Processos de precarização do trabalho docente em tempos de pandemia da Covid-19:

uma análise a partir de uma noção ontológica e histórica do trabalho

Autores

  • Renata Guilões Barros Santos Instituto Federal de Brasília - IFB
  • Cláudia Sabino Fernandes Instituto Federal de Brasília - IFB
  • João Gabriel Hübner Gomes Instituto Federal de Brasília - IFB
  • João Henrique Gomes de Farias Instituto Federal de Brasília
  • Cláudio Nei Nascimento da Silva Instituto Federal de Brasília - IFB

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i26.71595

Palavras-chave:

Condições do trabalho docente. Trabalho e educação. Organização do trabalho.

Resumo

Este trabalho teve por objetivo analisar os processos de precarização do trabalho docente, em tempos de pandemia da Covid-19, a partir de uma noção ontológica e histórica do trabalho. A pesquisa foi realizada por meio de um ensaio bibliográfico a partir de literaturas já consolidadas bem como publicações recentes acerca dos impactos da pandemia no Brasil, trazendo como eixo os seguintes aspectos: as transformações históricas ocorridas no mundo do trabalho a partir da concepção ontológica de trabalho; o trabalho docente e seus principais fundamentos e peculiaridades; os processos de precarização do trabalho docente no âmbito da pandemia. Conclui revelando que a precarização do trabalho docente não é privilégio da pandemia, mas as acentuadas transformações no ensino decorrentes dessa emergência sanitária tornaram o trabalho do professor mais difícil. Como resultado dessa sobrecarga, pressões, fusão da vida pessoal com a vida laboral, estresse e adoecimento são condições novas que a literatura educacional começa a denunciar sistematicamente.

Biografia do Autor

Renata Guilões Barros Santos, Instituto Federal de Brasília - IFB

Mestrado em Educação em andamento. Pós-Graduada, Lato Sensu, em Gestão Educacional pela Universidade Católica de Brasília - UCB (2014). Graduada em Pedagogia, com habilitação em Séries Iniciais (2003) e em Orientação Educacional (2007), pela Universidade de Brasília - UnB. Servidora pública, Agente de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal. Palestrante em temas educacionais. Consultora Pedagógica. Cargos exercidos: Diretora Adjunta da Divisão de Polícia Comunitária da Academia de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal, Diretora Substituta da Divisão Técnica de Ensino da Academia de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal, Chefe da Seção de Planejamento Pedagógico da Academia de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal, Coordenadora Pedagógica da Divisão de Ensino Superior da Polícia Civil do Distrito Federal. Experiência na área de Educação, com ênfase em Metodologias Ativas e emEducação Policial, Didática do Ensino e Gestão Educacional.

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-8923-2515

Cláudia Sabino Fernandes, Instituto Federal de Brasília - IFB

Mestranda em Educação Profissional e Tecnológico (ProfEPT) no Instituto Federal de Brasília. Especialista em Gerenciamento de Projetos, com graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela União Educacional de Brasília (2012). Servidora Pública Federal do IFB desde 2010 com atuação inicialmente na Pró-Reitoria de Administração, posteriorente na área do ensino do Campus Brasília e mais recentemente na Educação a Distância do IFB. A formação acadêmica associada às assim experiências profissionais possibilitaram o desenvolvimento e a consolidação de uma visão sistêmica, identificando no âmbito institucional as possibilidades de inovação e melhorias.

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-3214-1460

João Gabriel Hübner Gomes, Instituto Federal de Brasília - IFB

Mestrando em Educação Profissional pelo ProfEPT. Professor de Geografia. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-6662-1585

João Henrique Gomes de Farias, Instituto Federal de Brasília

Tecnólogo em Tecnologia da Informação pela Faculdades AD1 (2006), pós-graduado em Docência do Ensino Superior (2014). Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Tecnologia da Informação. Atuou de 2000 a 2013 na Secretaria de Educação do Distrito Federal, como Professor Temporário nas Escolas Técnicas de Brasília e Ceilândia. Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico desde 2012 no Instituto Federal de Brasília - Campus Ceilândia.

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-9282-0342

Cláudio Nei Nascimento da Silva, Instituto Federal de Brasília - IFB

Doutor em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília - UnB (2016), com estágio doutoral na Universidad Carlos III - UC3M, em Madrid, na Espanha (2015). Mestre em Educação pela Universidade Católica de Brasília - UCB (2003). Graduado em Pedagogia pela Fundação Universidade do Tocantins - Unitins (2001). Professor da área de educação do curso de Licenciatura em Química do Instituto Federal de Brasília (IFB) e do Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT). Membro fundador do Grupo Nova Paideia (novapaideia.org) e idealizador da Jornada Iberoamericana de Pesquisas em Políticas Públicas Educacionais e Experiências Interdisciplinares na Educação (JORNEDUC). Editor da Revista Nova Paideia (ISSN: 2674-5976). Líder do Grupo de Pesquisa Avaliação das Políticas Públicas em Educação. Como pesquisador, atua, principalmente, nos seguintes tópicos: políticas da educação profissional no Brasil; comunicação científica; revisão por pares e formação integral na EPT.

Orcid: https://orcid.org/0000-0003-3285-5268

Referências

ALVES, U. A. et al. Proletarização do trabalho docente e o notório saber: desafios e entraves da valorização do professor. Educação Profissional e Tecnológica em Revista, v. 4, n. 2, p. 62–79, 2020.
ALVES, L.P; SALAZAR, A.V; OLIVEIRA, E.A.M; O livro: História e Filosofia da Ciência: apontamentos para auxiliar na contextualização de conteúdos a serem trabalhados em sala de aula. v. 2, ed. Acadêmico, IFES. Vitória - ES, 2018.
ANTUNES, R. Coronavírus: o trabalho sob fogo cruzado. São Paulo: Boitempo. 2020. E-book.
BACICH, L.; NETO, A. T.; TREVISANI, F. M. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre. Penso. 2015.
BASSO, I. S. Significado e sentido do trabalho docente. Cadernos CEDES [online]. 1998, v. 19, n. 44 pp. 19-32. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0101-32621998000100003>. Epub 29 Abr 1999. ISSN 1678-7110. https://doi.org/10.1590/S0101-32621998000100003. Acesso em: 31 Maio 2021.
BOURDIEU, Pierre. Contrafogos: táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Rio de Janeiro: Zahar, 1998
BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CP nº 5/2020, de 28 de abril de 2020. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=145011-pcp005-20&category_slug=marco-2020-pdf&Itemid=30192. Acesso em 23 de Junho de 2021.
CASTILHO, M. L.; DA SILVA, C. N. N. A COVID-19 e a educação profissional e tecnológica: um panorama das ações de acompanhamento e enfrentamento da pandemia nos Institutos Federais. Revista Nova Paideia-Revista Interdisciplinar em Educação e Pesquisa, v. 2, n. 3, p. 18–34, 2020. <https://ojs.novapaideia.org/index.php/RIEP/article/view/41>. Acesso em: 23 Junho 2021.
FERNANDES, F. A. Revolução Burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. 5ª ed.São Paulo: Globo, 2006.
FERREIRA, L. H. & BARBOSA, A. B. (2020a). Lições de quarentena: limites e possibilidades da atuação docente em época de isolamento social. Práxis Educativa, 15, e2015483, 1-24. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.15.15483.076 Disponível em: < https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/15483/209209213434> Acesso: 19 de Maio de 2021.
FERREIRA, M. G. & BARBOSA, E. I. (2020b). Antagonismo do isolamento: o distanciamento que protege e vulnerabiliza frente ao contexto de pandemia. Health Residencies Journal (HRJ), 1(3), 1-5(editorial). Disponível em: https://escsresidencias.emnuvens.com.br/hrj/article/view/36 Acesso: 19 de Maio de 2021.
FEUERHARMEL, L. D. DE S.; LIMBERGER, V. Trabalho Docente na Pandemia: uma análise a partir de reportagens em mídia digital. Anais da Jornada Acadêmica do Programa de Pós-graduação em Educação da Unisc, 2020. Disponível em: <https://online.unisc.br/acadnet/anais/index.php/jornacad/article/viewFile/20894/1192613002> Acesso em: 30 de Maio de 2021.
INSFRAN, F. F. N.; PRADO, P. A.; FARIA, S. E. F.; LADEIRA, T. A.; SENTINELLI, T. A.; JUNIOR, W. B. A pandemia da covid-19 como vitrine da precarização do trabalho docente e da educação: desafios para o ensino em uma democracia fragilizada. Revista Eletrônica Arte de Educar. Edição Especial ii: educação e democracia em tempos de pandemia. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/riae/article/view/52309> Acesso: 14 de maio de 2021.
KURZ. R.A origem destrutiva do capitalismo: a modernidade econômica encontra suas origens no armamentismo militar. Folha de São Paulo. 30.3.1997, p.3 c.5.
LIBÂNEO, J. C. Didática. - 2 ed. – São Paulo: Cortez, 2013.
LOSEKANN, G. C. B. R., & Mourão, H. C. (2020). Desafios do teletrabalho na pandemia COVID-19: quando o home vira office. Caderno de Administração, 28, 71-75. https://doi.org/10.4025/cadadm.v28i0.53637. Disponível em: < https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CadAdm/article/view/53637> Acesso: 20 de Maio de 2021.
MORAN, J. Educação Híbrida: um conceito-chave para a educação hoje. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. (Org.). Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.
NETTO, J. P. Introdução ao estudo do método de Marx- 1.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011.
NETTO, M. B.; LUCENA, C. A. O trabalho como princípio educativo e a organização do trabalho pedagógico na escola. Acta Scientiarum. Education, v. 37, n. 4, p. 371-381, 1 out. 2015.. https://doi.org/10.4025/actascieduc.v37i4.24462. Acesso em: 23 de Junho de 2021.
NOVAIS, F. A. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). [s.l.] Hucitec São Paulo, 1986.
ORNELLAS, T. C. F.; MONTEIRO, M. I. Aspectos históricos, culturais e sociais do trabalho. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 59, p. 552–555, 2006.
POCHMANN, M. O Livro: A década dos mitos. Ed. Contexto, São Paulo - SP, 2001.
PONTES, F. R., & ROSTAS, M. H. S. G. (2020). Precarização do trabalho do docente e adoecimento: COVID-19 e as transformações no mundo do trabalho, um recorte investigativo. Revista Thema, 18 (ESPECIAL), 278-300. https://doi.org/10.15536/thema.V18.Especial.2020.278-300.1923. Disponível em: <http://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/1923> Acesso em: 25 de maio de 2021.
QUEIROGA, F. (Org.). (2020). Orientações para o home office durante a pandemia da COVID-19. (Coleção O trabalho e as medidas de contenção da COVID-19: contribuições da Psicologia Organizacional e do Trabalho; 1). Porto Alegre: Artmed. Disponível em: Disponível em: <http://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/1923> Acesso: 18 de Maio de 2021.
RODRIGUES, R.S. Lutas, experiências e debates na América Latina - Anais das IV Jornadas Internacionais de Problemas Latino-Americano. Foz do Iguaçu - PR, 2015.
ROSENFIELD, C. L. Trabalho decente e precarização. Tempo Social, São Paulo, São Paulo, V. 23, n.01, p.247-268, jun. 2011. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ts/article/view/12660 . Acesso em: 20 de Maio 2021.
SANTOS, A. L. L. et al. Reflexões sobre as condições de trabalho vivenciadas pelos docentes no contexto da pandemia de covid-19. Revista Eletrônica Arma da Crítica, n.14/dezembro 2020 issn 1984 -4735. Disponível em:< http://www.armadacritica.ufc.br/phocadownload/3-20reflexes%20sobre%20as%20condies%20de%20trabalho%20vivenciadas%20pelos%20docentes%20no%20contexto%20da%20pandemia%20de%20covid-19%20-.docx.pdf > Acesso: 11 de Maio de 2021.
SAVIANI, D. Formação e condições de trabalho docente. In: Revista Educação e Cidadania. Campinas: Alínea, 2007.
SILVA, A. M. (2019). A precarização do trabalho docente no século XXI: o precariado professoral e o professorado estável-formal sob a lógica privatista empresarial nas redes públicas brasileiras. Revista Trabalho Necessário, 17(33), 321-325. https://doi.org/10.22409/tn.17i33.p29380
SILVA, A. Da uberização à youtuberização: a precarização do trabalho docente em tempos de pandemia. RTPS - Revista Trabalho, Política e Sociedade, v. 5, n. 9, p. 587-610, 11 dez. 2020.
SOUZA, A. S. et al. Precarização do trabalho docente: reflexões em tempos de pandemia e pós pandemia. Ensino em Perspectivas, Fortaleza, v. 2, n. 2, 2021. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/4975> Acesso: 25 de Maio de 2021.
SOUZA, A. N. Professores, modernização e precarização. In: ANTUNES, Ricardo (Org). Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil II. São Paulo; Boitempo, 2013. (p. 217-227).
SOUZA, D. O. As dimensões da precarização do trabalho em face da pandemia de Covid-19. Trabalho, Educação e Saúde, v. 19, 2021, e00311143. DOI: 10.1590/1981-7746-sol00311 Disponível em: < https://plu.mx/scielo/a/?doi=10.1590/1981-7746-sol00311> Acesso em: 26 de Maio de 2021.
TARDIF, M. Saberes Docentes e Formação Profissional. 17 ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

Downloads

Publicado

2021-11-01

Como Citar

SANTOS, Renata Guilões Barros; FERNANDES, Cláudia Sabino; GOMES, João Gabriel Hübner; GOMES DE FARIAS, João Henrique; NASCIMENTO DA SILVA, Cláudio Nei. Processos de precarização do trabalho docente em tempos de pandemia da Covid-19: : uma análise a partir de uma noção ontológica e histórica do trabalho. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 26, p. 33–53, 2021. DOI: 10.29148/labor.v1i26.71595. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/71595. Acesso em: 24 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.