Citar

SANTOS, Mayara dos; LEITE, Tiago Pereira. “O RAP É UMA COISA QUE CONECTA, TÁ LIGADO?!”: RESSIGNIFICANDO CONTEXTOS DE JOVENS EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 17, p. 42–61, 2017. DOI: 10.29148/labor.v1i17.19298. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/19298. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.