A Relação entre a Educação e o Desenvolvimento Econômico no Brasil no Período de 1950 a 1970

Autores

  • Maria Alcina Terto Lins Universidade Federal de Alagoas - UFAL

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i25.67957

Palavras-chave:

Educação. Capitalismo. Desenvolvimento econômico. Modernização.

Resumo

A subordinação da educação ao desenvolvimento econômico brasileiro entre os anos 1950 e 1970 revela elementos marcantes do movimento global capitalista, sobretudo ao evidenciar que o processo de acumulação de capital nos países centrais (denominados desenvolvidos) ocorre em detrimento do desenvolvimento dos países da América Latina, mediante uma relação fundada na exploração do trabalho legitimado pela regulação estatal. A industrialização brasileira e a respectiva complexificação do processo de trabalho exigiram uma força de trabalho especializada e modificações na organização educacional, cujos princípios de racionalidade, eficiência e produtividade constituiriam o eixo central na formação e/ou qualificação do trabalhador. A dinâmica de reprodução do capital utilizou a educação como um meio para adequar a capacidade produtora dos indivíduos sociais à manutenção do status quo da burguesia em favor dos setores dominantes, sob um insidioso discurso de modernização que ao invés de proporcionar o desenvolvimento econômico e social no Brasil, reafirmou a condição de dependência/subordinação aos países de capitalismo central.

Biografia do Autor

Maria Alcina Terto Lins, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Assistente social, professora adjunta a na FSSO (UFAL). Doutora em Serviço Social (ufpe). Mestre em Serviço Social (ufal). experiência docente na graduação e na pós-graduação (lato sensu). Atuação profissional na área de saúde. pesquisadora na área do mercado de trabalho e formação profissional em serviço social e na área da saúde. Vice-líder do grupo de pesquisa Serviço social, trabalho e políticas sociais (ufal). Especialização em gestão de redes de atenção à saúde (fiocruz). Especialização em metodologias ativas no ensino superior. Facilitadora em educação permanente em saúde (fiocruz). Componente da diretoria do Sindicato do(a)s Assistentes Sociais do Estado de Alagoas. Ex-integrante do cress/AL, gestão: "Em tempos de luta, resistir e avançar em defesa do projeto ético-político profissional"- atuou na comissão de formação profissional do Conselho Regional de Serviço Social/AL e na Comissão Permanente de Ética.

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-4900-020X

Referências

ASSUNÇÃO, Maria José. Reformas Educacionais de 1968 e 1971 e acordos MEC-USAID. 2011. Disponível em: http://www.universopedagogia Acesso em: 10 mai. 2014.
BIELSCHOWSKY, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1988.
BRASIL. Lei nº 5.540/68. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. Senado Federal. Brasília.
FERNANDES, Florestan. Capitalismo dependente: classes sociais na América Latina. 4. ed. São Paulo: Global, 2009.
FERNANDES, Florestan. O desafio educacional. São Paulo: Cortez, 1989.
FERNANDES, Florestan. Sociedade de classes e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968.
FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. São Paulo: Cortez, 2010.
MARINI, Ruy Mauro. Dialética da Dependência. 1973. Disponível em: <https://www.marxists.org/portugues/marini/1973/mes/dialetica.htm> Acesso em: 20 out. 2017.
MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.
MOTA, Vania C. da. Gerar capital social: tarefa da “educação periférica” segundo Banco Mundial. In: Anais. 6º Seminário do Trabalho. 2008. Disponível em: <http://www.estudosdotrabalho.org/anais6seminariodotrabalho/vaniacardosodamotta.pdf> Acesso em: 23 fev. 2015.
OLIVEIRA, Francisco. O surgimento do antivalor: capital, força de trabalho e fundo público. In: Os direitos do antivalor: a economia política da hegemonia imperfeita. Rio de Janeiro: Vozes, 1998.
PINA, Fabiana. Acordo MEC-USAID: ações e reações (1966-1968). Dissertação apresentada à Faculdade de Ciências Letras de Assis. Universidade Estadual Paulista. 2011.
PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Programa de metas do presidente Juscelino Kubitschek. Serviço de documentação. Rio de Janeiro, 1958.
RELATÓRIO EAPES. Acordo MEC-Usaid. Ministério da Educação e Cultura. Rio de janeiro, 1969.
SILVA, Romeu Adriano da. Golpe Militar e adequação nacional à internacionalização capitalista (1964-1984). Disponível em: <http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/periodo_militar> Acesso em: 24 mar. 2015.
TEIXEIRA, Anísio. Ensino superior no Brasil: análise e interpretação de sua evolução até 1969. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1989. 186p.

Downloads

Publicado

2021-04-27

Como Citar

LINS, Maria Alcina Terto. A Relação entre a Educação e o Desenvolvimento Econômico no Brasil no Período de 1950 a 1970 . Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 25, p. 76–89, 2021. DOI: 10.29148/labor.v1i25.67957. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/67957. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.