A Pedagogia histórico crítica como paradigma educacional e concepção teórico-metodológica para a validação do produto educacional no PROFEPT

Autores

  • Elen de Fátima Lago Barros Costa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão/IFMA
  • Maria Cristina Santos Universidade Federal de São carlos

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i24.53047

Palavras-chave:

Pedagogia Histórico-Crítica; PROFEPT.

Resumo

A Pedagogia Histórico-Critica tem seus fundamentos teórico-metodológicos nas reflexões e na práxis pedagógica do professor Demerval Saviani que ao se contrapor ao modelo tradicional propõe um novo paradigma de ensino. É um paradigma de cunho marxista que tem como princípios o papel da educação como instrumento de desvelamento/enfrentamento das questões sociais e a escola como espaço para apropriação crítica do conhecimento partindo da realidade social, problematizando e ressignificando esta realidade.  Este artigo, portanto, analisou como a Pedagogia Histórico-Critica pode contribuir para a formação docente no Programa de Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica/PROFEPT, mais especificamente como este paradigma educacional pode se constituir numa possibilidade para o desenvolvimento, aplicação e validação do produto educacional a ser apresentado ao final do curso. Define-se como categorias de análise Pedagogia Histórico-Critica, formação e práxis docente. Para a compreensão do objeto de estudo e suas categorias, define-se como método de abordagem o materialismo histórico dialético e quanto aos procedimentos metodológicos trata-se de revisão de literatura e pesquisa documental que tratam do assunto analisado. Concluiu-se que nem todo os produtos educacionais apresentados ao final do programa apresentam, na sua concepção e validação, um paradigma educacional que sirva de suporte teórico-metodológico e que a PHC além de se coadunar com os princípios teóricos, metodológicos e epistemológicos do PROFEPT constitui-se um paradigma que agrega qualidade e significação aos produtos educacionais.

Biografia do Autor

Elen de Fátima Lago Barros Costa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão/IFMA

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos/UFSCAR (2016). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (2002), Graduada em Pedagogia pela Universidade CEUMA (1993). Graduada em Artes Práticas pela Universidade Federal do Maranhão/UFMA (1987). Professora do PROFEPT/Programa de Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica. Professora Magistério Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão/IFMA.

Maria Cristina Santos, Universidade Federal de São carlos

Professora Associada no Departamento de Educação da Universidade Federal de São Carlos DED/UFSCar. Graduada em Ciências Sociais pela Associação Limeirense de Educação (1996) Mestre (2001) e Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2007). Pós-doutora em "Ambiente e Sociedade", linha de pesquisa Dinâmica socioeconômica nos Ambientes urbano e rural" pela Universidade Estadual de Goiás (2017). Pós-doutora em Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (2017) Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação/UFSCar. Membro do Grupo de Pesquisa em Educação no Campo/GEPEC/UFSCar.

Referências

BARBOSA, Ana Cecília C. Os Institutos Federais: reflexões sobre a ifetização a partir do
processo de elaboração do Regimento Geral do IFS. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia
Social). Núcleo de Pós-Graduação e Pesquisa em Psicologia Social, Universidade Federal de
Sergipe, Sergipe, 2012. Disponível em:<
http://bdtd.ufs.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=979 >. Acesso em: 08/08/2014.
BOMFIM, Alexandre Maia do; VIEIRA, Valéria ; DECCACHE-MAIA, Eline. A crítica da crítica dos mestrados profissionais: uma reflexão sobre quais seriam as contradições mais relevantes. Revista Ciências e Educação, Bauru, v. 24, n. 1, p. 245-262, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v24n1/1516-7313-ciedu-24-01-0245.pdf. Acesso em: 19/06/2020.
BRASIL. CAPES. Portaria Nº 080, de 16 de dezembro de 1998. Brasília: CAPES, 1998. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/avaliacao-n/1892015-Portaria-CAPES-080-1998.pdf. Acesso em: 20/05/2020.
BRASIL. Lei nº 11.892/2008. Brasília: Presidência da República, 2008a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11892.htm. Acesso em: 18/06/2020.
BRASIL. Mãos à obra, Brasil: proposta de governo [online]. 2008b. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisa Social, 2008b. Disponível em :< <http://books.scielo.org> Acesso em:
21/11/2015.
BRASIL. Resolução do Conselho Superior nº 161/2016. Espirito Santo: IFES, 2016. Disponível em: https://profept.ifes.edu.br/images/stories/ProfEPT/Turma2017/Documentos/Res_CS_161_2016_-Cria_o_Programa_de_P%C3%B3s-gradua%C3%A7%C3%A3o_em_Educa%C3%A7%C3%A3o_Profissional_e_Tecnol%C3%B3gica_e_aprova_seu_Regulamento_interno.pdf.pdf. Acesso em: 20/05/2020.
BRASIL. Lei nº 9.394/1996. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretrizes_e_bases_1ed.pdf. Acesso em: 20/05/2020.
BRASIL. INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira. Sinopses Estatísticas da
Educação Básica. 2018a. Disponível em: < http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolarsinopse-sinopse>Acesso em: 03/06/2019.
BRASIL. CAPES. Documento de área 46/Ensino. Brasília: CAPES, 2018b. Disponível em: http://capes.gov.br/images/Documento_de_%C3%A1rea_2019/ENSINO.pdf. Acesso em: 20/05/2020.
BRASIL. Regulamento do PROFEPT. Espirito Santo: IFES, 2018c. Disponível em: https://profept.ifes.edu.br/images/stories/ProfEPT/Turma_2018/Regulamento/Res_CS_22_2018_-_Regulamento.pdf. Acesso em: 20/05/2020.
BRASIL. Plataforma Nilo Peçanha. Brasília: SETEC/MEC, 2019. Disponível em: http://plataformanilopecanha.mec.gov.br/. Acesso em: 20/05/2020.
BRASIL. Programa de Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica/PROFEPT. Espirito Santo: IFES, 2020. Disponível em: https://profept.ifes.edu.br/doc. Acesso em: 20/05/2020.
CHESNAIS, François; PLIHON, D. (coord.). As armadilhas do capital: apelo dos
economistas para se sair do pensamento utópico. Lisboa: Campo da Comunicação, 2002.
COSTA, Elen de Fátima Lago Barros. Trabalho e carreira docente nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. 2016. (Tese de Doutorado no Programa de Pós-graduação em Educação/UFSCar). São Carlos/SP: UFSCar, 2016. 265 p. Disponível em: Acesso em:
FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A gênese do Decreto n. 5154/2004: um debate no contexto controverso da democracia
restrita. 2012. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (org).
Ensino Médio Integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2012.
MACHADO, L. R. de S. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, Brasília, DF, v. 1, n. 1, jun. 2008. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/2862. Acesso em: 19/06/2020.
MALANCHEN, Julia; ANJOS, Ricardo Eleotério dos. O papel do currículo escolar no desenvolvimento humano: contribuições da pedagogia histórico-crítica e da psicologia histórico-cultural. In Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 5, n. 2, p. 118-129, dez. 2013.
MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão; MARTINS, Lígia Márcia. Contribuições gerais para o trabalho pedagógico em salas multisseriadas. In Revista HISTEDBR On-line, Campinas, nº 51, p. 383-385, jun 2013.
MARTINS, L. M. A formação social da personalidade do professor: um enfoque vigotskiano. 2ª ed. Campinas: Autores Associados, 2015.
MARTINS, Lígia Márcia. O legado do século XX para a formação de professores. In MARTINS, Lígia Márcia; DUARTE. Newton (orgs.). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. Pp.13 a 31.
MENDES, Carolina Borghi; BIANCON, Mateus Luiz; FAZAN, Paulo Borges. Interlocuções entre a Pedagogia Histórico-Crítica e a Psicologia Histórico-Cultural para o ensino de Ciências. Revista Ciência e Educação, (Bauru), Bauru , v. 25, n. 3, p. 815-831, Setembro, 2019 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132019000300815&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 19/06/2020.
MOREIRA, M. A. O mestrado (profissional) em ensino. Revista Brasileira de PósGraduação, ano 1, n. 1, p. 131-142, 2004. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/26. Acesso em: 29/06/2020.
MOREIRA, Maria Cristina do A.; ROÇAS, Gisele; PEREIRA, Marcus Vinicius.; DOS ANJOS, Malyta B. Produtos educacionais de um curso de mestrado profissional em ensino de ciências. Revista Brasileira Ensino de Ciências. Tecnol., Ponta Grossa, v. 11, n. 3, p. 344-363, set./dez. 2018. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/26. Acesso em: 29/06/2020.
SAVIANI, D. Escola e democracia. 34. ed. Campinas: Autores Associados, 2010.
SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 8.ed. Campinas: Autores Associados, 2003.
SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação v. 12 n. 34 jan./abr. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf. Acesso em: 26/08/2017.
SAVIANI, Dermeval. Antecedentes, origem e desenvolvimento da pedagogia histórico-crítica. In MARSIGLIA, A. C. G. (org.). Pedagogia histórico-crítica: 30 anos. Campinas: Autores Associados, 2011. pp. 197-225.
SAVIANI, Dermeval. Contextualização histórica e teórica da pedagogia histórico-crítica. In: D. SAVIANI, Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações, 8.ed. Campinas: Autores Associados, 2003. p. 111-125.
SAVIANI, Dermeval. Educação socialista, Pedagogia Histórico-Crítica e os desafios da sociedade de classes. In LOMBARDI, José Claudinei e SAVIANI, Dermeval (orgs.) Marxismo e Educação debates contemporâneos. Campinas, SP: Autores Associados, 2005. Pp. 223-274.
SINGER, André. Os sentidos do Lulismo: reforma gradual e pacto conservador. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

Downloads

Publicado

2020-10-19

Como Citar

LABO BARROS COSTA, Elen de fátima; SANTOS, Maria Cristina. A Pedagogia histórico crítica como paradigma educacional e concepção teórico-metodológica para a validação do produto educacional no PROFEPT. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 24, p. 175–199, 2020. DOI: 10.29148/labor.v1i24.53047. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/53047. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.